Artigos

7.1: Seção 2- - Matemática


7.1: Seção 2- - Matemática

7.1: Seção 2- - Matemática

& sect1. Listras e estrelas da bandeira

A bandeira dos Estados Unidos terá treze listras horizontais, alternando vermelho e branco, e a união da bandeira terá quarenta e oito estrelas, brancas em um campo azul.

Notas Estatutárias e Subsidiárias Relacionadas

Título abreviado da alteração de 2018

div. A, & sect10101, 9 de fevereiro de 2018, 132 Stat. 64, desde que: & quotEsta divisão [que altera a seção 7 deste título e as disposições de promulgação estabelecidas como uma nota na seção 7 deste título] pode ser citada como a "Lei dos Heróis de Hometown Hometown & apos."

Título abreviado da alteração de 2017

e sect1, 28 de março de 2017, 131 Stat. 79, desde que: & quotEsta Lei [que altera a seção 6 deste título] possa ser citada como a & aposVietnam War Veterans Recognition Act de 2017 & quot. & Quot.

Título abreviado da alteração de 2009

& sect1, 27 de julho de 2009, 123 Stat. 1962, desde que: & quotEsta Lei [que altera a seção 6 deste título] possa ser citada como a & apos. Lei de Reconhecimento dos Veteranos da Guerra Coreana & quot. & Quot.

Título abreviado da alteração de 2007

& sect1, 29 de junho de 2007, 121 Stat. 233, desde que: & quotEsta Lei [que altera a seção 7 deste título e as disposições estabelecidas como uma nota na seção 7 deste título] possa ser citada como & apos.

Título abreviado da alteração de 2000

& sect1, 28 de julho de 2000, 114 Stat. 626, desde que: & quotEsta Lei [que promulga as seções 116 a 126 deste título e as disposições estabelecidas como uma nota na seção 116 deste título] pode ser citada como a & aposMobile Telecommunications Sourcing Act & quot. & Quot.

Documentos Executivos

Ordem Executiva No. 10798

Ex. Ord. No. 10798, 3 de janeiro de 1959, 24 F.R. 79, que prescrevia proporções e tamanhos de bandeiras até 4 de julho de 1960, foi revogada pela seção 33 do Ex. Ord. No. 10834, estabelecido como uma nota nesta seção.

Ex. Ord. No. 10834. Proporções e tamanhos das bandeiras e posição das estrelas

Ex. Ord. No. 10834, 21 de agosto de 1959, 24 F.R. 6865, fornecido:

CONSIDERANDO QUE o Estado do Havaí foi hoje admitido na União e

CONSIDERANDO QUE a seção 2 do título 4 do Código dos Estados Unidos estabelece o seguinte: & quotNa admissão de um novo Estado na União, uma estrela deve ser adicionada à união da bandeira e tal adição entrará em vigor no quarto dia de julho, a seguir sucesso em tal admissão. & quot e

CONSIDERANDO que a Lei de Propriedade Federal e Serviços Administrativos de 1949 (63 Stat. 377), conforme alterada [ver capítulos 1 a 11 do Título 40, Edifícios Públicos, Propriedade e Obras, e divisão C (exceto seções 3302, 3307 (e), 3501 (b), 3509, 3906, 4710 e 4711) do subtítulo I do Título 41, Contratos Públicos] autoriza o Presidente a prescrever políticas e diretivas que regem a aquisição e utilização de bens por agências executivas e

CONSIDERANDO que os interesses do Governo exigem que provisão ordenada e razoável seja feita para vários assuntos relativos à bandeira e que sejam prescritos regulamentos apropriados que regem a aquisição e utilização de bandeiras nacionais e macacos sindicais por agências executivas:

AGORA, PORTANTO, em virtude da autoridade investida em mim como Presidente dos Estados Unidos e como Comandante em Chefe das forças armadas dos Estados Unidos, e a Lei de Propriedade Federal e Serviços Administrativos de 1949, conforme alterada [ver Título Curto de Nota da Lei de 1949 sob a seção 101 do Título 41, Contratos Públicos], é por meio deste ordenado da seguinte forma:

Parte I & mdashDesign da bandeira

Seção 1. A bandeira dos Estados Unidos terá treze listras horizontais, vermelhas e brancas alternadas, e uma união consistindo de estrelas brancas em um campo azul.

Sec. 2. As posições das estrelas na união da bandeira e no jaque união serão as indicadas no anexo ao presente despacho, que passa a fazer parte do mesmo.

Sec. 3. As dimensões das partes constituintes da bandeira devem obedecer às proporções constantes do anexo referido no n.º 2 do presente pedido.

Parte II e mdashRegulations que regem as agências executivas

Sec. 21. Os seguintes tamanhos de bandeiras são autorizados para agências executivas:

 
TamanhoDimensões da bandeira
Talha (largura)Fly (comprimento)
Pés & # 160 e # 160 Pés & # 160 e # 160
(1) 20.00 38.00
(2) 10.00 19.00
(3) 8.95 17.00
(4) 7.00 11.00
(5) 5.00 9.50
(6) 4.33 5.50
(7) 3.50 6.65
(8) 3.00 4.00
(9) 3.00 5.70
(10) 2.37 4.50
(11) 1.32 2.50

Sec. 22. Bandeiras fabricadas ou adquiridas para uso de agências executivas:

(a) Deverá estar em conformidade com as disposições da Parte I deste pedido, exceto se autorizado de outra forma de acordo com as disposições da seção 24, ou exceto se autorizado de outra forma pelas disposições da seção 21 deste pedido.

(b) Deverá estar em conformidade com as disposições da seção 21 deste pedido, exceto se de outra forma autorizado de acordo com as disposições da seção 24 deste pedido.

Sec. 23. As dimensões externas de cada jaque de união fabricado ou adquirido para agências executivas devem ser iguais às respectivas dimensões externas da união de uma bandeira de tamanho autorizado por ou de acordo com este pedido. O tamanho do Union Jack hasteado com a bandeira nacional deve ser igual ao tamanho do Union Jack dessa bandeira nacional.

Sec. 24. (a) O Secretário de Defesa em relação a aquisições para o Departamento de Defesa (incluindo cores militares) e o Administrador de Serviços Gerais em relação a aquisições de agências executivas que não o Departamento de Defesa podem, por motivos que o Secretário ou o Administrador, conforme o caso, julgar suficiente, fazer pequenos ajustes necessários em uma ou mais das dimensões ou dimensões proporcionais prescritas por este pedido, ou autorizar proporções ou tamanhos diferentes daqueles prescritos pela seção 3 ou seção 21 deste pedido.

(b) Na medida do possível, (1) as ações do Secretário de Defesa de acordo com as disposições da seção 24 (a) desta ordem, no que se refere aos vários elementos organizacionais do Departamento de Defesa, devem ser coordenadas, e (2) o Secretário e o Administrador coordenarão mutuamente suas ações sob essa seção.

Sec. 25. Sujeito a tais exceções limitadas como o Secretário de Defesa em relação ao Departamento de Defesa, e o Administrador de Serviços Gerais em relação a agências executivas que não o Departamento de Defesa, pode aprovar, todas as bandeiras nacionais e macacos sindicais agora no a posse de agências executivas, ou doravante adquirida por agências executivas ao abrigo de contratos adjudicados antes da data desta ordem, incluindo aqueles assim possuídos ou adquiridos pela Administração de Serviços Gerais, para distribuição a outras agências, deve ser utilizada até ficar inutilizável.

Parte III e Disposições gerais mdash

Sec. 31. A bandeira prescrita pela Ordem Executiva nº 10798 de 3 de janeiro de 1959, será a bandeira oficial dos Estados Unidos até 4 de julho de 1960, e nessa data a bandeira prescrita pela Parte I desta ordem se tornará a bandeira oficial dos Estados Unidos, mas esta seção não deve derrogar a seção 24 ou a seção 25 deste pedido, nem impedir a aquisição, por agências executivas, de bandeiras fornecidas por ou em conformidade com este pedido, a qualquer momento após a data deste pedido.

Sec. 32. Conforme usado neste pedido, o termo "agências executivas" significa os departamentos executivos e estabelecimentos independentes no ramo executivo do Governo, incluindo empresas governamentais de propriedade integral.

Sec. 33. Fica revogada a Ordem Executiva nº 10.798, de 3 de janeiro de 1959.

Diâmetro da estrela 0,0616Largura da faixa 0,0769

& sect2. Mesmas estrelas adicionais

Aquando da admissão de um novo Estado à União, é acrescentada uma estrela à união da bandeira e essa adição produz efeitos a partir do quarto dia de julho, a seguir à admissão.

& sect3. Uso de bandeira para fins publicitários mutilação de bandeira

Qualquer pessoa que, dentro do Distrito de Columbia, de qualquer forma, para exibição ou exibição, colocará ou fará com que seja colocada qualquer palavra, figura, marca, imagem, desenho, desenho ou qualquer anúncio de qualquer natureza sobre qualquer bandeira, padrão , cores ou insígnias dos Estados Unidos da América ou exporão ou farão com que sejam expostos ao público qualquer bandeira, estandarte, cores ou insígnia em que tenham sido impressos, pintados ou colocados de outra forma, ou aos quais devem ser anexado, anexado, afixado ou anexado qualquer palavra, figura, marca, imagem, design ou desenho, ou qualquer anúncio de qualquer natureza ou que, dentro do Distrito de Columbia, deve fabricar, vender, expor para venda ou à vista do público , ou dar ou ter em posse para venda, ou para ser dado ou para uso para qualquer fim, qualquer artigo ou substância sendo um artigo de mercadoria, ou um recipiente para mercadoria ou artigo ou coisa para carregar ou transportar mercadorias, no qual deve ter sido impresso, pintado, anexado, o r de outra forma colocado uma representação de qualquer bandeira, estandarte, cores ou insígnia, para anunciar, chamar a atenção, decorar, marcar ou distinguir o artigo ou substância em que assim colocado será considerado culpado de uma contravenção e será punido por multa não superior a $ 100 ou prisão por não mais de trinta dias, ou ambos, a critério do tribunal. As palavras "bandeira, padrão, cores ou estandarte & quot, conforme usadas neste documento, devem incluir qualquer bandeira, padrão, cores, estandarte ou qualquer imagem ou representação de qualquer um, ou de qualquer parte ou partes de qualquer um, feito de qualquer substância ou representado em qualquer substância, de qualquer tamanho que evidentemente pretenda ser qualquer uma da referida bandeira, estandarte, cores ou estandarte dos Estados Unidos da América ou uma imagem ou representação de qualquer uma delas, na qual serão mostradas as cores, as estrelas e as listras, em qualquer número de qualquer um deles, ou de qualquer parte ou partes de qualquer um, pelo qual a pessoa comum, vendo o mesmo sem deliberação, pode acreditar que o mesmo representa a bandeira, cores, estandarte ou estandarte dos Estados Unidos da América.

Notas editoriais

Emendas

eliminado & quot ou que, dentro do Distrito de Columbia, deve mutilar publicamente, desfigurar, profanar ou desafiar, pisar ou desprezar, por palavra ou ação, sobre qualquer bandeira, estandarte, cores ou estandarte, & quot após & quotsubstance em que assim colocado & quot.

& sect4. Juramento de fidelidade à forma de entrega da bandeira

O Juramento de Fidelidade à Bandeira: & quotEu juro fidelidade à Bandeira dos Estados Unidos da América e à República que ela representa, uma nação sob Deus, indivisível, com liberdade e justiça para todos. & Quot, deve ser prestado por em posição de sentido, de frente para a bandeira, com a mão direita sobre o coração. Quando não estiverem de uniforme, os homens devem remover qualquer toucado não religioso com a mão direita e segurá-lo no ombro esquerdo, estando a mão sobre o coração. Os uniformizados devem permanecer em silêncio, encarar a bandeira e fazer a saudação militar. Os membros das Forças Armadas sem uniforme e os veteranos poderão fazer a saudação militar na forma prevista para os uniformizados.

Notas editoriais

Codificação

reafirmou a linguagem exata do Juramento, consulte a seção 2 (b) de

estabelecido como uma nota de reafirmação da linguagem abaixo.

Emendas

inserido no final & quotOs membros das Forças Armadas não fardados e os veteranos podem fazer a saudação militar na forma prevista para as pessoas uniformizadas. & quot

frase de efeito da seção reproduzida sem alteração e texto emendado em geral. Antes da alteração, o texto era o seguinte: & quotO juramento de fidelidade à bandeira, & aposEu juro fidelidade à bandeira dos Estados Unidos da América e à República que ela representa, uma nação sob Deus, indivisível, com liberdade e justiça para todos. & apos, deve ser traduzido por ficar em posição de sentido, de frente para a bandeira, com a mão direita sobre o coração. Quando não estiverem uniformizados, os homens devem tirar o toucado com a mão direita e segurá-lo no ombro esquerdo, estando a mão sobre o coração. Pessoas uniformizadas devem permanecer em silêncio, encarar a bandeira e fazer a saudação militar.

Notas Estatutárias e Subsidiárias Relacionadas

Achados

& quot (1) Em 11 de novembro de 1620, antes de embarcar para as costas da América, os Peregrinos assinaram o Pacto Mayflower que declarava: & aposTendo empreendido, para a Glória de Deus e o avanço da Fé Cristã e honra de nosso Rei e país , uma viagem para plantar a primeira colônia nas partes do norte da Virgínia, & apos.

& quot (2) Em 4 de julho de 1776, os Pais Fundadores da América, após apelarem para as & apos Leis da Natureza e do Deus da Natureza para justificar sua separação da Grã-Bretanha, declararam: & apos Consideramos essas verdades evidentes por si mesmas, que todos os homens são criados iguais, que são dotados por seu Criador com certos direitos inalienáveis, que entre estes são Vida, Liberdade e a Busca da Felicidade & apos.

& quot (3) Em 1781, Thomas Jefferson, o autor da Declaração de Independência e mais tarde o terceiro presidente da nação, em sua obra intitulada & aposNotes on the State of Virginia & apos escreveu: & aposDeus que nos deu a vida nos deu liberdade. E podem as liberdades de uma nação ser consideradas seguras quando removemos sua única base firme, uma convicção nas mentes das pessoas de que essas liberdades são um Dom de Deus. Que eles não devem ser violados, mas com Sua ira? Na verdade, eu tremo por meu país quando reflito que Deus é justo que sua justiça não pode dormir para sempre. & Apos

& quot (4) Em 14 de maio de 1787, George Washington, como Presidente da Convenção Constitucional, levantou-se para admoestar e exortar os delegados e declarou: & aposSe para agradar às pessoas oferecermos o que nós mesmos desaprovamos, como poderemos depois defender nosso trabalho? Levantemos um padrão ao qual os sábios e honestos possam reparar, o evento está nas mãos de Deus! & Apos

& quot (5) Em 21 de julho de 1789, no mesmo dia em que aprovou a Cláusula de Estabelecimento sobre religião, o Primeiro Congresso dos Estados Unidos também aprovou a Portaria do Noroeste, estabelecendo um governo territorial para as terras a noroeste do Rio Ohio, que declarou: & aposReligião, moralidade e conhecimento, sendo necessários para o bom governo e a felicidade da humanidade, as escolas e os meios de educação serão para sempre encorajados. & apos

& quot (6) Em 25 de setembro de 1789, o Primeiro Congresso aprovou por unanimidade uma resolução conclamando o presidente George Washington a proclamar um Dia Nacional de Ação de Graças para o povo dos Estados Unidos, declarando, & aposa um dia de ação de graças e oração pública, a ser observado reconhecendo, com o coração agradecido, os muitos sinais de favores do Deus Todo-Poderoso, especialmente proporcionando-lhes uma oportunidade de estabelecer pacificamente uma constituição de governo para sua segurança e felicidade. & apos

& quot (7) Em 19 de novembro de 1863, o presidente Abraham Lincoln proferiu seu Discurso de Gettysburg no local da batalha e declarou: & apos É preferível que estejamos aqui dedicados à grande tarefa que nos resta & mdashtque desses homenageados mortos recebamos maior devoção àquela causa pela qual deram a última medida completa de devoção & mdashthat nós aqui altamente resolvemos que estes mortos não devem ter morrido em vão & mdasht que esta Nação, sob Deus, terá um novo nascimento de liberdade & mdashand aquele Governo do povo, pelo povo, para o povo não perecerá da terra. & apos

& quot (8) Em 28 de abril de 1952, na decisão da Suprema Corte dos Estados Unidos em Zorach v. Clauson, 343 US 306 (1952), na qual crianças em idade escolar foram autorizadas a ser dispensadas de escolas públicas por observâncias religiosas e educação, o Juiz William O. Douglas, por escrito para a Corte declarou: & apos A Primeira Emenda, entretanto, não diz que em todos os aspectos haverá uma separação entre Igreja e Estado. Em vez disso, define cuidadosamente a maneira, as maneiras específicas, nas quais não deve haver preocupação, união ou dependência uns dos outros. Esse é o bom senso da questão. Do contrário, o Estado e a religião seriam estranhos um ao outro - hostis, suspeitos e até hostis. As igrejas não podiam ser obrigadas a pagar nem mesmo impostos sobre a propriedade. Os municípios não teriam permissão para oferecer proteção policial ou contra incêndio a grupos religiosos. Os policiais que ajudaram os paroquianos em seus locais de culto violariam a Constituição. Orações em nossas salas legislativas os apelos ao Todo-Poderoso nas mensagens do Chefe do Executivo as proclamações que fazem do Dia de Ação de Graças um feriado & quotque me ajude a Deus & quot em nossos juramentos no tribunal & mdashthese e todas as outras referências ao Todo-Poderoso que perpassam nossas leis, nossos rituais públicos, nossos cerimônias seriam desprezar a Primeira Emenda. Um ateu meticuloso ou agnóstico poderia até mesmo se opor à súplica com que o Tribunal abre cada sessão: & quot Deus salve os Estados Unidos e este honorável Tribunal. & Quot & quot;

& quot (9) Em 15 de junho de 1954, o Congresso aprovou e o presidente Eisenhower sancionou uma lei que era claramente consistente com o texto e a intenção da Constituição dos Estados Unidos, que alterou o Juramento de Fidelidade para ler: & aposI juramento de fidelidade a a Bandeira dos Estados Unidos da América e à República que representa, uma Nação sob Deus, indivisível, com liberdade e justiça para todos. & apos

& quot (10) Em 20 de julho de 1956, o Congresso proclamou que o lema nacional dos Estados Unidos é & aposIn God We Trust & apos, e esse lema está inscrito acima da porta principal do Senado, atrás do Presidente do Presidente da Câmara dos Representantes e na moeda dos Estados Unidos.

& quot (11) Em 17 de junho de 1963, na decisão da Suprema Corte dos Estados Unidos em Abington School District v. Schempp, 374 US 203 (1963), em que a oração escolar obrigatória foi considerada inconstitucional, os juízes Goldberg e Harlan, concordando com a decisão, declarou: & aposMas a devoção não ensinada ao conceito de neutralidade pode levar à invocação ou aprovação de resultados que participam não simplesmente daquela não interferência e não envolvimento com o religioso que a Constituição ordena, mas de uma devoção taciturna e generalizada ao secular e uma hostilidade passiva, ou mesmo ativa, para com os religiosos.Tais resultados não são apenas obrigados pela Constituição, mas, ao que me parece, são proibidos por ela. Nem o governo nem este Tribunal podem ou devem ignorar a importância do fato de que uma vasta parte de nosso povo acredita e adora a Deus e que muitos de nossos valores legais, políticos e pessoais derivam historicamente de ensinamentos religiosos. O governo deve inevitavelmente tomar conhecimento da existência da religião e, de fato, sob certas circunstâncias, a Primeira Emenda pode exigir que o faça. & Apos

& quot (12) Em 5 de março de 1984, na decisão da Suprema Corte dos Estados Unidos em Lynch v. Donelly, 465 US 668 (1984), na qual uma exibição de presépio de uma cidade foi considerada constitucional, O chefe de justiça Burger, escrevendo para o Tribunal, declarou: & aposThere é uma história ininterrupta de reconhecimento oficial por todos os três ramos do governo do papel da religião na vida americana desde pelo menos 1789. & # 160. & # 160. [E] xemplos de referência à nossa herança religiosa são encontrados no lema nacional prescrito estatutariamente "Em Deus nós confiamos" (36 U.S.C. 186) [agora 36 U.S.C. 302], que o Congresso e o Presidente determinaram para nossa moeda, ver (31 USC 5112 (d) (1) (1982 ed.)), E na linguagem & quotOne Nation under God & quot, como parte do Pledge of Allegiance to the American bandeira. Essa promessa é recitada por muitos milhares de crianças e adultos de escolas públicas em todos os anos. & # 160. & # 160. Galerias de arte sustentadas por receitas públicas exibem pinturas religiosas dos séculos 15 e 16, predominantemente inspiradas em uma religião. A National Gallery em Washington, mantida com o apoio do governo, por exemplo, há muito exibe obras-primas com mensagens religiosas, notadamente a Última Ceia e pinturas que retratam o Nascimento de Cristo, a Crucificação e a Ressurreição, entre muitos outros com temas cristãos explícitos e mensagens. A própria câmara em que os argumentos orais sobre este caso foram ouvidos está decorada com um notável e permanente símbolo de religião & mdashnot sazonal & mdash: Moisés com os Dez Mandamentos. O Congresso há muito fornece capelas no Capitólio para adoração religiosa e meditação. & Apos

& quot (13) Em 4 de junho de 1985, na decisão da Suprema Corte dos Estados Unidos em Wallace v. Jaffree, 472 US 38 (1985), em que um momento de silêncio obrigatório a ser usado para meditação ou oração voluntária era considerado inconstitucional, o juiz O'Connor, concordando com o julgamento e abordando a alegação de que a decisão do Tribunal tornaria o Juramento de Fidelidade inconstitucional porque o Congresso o alterou em 1954 para adicionar as palavras & apos sob Deus, & apos declarado & apos Na minha opinião, as palavras & quot sob Deus & quot no Compromisso, conforme codificado em (36 USC 172) [agora 4 USC 4], servir como um reconhecimento da religião com & quotthe legítimo propósito secular de solenizar ocasiões públicas, [e] expressar confiança no futuro. & Quot & # 160 & apos

& quot (14) Em 20 de novembro de 1992, o Tribunal de Apelações dos Estados Unidos para o 7º Circuito, em Sherman v. Community Consolidated School District 21, 980 F.2d 437 (7º Cir. 1992), considerou que uma política do distrito escolar para a recitação voluntária do Juramento de Fidelidade, incluindo as palavras & aposunder God & apos, era constitucional.

& quot (15) O Tribunal de Apelações do 9º Circuito sustentou erroneamente, em Newdow v. Congresso dos Estados Unidos (9ª Cir. 26 de junho de 2002), que o uso do Juramento de Fidelidade da referência religiosa expressa & aposs sob Deus & apos viola a Primeira Emenda da Constituição, e que, portanto, a política e prática de um distrito escolar de recitações voluntárias lideradas por professores do Juramento de Fidelidade é inconstitucional.

& quot (16) O raciocínio errôneo do Tribunal de Apelações do 9º Circuito em Newdow levaria ao resultado absurdo de que o uso da Constituição da referência religiosa expressa "Ano de nosso Senhor" no Artigo VII viola a Primeira Emenda da Constituição, e que, portanto , a política e prática de um distrito escolar de recitações voluntárias lideradas por professores da própria Constituição seria inconstitucional. & quot

Reafirmação da linguagem

& sect2 (b), 13 de novembro de 2002, 116 Stat. 2060, desde que: & quot Na codificação desta subseção [provavelmente deveria ser & quotsection & quot, significando a seção 2 de

que alterou esta seção], o Escritório do Conselho de Revisão da Lei deve mostrar nas notas históricas e estatutárias que o 107º Congresso reafirmou a linguagem exata que apareceu no Juramento por décadas. & quot

& sect5. Exibição e uso de bandeira por civis codificação de regras e definição de costumes

A seguinte codificação das regras e costumes existentes relativos à exibição e uso da bandeira dos Estados Unidos da América é estabelecida para o uso de civis ou grupos ou organizações civis que não sejam obrigados a cumprir os regulamentos promulgados por um ou mais departamentos executivos do Governo dos Estados Unidos. A bandeira dos Estados Unidos para os fins deste capítulo será definida de acordo com as seções 1 e 2 deste título e a Ordem Executiva 10834 emitida de acordo com a mesma.

Notas editoriais

Referências no Texto

A Ordem Executiva 10834, mencionada no texto, é apresentada como uma nota na seção 1 deste título.

Notas Estatutárias e Subsidiárias Relacionadas

Liberdade para exibir a bandeira americana

& quotSECTION 1. SHORT TITLE.

& quotEsta lei pode ser citada como a & aposFreedom to Display the American Flag Act de 2005 & apos.

& quotSEC. 2. DEFINIÇÕES.

& quot (1) o termo & aposflag dos Estados Unidos & apos tem o significado dado ao termo & aposflag, padrão, cores ou estandarte & apos na seção 3 do título 4, Código dos Estados Unidos

& quot (2) os termos & aposcondomínio associação & apos e & aposcondomínio associação & apos têm os significados dados a tais termos na seção 604 da

& quot (3) o termo "associação de administração de imóveis residenciais" tem o significado dado a tal termo na seção 528 do Código da Receita Federal de 1986 (26 U.S.C. 528) e

& quot (A), conforme usado em relação a uma associação de condomínio, significa um proprietário de uma unidade de condomínio (conforme definido na seção 604 do

(15 U.S.C. 3603)) dentro de tal associação

& quot (B), conforme usado em relação a uma associação cooperativa, significa um proprietário de unidade cooperativa (conforme definido na seção 604 do

(15 U.S.C. 3603)) dentro de tal associação e

& quot (C), conforme usado em relação a uma associação de administração de imóveis residenciais, significa um proprietário de um imóvel residencial dentro de uma subdivisão, desenvolvimento ou área semelhante sujeito a qualquer política ou restrição adotada por tal associação.

& quotSEC. 3. DIREITO DE EXIBIR A BANDEIRA DOS ESTADOS UNIDOS.

& quotUma associação de condomínio, associação cooperativa ou associação de administração de imóveis residenciais não pode adotar ou fazer cumprir qualquer política ou entrar em qualquer acordo que restrinja ou impeça um membro da associação de exibir a bandeira dos Estados Unidos em propriedades residenciais dentro do associação em relação à qual tal membro tem um interesse de propriedade separado ou um direito de posse ou uso exclusivo.

& quotSEC. 4. LIMITAÇÕES.

& quotNada neste Ato será considerado para permitir qualquer exibição ou uso que seja inconsistente com & mdash

& quot (1) qualquer disposição do capítulo 1 do título 4, Código dos Estados Unidos, ou qualquer regra ou costume relativo à exibição ou uso adequado da bandeira dos Estados Unidos (conforme estabelecido de acordo com esse capítulo ou qualquer outra disposição da lei aplicável ) ou

& quot (2) qualquer restrição razoável relativa ao tempo, local ou maneira de exibir a bandeira dos Estados Unidos necessária para proteger um interesse substancial da associação de condomínio, associação cooperativa ou associação de administração de imóveis residenciais. & quot

& sect6. Tempo e ocasiões para exibição

(a) É costume universal exibir a bandeira apenas do nascer ao pôr do sol nos edifícios e em mastros fixos ao ar livre. No entanto, quando um efeito patriótico é desejado, a bandeira pode ser exibida 24 horas por dia, se devidamente iluminada durante as horas de escuridão.

(b) A bandeira deve ser hasteada vigorosamente e abaixada cerimoniosamente.

(c) A bandeira não deve ser exibida nos dias em que o tempo está ruim, exceto quando uma bandeira para todas as condições meteorológicas é exibida.

(d) A bandeira deve ser exibida em todos os dias, especialmente no Dia de Ano Novo, 1º de janeiro, Dia de inauguração, 20 de janeiro aniversário de Martin Luther King Jr., terceira segunda-feira de janeiro Aniversário de Lincoln, 12 de fevereiro Aniversário de Washington, terceira segunda-feira de fevereiro Dia Nacional dos Veteranos da Guerra do Vietnã, 29 de março Domingo de Páscoa (variável) Dia das Mães, segundo domingo do Dia das Forças Armadas de maio, terceiro sábado do Dia do Memorial de maio (metade da equipe até o meio-dia), a última segunda-feira de maio Dia da Bandeira, 14 de junho Dia dos Pais , terceiro domingo de junho, Dia da Independência, 4 de julho, Dia Nacional do Armistício dos Veteranos da Guerra da Coréia, 27 de julho, Dia do Trabalho, primeira segunda-feira de setembro, Dia da Constituição, 17 de setembro, Dia de Colombo, segunda segunda-feira de outubro, Dia da Marinha, 27 de outubro, Dia dos Veteranos, 11 de novembro, Dia de Ação de Graças , quarta quinta-feira de novembro, dia de Natal, 25 de dezembro e outros dias que possam ser proclamados pelo Presidente dos Estados Unidos como aniversários dos Estados (data de admissão) e nos feriados estaduais.

(e) A bandeira deve ser exibida diariamente no edifício principal da administração de cada instituição pública ou próximo a ela.

(f) A bandeira deve ser exibida em ou perto de cada local de votação nos dias de eleição.

(g) A bandeira deve ser exibida durante os dias letivos em ou perto de cada escola.


Conteúdo

A existência de linhas de seção tornou as descrições de propriedades muito mais simples do que o antigo sistema de metros e limites. O estabelecimento de linhas padrão leste-oeste e norte-sul ("township" e "range lines") significava que as ações podiam ser escritas sem levar em conta as características temporárias do terreno, como árvores, pilhas de pedras, cercas e semelhantes, e ser redigido no estilo como "Mentir e estar no Município 4 Cordilheira Norte 7 Oeste e sendo o quadrante noroeste do quadrante sudoeste da referida seção", uma descrição exata neste caso de 40 acres, pois há 640 acres (260 ha) em uma milha quadrada.

A importância das "seções" foi grandemente realçada pela passagem de "Uma Portaria para determinar o modo de disposição de terras no Território Ocidental" de 1785 pelo Congresso dos EUA (ver Portaria de Terras de 1785). Essa lei estabelecia que as terras fora dos estados então existentes não podiam ser vendidas, distribuídas de outra forma ou abertas para assentamento antes de serem pesquisadas. A maneira padrão de fazer isso era dividir o terreno em seções. Uma área de seis seções por seis seções definiria um município. Dentro desta área, uma seção foi designada como terreno escolar. Como toda a parcela não seria necessária para a escola e seus terrenos, o restante seria vendido, com o dinheiro para a construção e manutenção da escola.

Editar estradas e planejamento urbano

Cada município é dividido em 36 seções, cada uma geralmente com 1 milha (1,6 km) quadrada. As seções são numeradas boustrofedonicamente dentro dos municípios [3] da seguinte forma (norte no topo):

6 5 4 3 2 1
7 8 9 10 11 12
18 17 16 15 14 13
19 20 21 22 23 24
30 29 28 27 26 25
31 32 33 34 35 36

As seções podem ser divididas em seções de um quarto de 160 acres (65 ha), nomeados pela direção intercardinal (noroeste, nordeste, etc.). Por exemplo, o quarto sudoeste de uma seção é denominado SW 1/4. [4]

As seções podem ser divididas em blocos de 40 acres (16 ha), ou seções quarto trimestre. Isso adiciona um segundo rótulo de direção intercardinal. Por exemplo, o quadrante sudeste da seção do quadrante sudoeste mencionado acima é rotulado SE 1/4, SW 1/4: [4] [5]

NWNW NENW NWNE NENE
SWNW SENW SWNE SENE
NWSW NESW NWSE NESE
SWSW SESW SWSE SESE

A curvatura da Terra torna impossível sobrepor uma grade regular em sua superfície, pois os meridianos convergem em direção ao Pólo Norte. Como os EUA estão no hemisfério norte, se os lados leste e oeste de uma seção ou município se situarem ao longo dos meridianos, seu lado norte é mais curto do que o lado sul. Como as seções foram levantadas de sul e leste a norte e oeste, erros e distorções acumulados resultaram nas linhas norte e oeste, e as seções norte e oeste divergem mais da forma e tamanho ideais.

Toda a grade do município muda para levar em conta a curvatura da Terra. Onde a grade é corrigida, ou onde duas grades baseadas em diferentes meridianos principais se encontram, as formas das seções são irregulares.

As seções também diferem do ideal de PLSS de uma milha quadrada por outros motivos, incluindo erros e trabalho desleixado por topógrafos, instrumentação deficiente e terreno difícil. Além disso, a principal ferramenta de levantamento foi a bússola magnética, que é influenciada por irregularidades locais.

Uma vez estabelecida, mesmo uma grade imperfeita permanece em vigor, principalmente porque os monumentos do levantamento original, quando recuperados, possuem precedente legal sobre os reavaliações subsequentes. [3]

O Sistema de Levantamento de Terras Públicas não foi o primeiro a definir e implementar uma grade de levantamento. Vários sistemas semelhantes foram estabelecidos, muitas vezes usando termos como seção e município, mas não necessariamente da mesma maneira. Por exemplo, as terras da Holland Purchase no oeste de Nova York foram pesquisadas em uma grade municipal antes do PLSS ser estabelecido. Na Nova Inglaterra colonial, as terras eram frequentemente divididas em praças chamadas cidades ou vilas, e posteriormente subdivididas em parcelas chamadas lotes ou seções. [2]

As seções também são usadas em descrições de terras na parte do noroeste da Geórgia que anteriormente fazia parte do território da nação Cherokee. Eles não são, entretanto, parte do PLSS e são irregulares em forma e tamanho. Consulte Cherokee County, Georgia para obter mais informações sobre as razões históricas para isso.

Outra exceção ao uso usual de seções e numeração de seções ocorre quando a maior parte de um pacote, ou lote, cai sob um corpo d'água. O termo "lote do governo" é usado para tais parcelas e geralmente são descritas separadamente do resto da seção usando números únicos (como "Lote do governo 5 da seção 15"). Além disso, as parcelas dentro de uma subdivisão marcada são frequentemente especificadas pelo número do lote, em vez de usar descrições de PLSS. [3]


O dever de casa será entregue às terças-feiras. (Este não é um dia de aula.) Estaremos usando o Gradescope. Não haverá dever de casa durante a semana 6, quando o projeto WIM é devido.

Você é incentivado a usar látex para fazer suas tarefas de redação e lição de casa.

Se você seguir as notas, criará um arquivo chamado conjugation.tex, que pode ser baixado do link ou digitado você mesmo. Executar pdflatex nesta entrada produzirá um arquivo pdf denominado conjugation.pdf. Depois de saber como fazer isso, você estará pronto para usar o látex. Se quiser mais instruções, você pode encontrar alguns tutoriais em http://www.latex-project.org/guides/.


7.1: Seção 2- - Matemática

Para entrar em contato com o instrutor: [email protected]

Tarefas de casa:

As datas abaixo são quando os problemas foram atribuídos. Salvo indicação em contrário, os problemas são sempre devidos na quarta-feira seguinte.

  • 1/15 nenhum
  • 1/20 leia a seção 2.2, Problemas na seção 2.7 # 1-7 problemas adicionais para alunos de matemática # 8-10
  • 1/22 lida até o final do Capítulo 2, Problemas na seção 2.7 # 13a, b, 16 problemas adicionais para alunos de matemática # 12,14,17,18
  • 1/25 lida na seção 3.1
  • 1/27 leu a declaração do Teorema 8 na seção 3.2, e toda a seção 3.3, Problemas na seção 3.8 # 1,2,4,6,9,10 adicional para alunos de matemática # 8,11,12,13
  • 1/29 leia a seção 3.4 Problemas na seção 3.8 --nenhum-- problemas adicionais para alunos de matemática # 7
  • 2/1 leia até 3.7 e comece 4.1 Problemas na seção 3.8 # 14, 21 problema adicional para alunos de matemática # 19
  • 2/3 lidos até o meio da página 50 na seção 4.2 Problemas na seção 4.6 # 1,3,9,10 problema adicional para alunos de matemática # 4,5,7,17
  • 2/5 ler até o final do capítulo 4 Problemas na seção 4.6 # 12,14,15,18 problemas adicionais para alunos de matemática # 16
  • 2/8 leia a seção 5.2
  • 2/10 leia a seção 5.3 Seção 5.7 # 1,2,5,6,7,11 problemas adicionais para alunos de matemática 9,12
  • 2/12 ler até o final do capítulo 5 Seção 5.7 # 13,21,22 problemas adicionais para alunos de matemática # 14,18,19 Problema opcional para alunos de matemática que REALMENTE querem entender NJ: # 24
  • 15/02 leia o início do Capítulo 6
  • 2/17 ler 6.2 Seção 6.5 # 1-6,9 problemas adicionais para estudantes de matemática # 7,10,16,17
  • 2/19 leitura 6.3 Seção 6.5 # 12,13,22 problemas adicionais para alunos de matemática # 18,19,24,25
  • 22/2 ler 6,4
  • 2/24 ler 7.1 seção 6.5 # 14,15,30a e seção 7.4 # 1,2,3 problemas adicionais para alunos de matemática seção 6.5 # 27,29,30b
  • 2/26 ler 7.3 seção 7.4 # 5,9 problemas adicionais para alunos de matemática # 4,10,13
  • 29/2 ler a seção 8.1
  • 3/2 leia a seção 8.3, seção 8.5, # 3,5,11 problemas adicionais para alunos de matemática # 1,7
  • 3/4 lida até o final do capítulo 8, Seção 8.5, # 12 problemas adicionais para alunos de matemática # 13
  • 3/7 lido no Capítulo 9
  • 3/9 lido no Capítulo 9
  • Prova intermediária de 11/3 (até o Capítulo 8)
  • FÉRIAS DE PRIMAVERA
  • 21/03 lida até o final do Capítulo 9 Proposta de projeto de uma página com vencimento em 28/03
  • 23/03 leia a Seção 10.1 Seção 9.7, # 3,4,7 problemas adicionais para alunos de matemática # 8,11,12
  • 3/25 leia a Seção 10.2
  • 28/03 leia a Seção 10.3
  • 3/30 leia o restante do Capítulo 10 Seção 10.5, # 1,3,4 problemas adicionais para alunos de matemática # 6,7,8
  • Seleção do modelo 4/1 - não nas notas
  • 4/4 começar a ler o Capítulo 11
  • 4/6 leia o restante do Capítulo 11 Seção 11.7, # 2,3 problema adicional para alunos de matemática, # 4,5
  • 4/8 comece a ler o Capítulo 12
  • 4/11; leia a Seção 12.2
  • 4/13 leia a Seção 12.3 Seção 12.5, # 1 (alunos de biologia usam exemplo começando na página 175, alunos de matemática usam exemplo começando na parte inferior de 176), 2,3 problemas adicionais para alunos de matemática # 5,6
  • 15/4 comece a ler o Capítulo 13
  • 18/4 continue lendo o Capítulo 13
  • 20/04 continue lendo o Capítulo 13 Seção 13.6, # 3,8,9 problemas adicionais para alunos de matemática # 2,4,5,6,10 (SEXTA-FEIRA, 29/04)
  • 22/04 FEST DA PRIMAVERA - sem aula
  • 4/25
  • 4/27
  • 4/29
  • 2/5 último dia de aula
  • 5/3 EXAME: 10h15 - 12h15
  • 5/5 Último dia para entregar PROJETOS


LSAT 1 - Seção 2 - Jogo 1

Lamentamos informar que, devido a forças além do nosso controle, esses vídeos explicativos da LG não estão mais disponíveis gratuitamente. Para obter mais informações, consulte 7Sage Forum ou Reddit.

O conjunto completo de vídeos explicativos da LG está disponível apenas para alunos com LSAT Ultimate +.

Você precisa do LSAT Ultimate + para ver este vídeo. Inscreva-se agora e comece em menos de um minuto.

Primeira frase da pergunta: Exatamente seis representantes comerciais negociam um tratado: Klosnik, Londi, Manley, Neri, Osata, Poirier. Existem exatamente seis cadeiras uniformemente espaçadas em torno de uma mesa circular.

Palavras-chave da pergunta: seis, comércio, representantes, negociar, tratado, Klosnik, Londi, Manley, Neri, Osata, Poirier, cadeiras, uniformemente, espaçadas, circular, mesa, 1, 2, 3, 4, 5, 6

Estes são os dados da pergunta do 7Sage LSAT Scorer. Você pode pontuar seus LSATs, rastrear seus resultados e analisar seu desempenho com gráficos bonitos e estatísticas vitais - tudo com uma conta gratuita e registrar-se em menos de 10 segundos

A barra cinza se estende desde a pontuação para uma chance de 25% até a pontuação para uma chance de 75% de acertar a pergunta. A linha preta no meio é a pontuação de 50% de chance de acertar a pergunta.

A porcentagem à direita é a chance esperada de alguém com a mesma pontuação que você naquele PrepTest acertar a pergunta


NCFE Nível 1 Qualificação de Habilidades Funcionais em Matemática

O objetivo da qualificação de Nível 1 de Habilidades Funcionais de Matemática é demonstrar habilidades matemáticas no nível apropriado e a capacidade de aplicar o pensamento matemático de forma eficaz para resolver problemas com sucesso no local de trabalho e em outras situações da vida real.

Para quem é adequado?

Esta qualificação é adequada para alunos que estudam o seguinte:

• Estágios
• Estágios
• Alternativa para GCSE
• Níveis T
• Como uma qualificação independente

Requisitos de entrada:

Não há requisitos de pré-entrada para esta qualificação e nenhum requisito de idade mínima foi definido para o registro.

Estrutura de qualificação:

Esta qualificação tem uma avaliação externa dividida em 2 seções.

• Seção A: A seção não calculadora
• Seção B: A seção da calculadora

Avaliação online:

A avaliação online está disponível para esta qualificação, e as avaliações online ao vivo agora podem ser reservadas. Visite nossa página de Avaliação Online para mais informações.

Avaliações de amostra agora podem ser agendadas em nossa plataforma Surpass. Você também pode encontrar um link para uma demonstração de avaliação online para esta qualificação aqui.

Invigilação remota:

Os alunos agora podem concluir avaliações externas on-line / na tela em casa usando nossa solução de vigilância remota. Também conhecida como supervisão remota, a vigilância remota permite que um aluno seja observado por meio de links de áudio e visuais ao completar sua avaliação externa online / na tela em casa.

NCFE oferece uma solução de vigilância remota para todas as nossas avaliações externas de habilidades funcionais de nível 1 e 2. Descubra como obter aprovação aqui.


7.1: Seção 2- - Matemática

Como na 6ª série, os alunos começam a 7ª série estudando desenhos em escala, um tópico geométrico envolvente que apóia o trabalho subsequente sobre relações proporcionais na segunda e na quarta unidades. Também faz uso da habilidade e compreensão aritmética de 6ª série, sem que a aritmética se torne o principal foco de atenção neste momento. A geometria e as relações proporcionais também estão entrelaçadas na terceira unidade nos círculos, onde a importante relação proporcional entre a circunferência de um círculo e seu diâmetro é estudada. No momento em que os alunos chegam à quinta unidade em operações com números racionais, tanto positivos quanto negativos, os alunos tiveram tempo para aprimorar e solidificar sua compreensão e habilidade na aritmética da 6ª série. O trabalho sobre operações com números racionais, com sua ênfase no papel das propriedades das operações na determinação das regras para operar com números negativos, é uma introdução natural para o trabalho com expressões e equações na próxima unidade. Os alunos então colocam suas habilidades aritméticas e algébricas para trabalhar nas duas últimas unidades, em ângulos, triângulos e prismas, e em probabilidade e amostragem.

Unidade 1: Desenhos em escala

Trabalhe com desenhos em escala na 7ª série, em trabalhos anteriores com geometria e medição geométrica. Os alunos começaram a aprender sobre as formas bidimensionais e tridimensionais no jardim de infância e continuaram esse trabalho na 1ª e 2ª séries, compondo, decompondo e identificando formas. O trabalho dos alunos com a medição geométrica começou com o comprimento e continuou com a área. Os alunos aprenderam a “estruturar o espaço bidimensional”, isto é, a ver um retângulo com comprimentos laterais de números inteiros como uma matriz de quadrados unitários, ou linhas ou colunas de quadrados unitários. Na 3ª série, os alunos distinguiram entre perímetro e área. Eles conectaram a área do retângulo com a multiplicação, entendendo por que (para comprimentos laterais de número inteiro) multiplicar os comprimentos laterais de um retângulo resulta no número de quadrados unitários que formam o retângulo. Eles usaram diagramas de área para representar instâncias da propriedade distributiva. Na 4ª série, os alunos aplicaram fórmulas de área e perímetro para retângulos para resolver problemas matemáticos e do mundo real e aprenderam a usar transferidores. Na 5ª série, os alunos estenderam a fórmula para a área de um retângulo para incluir retângulos com comprimentos laterais fracionários. Na 6ª série, os alunos construíram seus conhecimentos de geometria e medição geométrica para produzir fórmulas para as áreas de paralelogramos e triângulos, usando essas fórmulas para encontrar áreas de superfície de poliedros.

Nesta unidade, os alunos estudam cópias em escala de imagens e figuras planas e, em seguida, aplicam o que aprenderam a desenhos em escala, por exemplo, mapas e plantas baixas. Isso fornece preparação geométrica para trabalho de 7ª série em relações proporcionais, bem como trabalho de 8ª série em dilatações e semelhanças.

Os alunos começam olhando para as cópias de uma imagem, algumas das quais estão em escala e outras não. Eles usam suas próprias palavras para descrever o que diferencia as cópias em escala de uma imagem. Conforme a unidade avança, os alunos aprendem que todos os comprimentos em uma cópia em escala são multiplicados por um fator de escala e todos os ângulos permanecem os mesmos. Eles desenham cópias em escala de figuras. Eles aprendem que se o fator de escala for maior que 1, a cópia será maior e se o fator de escala for menor que 1, a cópia será menor. Eles estudam como a área muda em cópias em escala de uma imagem.

Em seguida, os alunos estudam desenhos em escala. Eles vêem que os princípios e estratégias que usaram para raciocinar sobre cópias em escala de figuras podem ser usados ​​com desenhos em escala. Eles interpretam e desenham mapas e plantas baixas. Eles trabalham com escalas que envolvem unidades (por exemplo, "1 cm representa 10 km") e escalas que não incluem unidades (por exemplo, "a escala é de 1 a 100"). Eles aprendem a expressar escalas com unidades como escalas sem unidades e vice-versa. Eles entendem que os comprimentos reais são produtos de um fator de escala e comprimentos correspondentes no desenho da escala, portanto, os comprimentos no desenho são o produto dos comprimentos reais e o recíproco desse fator de escala. Eles estudam a relação entre regiões e comprimentos em desenhos em escala. Ao longo da unidade, eles discutem suas ideias matemáticas e respondem às ideias de outros (MP3, MP6). Na lição culminante desta unidade, os alunos fazem uma planta da sala de aula ou de alguma outra sala ou espaço da escola. É uma oportunidade para eles aplicarem o que aprenderam na unidade no dia a dia (MP4).

Na unidade, vários planos de aula sugerem que cada aluno tenha acesso a um kit de ferramentas de geometria. Cada kit de ferramentas contém papel vegetal, papel quadriculado, lápis de cor, tesoura, régua centimétrica, transferidor (transferidores transparentes sem orifícios que mostram linhas radiais são recomendados) e um cartão de índice para usar como régua ou para marcar ângulos retos. Fornecer aos alunos esses kits de ferramentas oferece oportunidades para que eles desenvolvam habilidades para selecionar ferramentas adequadas e usá-las estrategicamente para resolver problemas (MP5). Observe que mesmo os alunos em uma sala de aula digitalmente aprimorada devem ter acesso a tais aplicativos de ferramentas e as simulações devem ser consideradas adições aos seus kits de ferramentas, não substituições de ferramentas físicas.

Observe que o estudo de cópias em escala é limitado a pares de figuras que têm a mesma rotação e orientação de espelho (ou seja, que não são rotações ou reflexos entre si), porque a unidade se concentra em escala, fatores de escala e desenhos em escala. Na 8ª série, os alunos ampliarão seus conhecimentos sobre cópias em escala ao estudar traduções, rotações, reflexões e dilatações.

Progressão da linguagem disciplinar

Nesta unidade, os professores podem antecipar o uso da linguagem pelos alunos para fins matemáticos, como representação, generalização e explicação. Ao longo da unidade, os alunos se beneficiarão de rotinas projetadas para desenvolver uma linguagem disciplinar robusta, tanto para fazer sentido como para construir um entendimento compartilhado com os colegas. Os professores podem avaliar formativamente como os alunos estão usando a linguagem dessas maneiras, especialmente quando os alunos estão usando a linguagem para:

  • uma cópia em escala para um determinado fator de escala (Lições 3 e 5)
  • distâncias usando escalas diferentes (Lição 11)
  • características relevantes de uma sala de aula com um desenho em escala (Lição 13)
  • sobre distâncias e ângulos correspondentes em cópias em escala (Lição 4)
  • sobre fatores de escala maiores, menores e iguais a 1 (Lição 5)
  • sobre fatores de escala e área (Lições 6 e 10)
  • sobre fatores de escala com e sem unidades (Lição 12)
  • como usar desenhos em escala para encontrar distâncias reais (Lições 7 e 11)
  • como usar desenhos em escala para encontrar distâncias reais, velocidade e tempo decorrido (Lição 8)
  • como usar desenhos em escala para encontrar áreas reais (Lição 12)

Além disso, espera-se que os alunos descrevam os recursos das cópias em escala, justifiquem e critiquem o raciocínio sobre as cópias em escala e comparem como as diferentes escalas afetam os desenhos. Ao longo da unidade, os professores podem apoiar a compreensão matemática dos alunos, ampliando (não simplificando) a linguagem usada para todos esses fins à medida que os alunos demonstram e desenvolvem ideias.

A tabela mostra lições onde a nova terminologia é introduzida pela primeira vez, incluindo quando se espera que os alunos entendam a palavra ou frase de forma receptiva e quando se espera que os alunos produzam a palavra ou frase em sua própria fala ou escrita. Os termos do glossário aparecem em negrito. Os professores devem continuar a apoiar o uso de um novo termo pelos alunos nas aulas que se seguem, onde ele foi introduzido pela primeira vez.

lição nova terminologia
receptivo produtivo
7.1.1 cópia em escala
original
polígono 7.1.2 correspondente
fator de escala

figura
segmento 7.1.4 quadrilátero
medição
distância correspondente
fator de escala

original 7.1.5 recíproca 7.1.6 área
unidimensional
bidimensional quadrado 7.1.7 desenho de escala
escala

representar
real
tridimensional cópia em escala 7.1.8 estimativa
viajar por
velocidade constante escala 7.1.9 planta 7.1.10 apropriado
dimensão real
representar 7.1.11 escala sem unidades
___ para ___ desenho de escala 7.1.12 escalas equivalentes ___ para ___

Unidade 2: Apresentando relacionamentos proporcionais

Nesta unidade, os alunos desenvolvem a ideia de uma relação proporcional a partir da ideia de proporções equivalentes da 6ª série. As relações proporcionais preparam o caminho para o estudo das funções lineares na 8ª série.

Na 6ª série, os alunos aprenderam duas maneiras de analisar proporções equivalentes. Primeiro, se você multiplicar ambos os valores em uma proporção (a: b ) pelo mesmo número positivo (s ) (chamado de fator de escala), você obterá uma proporção equivalente (sa: sb ). Em segundo lugar, duas proporções são equivalentes se tiverem o mesmo taxa unitária. Uma taxa unitária é o "valor por 1" em uma proporção em que a proporção (a: b ) é equivalente a ( frac: 1 ), e ( frac) é uma taxa unitária que fornece a quantidade da primeira quantidade por unidade da segunda quantidade. Você também pode falar sobre a quantidade da segunda quantidade por unidade da primeira quantidade, que é a taxa unitária ( frac), vindo da proporção equivalente (1: frac) .

Em uma tabela de proporções equivalentes, uma relação multiplicativa entre o par de linhas é fornecida por um fator de escala. Em contraste, a relação multiplicativa entre as colunas é dada por uma taxa unitária. Cada número na segunda coluna é obtido multiplicando o número correspondente na primeira coluna por uma das taxas unitárias, e cada número na primeira coluna é obtido multiplicando o número na segunda coluna pela outra taxa unitária. A relação entre pares de valores nas duas colunas é chamada de relação proporcional, a taxa unitária que descreve esta relação é chamada de constante de proporcionalidade, e a quantidade representada pela coluna da direita é considerada proporcional a a quantidade representada pela esquerda. (Embora uma relação proporcional entre duas quantidades representadas por (a ) e (b ) esteja associada com dois constantes de proporcionalidade, ( frac) e ( frac), em toda a unidade, a convenção é se (a ) e (b ) estiverem, respectivamente, nas colunas esquerda e direita de uma tabela, então ( frac) é a constante de proporcionalidade para a relação representada pela tabela.)

Por exemplo, se uma pessoa corre a uma velocidade constante e viaja 12 milhas em 2 horas, então a distância percorrida é proporcional ao tempo decorrido, com constante de proporcionalidade 6, porque ( displaystyle text = 6 boldcdot text

Como esta unidade se concentra em entender o que é uma relação proporcional, como ela é representada e quais tipos de contextos dão origem a relações proporcionais, os contextos foram cuidadosamente escolhidos. As primeiras tarefas na unidade empregam contextos como porções de comida, receitas, velocidade constante e conversão de medidas, que devem ser familiares aos alunos do curso da 6ª série. Esses contextos são revisitados em toda a unidade à medida que novos aspectos das relações proporcionais são introduzidos.

Associados aos contextos do curso da 6ª série estão as unidades derivadas: milhas por hora, metros por segundo, dólares por libra ou centavos por minuto. Nesta unidade, os alunos constroem suas experiências da 6ª série no trabalho com uma variedade mais ampla de unidades derivadas, como xícaras de farinha por colher de sopa de mel, cachorros-quentes comidos por minuto e centímetros por milímetro. As tarefas nesta unidade evitam a discussão de erros de medição e variabilidade estatística, que serão abordadas em unidades posteriores.

Sobre o uso dos termos quantidade, proporção, relação proporcional, taxa unitária e fração. Nestes materiais, um quantidade é uma medida que é ou pode ser especificada por um número e uma unidade, por exemplo, 4 laranjas, 4 centímetros, "minha altura em pés" ou "minha altura" (com o entendimento de que uma unidade de medida precisará ser escolhida , MP6). O termo Razão é usado para significar um tipo de associação entre duas ou mais quantidades. UMA relação proporcional é uma coleção de proporções equivalentes.

Na 6ª a 8ª série, os alunos escrevem taxas sem unidades abreviadas, por exemplo, “3 milhas por hora” ou “3 milhas a cada 1 hora”. Uso de notação para unidades derivadas como ( frac < text> < text


> ) aguarda o ensino médio - exceto para os casos especiais de área e volume. Os alunos têm trabalhado com área desde a 3ª série e com volume desde a 5ª série. Antes da 6ª série, eles aprenderam o significado de coisas como cm quadrados e cm cúbicos. Depois que os alunos aprendem a notação de expoentes na 6ª série, eles também usam ( text ^ 2 ) e ( text ^ 3 ).

UMA fração é um ponto na reta numérica que pode ser localizado dividindo o segmento entre 0 e 1 em partes iguais e, em seguida, encontrando um ponto que está a um número inteiro dessas partes de 0. Uma fração pode ser escrita na forma ( frac ab ) ou como um decimal.

Progressão da linguagem disciplinar

Nesta unidade, os professores podem antecipar o uso da linguagem pelos alunos para fins matemáticos, como comparação, interpretação e generalização. Ao longo da unidade, os alunos se beneficiarão de rotinas projetadas para desenvolver uma linguagem disciplinar robusta, tanto para fazer seu próprio sentido quanto para construir um entendimento compartilhado com os colegas. Os professores podem avaliar formativamente como os alunos estão usando a linguagem dessas maneiras, especialmente quando os alunos estão usando a linguagem para:

  • misturas de bebidas e figuras (Lição 1)
  • abordagens para resolver problemas envolvendo relações proporcionais (Lição 6)
  • relacionamentos proporcionais com relacionamentos não proporcionais (Lição 8)
  • tabelas, descrições e gráficos que representam as mesmas situações (Lição 10)
  • gráficos de relações proporcionais (Lição 12)
  • representações mostrando proporções equivalentes (Lição 1)
  • tabelas mostrando proporções equivalentes (Lição 2)
  • situações envolvendo relações proporcionais (Lição 6 e 9)
  • como um gráfico representa as características de uma situação (Lição 11)
  • sobre relações proporcionais (Lição 4)
  • sobre equações que representam relações proporcionais (Lição 5)
  • sobre como uma constante de proporcionalidade é representada por gráficos e tabelas (Lição 13)

Além disso, os alunos devem descrever relações proporcionais e constantes de proporcionalidade, explicar como determinar se uma relação é ou não proporcional e como comparar e representar situações com diferentes constantes de proporcionalidade, justificar se uma relação é ou não proporcional e representar relações proporcionais e não proporcionais de várias maneiras.

A tabela mostra lições onde a nova terminologia é introduzida pela primeira vez, incluindo quando se espera que os alunos entendam a palavra ou frase de forma receptiva e quando se espera que os alunos produzam a palavra ou frase em sua própria fala ou escrita. Os termos do glossário aparecem em negrito. Os professores devem continuar a apoiar o uso de um novo termo pelos alunos nas aulas que se seguem, onde ele foi introduzido pela primeira vez.

lição nova terminologia
receptivo produtivo
7.2.1 proporções equivalentes
7.2.2 constante de proporcionalidade
relação proporcional

valor
proporções equivalentes
fileira
coluna
7.2.3 ___ é proporcional a ___
relacionar
constante
recíproca
por
7.2.4 equação
quociente
___ é proporcional a ___
7.2.5 estável
situação
7.2.6 equação
quociente
7.2.7 constante de proporcionalidade
relação proporcional
7.2.8 constante
7.2.10 origem
plano de coordenadas

enredo
7.2.11 quantidade
eixos
coordenadas
7.2.13 (x ) -coordenar
(y ) -coordenar
origem
7.2.14 eixos
7.2.15 razoável

Unidade 3: Círculos de Medição

Nesta unidade, os alunos ampliam seus conhecimentos sobre círculos e medidas geométricas, aplicando seus conhecimentos sobre relações proporcionais ao estudo de círculos. Eles estendem seu trabalho de grau 6 com perímetros de polígonos para circunferências de círculos, e reconhecem que a circunferência de um círculo é proporcional ao seu diâmetro, com constante de proporcionalidade ( pi ). Eles encontram derivações informais da relação entre área, circunferência e raio.

A unidade começa com atividades destinadas a ajudar os alunos a compreenderem com mais precisão as características de um círculo (MP6): um “círculo” é o conjunto de pontos que estão igualmente distantes de um ponto denominado “centro” do diâmetro de um círculo é um segmento de linha que passa por seu centro com pontos finais no círculo o raio é um segmento de linha com um ponto final no círculo e um ponto final no centro. Os alunos identificam essas características em uma variedade de contextos (MP2). Eles usam bússolas para desenhar círculos com determinados diâmetros ou raios e para copiar desenhos que envolvem círculos. Usando sua familiaridade recentemente adquirida com circunferência e diâmetro, os alunos medem objetos circulares, investigando a relação entre as medidas de circunferência e diâmetro por meio de tabelas e gráficos.

A segunda seção envolve área. Os alunos encontram duas derivações informais do fato de que a área de um círculo é igual a ( pi ) vezes o quadrado do seu raio. O primeiro envolve dissecar um disco em setores e reorganizá-los para formar uma forma que se aproxime de um paralelogramo de altura (r ) e largura (2 pi r ). Um segundo argumento envolve considerar um disco como formado por anéis concêntricos, “cortando” os anéis com um raio e “abrindo” os anéis para formar uma forma que se aproxima de um triângulo isósceles de altura (r ) e base (2 pi boldcdot 2r ).

Na terceira e última seção, os alunos selecionam e usam fórmulas para a área e a circunferência de um círculo para resolver problemas abstratos e reais que envolvem o cálculo de comprimentos e áreas. Eles expressam medidas em termos de ( pi ) ou usando aproximações apropriadas de ( pi ) para expressá-las numericamente. Na 8ª série, eles usarão e ampliarão seus conhecimentos sobre círculos e raios no início de uma unidade sobre dilatações e semelhanças.

Sobre o uso do termo círculo. Estritamente falando, um círculo é unidimensional - o limite de uma região bidimensional, e não a própria região. Como ainda não se espera que os alunos façam essa distinção, esses materiais se referem às regiões circulares (ou seja, discos) e aos limites dos discos como "círculos", usando ilustrações para eliminar a ambigüidade.

Progressão da linguagem disciplinar

Nesta unidade, os professores podem antecipar o uso da linguagem pelos alunos para fins matemáticos, como generalizar, justificar e interpretar. Ao longo da unidade, os alunos se beneficiarão de rotinas projetadas para desenvolver uma linguagem disciplinar robusta, tanto para fazer seu próprio sentido quanto para construir um entendimento compartilhado com os colegas. Os professores podem avaliar formativamente como os alunos estão usando a linguagem dessas maneiras, especialmente quando os alunos estão usando a linguagem para:

  • sobre categorias para classificar círculos (Lição 2)
  • sobre a relação entre circunferência e diâmetro (Lição 3)
  • sobre circunferência e rotação (Lição 5)
  • sobre a relação entre o raio e a área de um círculo (Lição 8)
  • raciocínio sobre circunferência e perímetro (Lição 4)
  • estimativas para as áreas dos círculos (Lição 7)
  • raciocínio sobre áreas de figuras curvas (Lição 9)
  • raciocínio sobre o custo dos vitrais (Lição 11)
  • situações envolvendo círculos (Lições 5 e 8)
  • plantas baixas e mapas (Lição 6)
  • situações envolvendo circunferência e área (Lição 10)

Além disso, os alunos devem criticar o raciocínio sobre círculos e medidas de círculo, explicar o raciocínio, inclusive sobre diferentes aproximações de pi, e descrever características de gráficos e de círculos desconstruídos.

A tabela mostra lições onde a nova terminologia é introduzida pela primeira vez, incluindo quando se espera que os alunos entendam a palavra ou frase de forma receptiva e quando se espera que os alunos produzam a palavra ou frase em sua própria fala ou escrita. Os termos do glossário aparecem em negrito. Os professores devem continuar a apoiar o uso de um novo termo pelos alunos nas aulas que se seguem, onde ele foi introduzido pela primeira vez.

lição nova terminologia
receptivo produtivo
7.3.1 relação
perímetro
7.3.2 raio
diâmetro
circunferência

centro (de um círculo)
círculo
7.3.3 pi
7.3.4 meio círculo
rotação
aproximação
7.3.5 diâmetro
circunferência
pi

viajar por
7.3.6 aproximado
estimativa
7.3.7 área de um círculo
7.3.8 quadrado
Fórmula
raio
área de um círculo
7.3.10 quadrado
centro (de um círculo)
Fórmula
7.3.11 Projeto

Unidade 4: Relações Proporcionais e Percentuais

Os alunos começaram seu trabalho com proporções, taxas e taxas de unidade na 6ª série, representando-os com expressões, diagramas de fita, diagramas de linha de número duplo e tabelas. Eles usaram isso para raciocinar sobre situações envolvendo misturas de cores, receitas, preço unitário, descontos, velocidade constante e conversões de medidas. Eles ampliaram seu entendimento de taxas para incluir porcentagens como taxas por 100, raciocinando sobre situações envolvendo porcentagens de números inteiros. Eles não usaram os termos “proporção” e “relação proporcional” na 6ª série.

Uma relação proporcional é uma coleção de proporções equivalentes, e tais coleções são objetos de estudo na 7ª série. Nas unidades da 7ª série anterior, os alunos trabalharam com fatores de escala e desenhos de escala, e com relações proporcionais e constantes de proporcionalidade. Embora os alunos tenham aprendido a calcular quocientes de frações na 6ª série, essas primeiras unidades sobre escala e relações proporcionais não exigem tais cálculos, permitindo que o novo conceito (escala ou relação proporcional) seja o foco principal.

Nesta unidade, os alunos aprofundam sua compreensão de razões, fatores de escala, taxas de unidade (também chamadas de constantes de proporcionalidade) e relações proporcionais, usando-os para resolver problemas de várias etapas que são definidos em uma ampla variedade de contextos que envolvem frações e porcentagens .

Na primeira seção da unidade, os alunos estendem o uso de proporções e taxas para problemas que envolvem o cálculo de quocientes de frações e a interpretação desses quocientes em contextos como dimensionar uma imagem ou correr em velocidade constante (MP2). Eles usam divisão longa para escrever as frações apresentadas na forma ( frac a b ) como decimais, por exemplo, ( frac <11> <30> = 0,3 overline6 ).

A seção começa revisitando os fatores de escala e as relações proporcionais, cada um dos quais foi o foco de uma unidade anterior. Ambos os conceitos podem ser usados ​​para resolver problemas que envolvem proporções equivalentes. No entanto, muitas vezes é mais eficiente visualizar proporções equivalentes como pares que estão na mesma relação proporcional em vez de ver um par obtido pela multiplicação de ambas as entradas do outro por um fator de escala. Do ponto de vista da escala, para ver que uma razão é equivalente a outra ou para gerar uma razão equivalente a uma dada razão, é necessário um fator de escala - que pode ser diferente para cada par de razões na relação proporcional. Da perspectiva do relacionamento proporcional, tudo o que é necessário é a constante de proporcionalidade - que é a mesma para todas as razões no relacionamento proporcional.

A segunda seção da unidade é de cerca de aumento e diminuição percentuais. Os alunos consideram situações para as quais as porcentagens podem ser usadas para descrever uma mudança em relação a um valor inicial, por exemplo, preços antes e depois de um aumento de 25%. Eles começam considerando situações com quantidades não especificadas, por exemplo, combinando diagramas de fita com declarações como "Em comparação com a colheita de morango do ano passado, a colheita de morango deste ano aumentou 25%". Em seguida, eles consideram as situações com uma quantidade especificada e mudança percentual, ou com valores iniciais e finais, usando diagramas de linha de número duplo para encontrar a quantidade desconhecida ou mudança percentual. Em seguida, eles usam equações para representar tais situações, usando a propriedade distributiva para mostrar que diferentes expressões para a mesma quantidade são equivalentes, por exemplo, (x - 0,25x = 0,75x ). Até agora, a mudança percentual nesta seção se concentrou nas taxas de número inteiro por 100, por exemplo, 75%. A última lição pede aos alunos que calculem percentagens fracionárias de determinados valores.

Na terceira seção da unidade, os alunos começam usando suas habilidades para encontrar porcentagens e taxas percentuais para resolver problemas que envolvem imposto sobre vendas, gorjeta, desconto, markup, markdown e comissão (MP2). As lições restantes da seção continuam o foco em situações que podem ser descritas em termos de porcentagens, mas as situações envolvem erro em vez de mudança - descrevendo um valor incorreto como uma porcentagem do valor correto em vez de descrever um valor inicial como uma porcentagem de um valor final (ou vice-versa).

A última seção da unidade consiste em uma lição em que os alunos analisam itens de notícias que envolvem aumento ou diminuição percentual. Em pequenos grupos, os alunos identificam quantidades importantes em uma situação descrita em uma notícia, usam diagramas para mapear a relação das quantidades e raciocinam matematicamente para tirar conclusões (MP4). Esta é uma oportunidade para escolher um tipo apropriado de diagrama (MP5), para declarar os significados dos símbolos usados ​​no diagrama, para especificar unidades de medida e para rotular o diagrama com precisão (MP6). Cada grupo cria um display para comunicar seu raciocínio e critica o raciocínio mostrado em displays de outros grupos (MP3).

Esses materiais seguem convenções específicas para o uso da linguagem em torno de proporções, taxas e relações proporcionais. Consulte a narrativa da unidade da segunda unidade para ler sobre essas convenções.

Progressão da linguagem disciplinar

Nesta unidade, os professores podem antecipar o uso da linguagem pelos alunos para fins matemáticos, como interpretação, explicação e representação. Ao longo da unidade, os alunos se beneficiarão de rotinas projetadas para desenvolver uma linguagem disciplinar robusta, tanto para fazer seu próprio sentido quanto para construir um entendimento compartilhado com os colegas. Os professores podem avaliar formativamente como os alunos estão usando a linguagem dessas maneiras, especialmente quando os alunos estão usando a linguagem para:

  • situações envolvendo velocidade constante (Lição 2)
  • problemas concretos envolvendo aumento e diminuição percentual (Lição 7)
  • problemas envolvendo imposto sobre vendas e gorjeta (Lição 10)
  • situações concretas envolvendo erro percentual (Lição 14)
  • como resolver problemas concretos e abstratos envolvendo um valor mais (ou menos) uma fração desse valor (Lição 4)
  • como resolver problemas de alteração percentual (Lição 6)
  • estratégias para resolver problemas de porcentagem com porcentagens fracionárias (Lição 9)
  • como medir comprimentos e interpretar o erro de medição (Lição 13)
  • estratégias para resolver problemas de porcentagem de erro (Lição 14)
  • situações envolvendo aumento e diminuição percentual (Lição 8)
  • situações com porcentagem de erro (Lição 15)
  • situações das notícias envolvendo mudança percentual (Lição 16)

Além disso, espera-se que os alunos comparem medidas, fatores de escala e representações decimais e fracionárias, comparem representações de um aumento (ou diminuição) de uma quantidade por uma fração ou decimal, generalizem sobre o uso de constantes de proporcionalidade para resolver problemas de forma eficiente e sobre relacionamentos com o percentual de aumento e diminuição, e justificar por que informações específicas são necessárias para resolver problemas de alteração de percentual.

A tabela mostra lições onde a nova terminologia é introduzida pela primeira vez, incluindo quando se espera que os alunos entendam a palavra ou frase de forma receptiva e quando se espera que os alunos produzam a palavra ou frase em sua própria fala ou escrita. Os termos do glossário aparecem em negrito. Os professores devem continuar a apoiar o uso de um novo termo pelos alunos nas aulas que se seguem, onde ele foi introduzido pela primeira vez.

lição nova terminologia
receptivo produtivo
7.4.1 percentagem
7.4.2 taxa unitária
7.4.4 (uma fração) mais do que
(uma fração) menor que
quantidade inicial / original
valor final / novo
diagrama de fita
propriedade distributiva
7.4.5 repetindo decimal
divisão longa

representação decimal
7.4.6 aumento percentual
diminuição percentual
(uma fração) mais do que
(uma fração) menor que
7.4.7 desconto quantidade inicial / original
valor final / novo
7.4.10 imposto sobre vendas
taxa de imposto
gorjeta
aumento percentual
7.4.11 interesse
comissão
marcação
remarcação
diminuição percentual
7.4.12 percentagem
desconto
7.4.13 erro de medição
7.4.14 erro percentual
temperatura
graus Fahrenheit

Unidade 5: Aritmética de Número Racional

Na 6ª série, os alunos aprenderam que os números racionais compreendem frações positivas e negativas. Eles traçaram números racionais na reta numérica e pares de números racionais no plano de coordenadas. Nesta unidade, os alunos estendem as operações de adição, subtração, multiplicação e divisão de frações para todos os números racionais, escritos como decimais ou na forma ( frac a b ).

A unidade começa revisitando ideias familiares da 6ª série: como os números com sinais são usados ​​para representar quantidades como medições de temperatura e elevação, opostos (pares de números na reta numérica que estão à mesma distância de zero) e valor absoluto.

Na segunda seção da unidade, os alunos estendem adição e subtração de frações a todos os números racionais. Eles começam considerando como as mudanças na temperatura e elevação podem ser representadas - primeiro com tabelas e diagramas de linha numérica, depois com expressões de adição e subtração e equações. Inicialmente, os contextos físicos fornecem significados para somas e diferenças que incluem números negativos. Os alunos trabalham com expressões e equações de adição e subtração numérica, tornando-se mais fluentes no cálculo de somas e diferenças de números com sinais. Usando os significados que desenvolveram para adição e subtração de números com sinal, eles escrevem expressões de adição e subtração numéricas equivalentes, por exemplo, ( text-8 + text-3 ) e ( text-8 - 3 ) e eles escrevem equações diferentes que expressam a mesma relação.

A terceira seção da unidade concentra-se na multiplicação e divisão. Ele começa com problemas sobre posição, direção, velocidade constante e velocidade constante em que os alunos representam quantidades com diagramas de linha numérica e tabelas de expressões numéricas com números com sinais. Isso permite que produtos de números com sinais sejam interpretados em termos de posição e direção, usando o entendimento de que os números que são inversos aditivos estão localizados na mesma distância, mas em lados opostos do ponto de partida. Esses exemplos ilustram como a multiplicação de como a multiplicação de frações se estende aos números racionais. A terceira lição desta seção se concentra em produtos de computação de números assinados e é opcional. Na quarta lição, os alunos usam a relação entre multiplicação e divisão para entender como a divisão se estende aos números racionais. No processo de resolução de problemas definidos em contextos (MP4), eles escrevem e resolvem equações de multiplicação e divisão.

Na quarta seção da unidade, os alunos trabalham com expressões que utilizam as quatro operações sobre números racionais, fazendo uso de estrutura (MP7), por exemplo, para ver sem calcular que o produto de dois fatores é positivo porque os valores dos fatores são ambos negativos. Eles estendem o uso da notação "próximo a" (que eles usaram em expressões como (5x ) e (6 (3 + 2) ) na série 6) para incluir números negativos e produtos de números, por exemplo, escrita ( text-5x ) e (( text-5) ( text-10) ) em vez de (( text-5) boldcdot (x) ) e (( text- 5) boldcdot ( text-10) ). Eles estendem o uso da barra de fração para incluir variáveis, bem como números, escrevendo (< text-8.5> div) bem como ( frac < text-8.5>). Eles resolvem problemas que envolvem a interpretação de números negativos no contexto, por exemplo, quando um número negativo representa uma taxa na qual a água está fluindo (MP2).

Na quinta seção da unidade, os alunos começam a trabalhar com equações lineares em uma variável que tem coeficientes de número racionais. O foco desta seção é representar situações com equações (MP4) e o que significa um número ser uma solução para uma equação, em vez de métodos para resolver equações. Esses métodos são o foco de uma unidade posterior.

A última seção da unidade é uma lição em que os alunos usam números racionais no contexto de situações de mercado de ações, encontrando valores de quantidades como o valor de uma carteira ou alterações devido a juros e depreciação (MP4).

Observação. Nestes materiais, um expressão é construído a partir de números, variáveis, símbolos de operação ( (+ ), (- ), ( cdot ), ( div )), parênteses e expoentes. (Os expoentes - em particular, os expoentes negativos - não são o foco desta unidade. Os alunos trabalham com expoentes inteiros na 8ª série e expoentes não inteiros no ensino médio). equação é uma declaração de que duas expressões são iguais, portanto, sempre tem um sinal de igual. Números assinados inclui todos os números racionais, escritos como decimais ou na forma ( frac a b ).

Progressão da linguagem disciplinar

Nesta unidade, os professores podem antecipar o uso da linguagem pelos alunos para fins matemáticos, como interpretação, representação e generalização. Ao longo da unidade, os alunos se beneficiarão de rotinas projetadas para desenvolver uma linguagem disciplinar robusta, tanto para fazer seu próprio sentido quanto para construir um entendimento compartilhado com os colegas. Os professores podem avaliar formativamente como os alunos estão usando a linguagem dessas maneiras, especialmente quando os alunos estão usando a linguagem para:

  • situações envolvendo números assinados (em toda a Unidade)
  • tabelas com números assinados (Lição 3)
  • extratos bancários com números assinados (Lição 4)
  • adição de números assinados em uma linha numérica (Lição 2)
  • situações envolvendo números assinados (Lições 3 e 11)
  • mudanças na elevação (Lição 6)
  • posição, velocidade e direção (Lição 8)
  • sobre como subtrair e adicionar números com sinais (Lição 5)
  • sobre diferenças e magnitude (Lição 6)
  • sobre a multiplicação de números negativos (Lição 9)
  • sobre inversos aditivos e multiplicativos (Lição 15)

Além disso, espera-se que os alunos justifiquem o raciocínio sobre as distâncias em uma reta numérica e sobre números negativos, saldos de contas e dívidas. Os alunos também devem explicar como determinar mudanças na temperatura, como encontrar informações usando inversos e como modelar situações envolvendo números com sinais.

A tabela mostra lições onde a nova terminologia é introduzida pela primeira vez, incluindo quando se espera que os alunos entendam a palavra ou frase de forma receptiva e quando se espera que os alunos produzam a palavra ou frase em sua própria fala ou escrita. Os termos do glossário aparecem em negrito. Os professores devem continuar a apoiar o uso de um novo termo pelos alunos nas aulas que se seguem, onde ele foi introduzido pela primeira vez.

lição nova terminologia
receptivo produtivo
7.5.1 valor absoluto
graus Celsius
vertical
elevação
nível do mar
número positivo
número negativo
7.5.2 números assinados temperatura
linha numérica
7.5.3 soma
oposto
expressão
7.5.4 depósito
cancelamento

saldo da conta
dívida
7.5.6 diferença distância
7.5.7 valor absoluto
(x ) -coordenar
(y ) -coordenar
7.5.8 velocidade
7.5.11 solução (para uma equação)
fator
7.5.13 número racional soma
diferença
7.5.15 variável
inverso aditivo
multiplicativo inverso
oposto
solução (para uma equação)
7.5.16 Operação
7.5.17 aumentar
diminuir

Unidade 6: Expressões, Equações e Desigualdades

Nesta unidade, os alunos resolvem as equações das formas (px + q = r ) e (p (x + q) = r ), e resolvem as desigualdades relacionadas, por exemplo, as da forma (px + q & gt r ) e (px + q geq r ), onde (p ), (q ) e (r ) são números racionais.

Na primeira seção da unidade, os alunos representam as relações de duas quantidades com diagramas de fita e com equações, e explicam as correspondências entre os dois tipos de representações (MP1). Eles começam examinando as correspondências entre as descrições de situações e os diagramas de fita, depois desenham diagramas de fita para representar situações nas quais a variável que representa o desconhecido é especificada. Em seguida, eles examinam as correspondências entre as equações e os diagramas de fita e, a seguir, desenham diagramas de fita para representar as equações, observando que um diagrama de fita pode ser descrito por equações diferentes (mas relacionadas). No final da seção, eles desenham diagramas em fita para representar situações em que a variável que representa a incógnita não é especificada e, em seguida, combinam os diagramas com as equações. A seção se conclui com um exemplo dos dois principais tipos de situações examinadas, caracterizadas pelo fato de envolverem ou não partes iguais de um montante ou iguais. e partes desiguais de uma quantidade, e conforme representado por equações de diferentes formas, por exemplo, (6 (x + 8) = 72 ) e (6x + 8 = 72 ). Isso inicia um foco em ver dois tipos de estrutura nas situações, diagramas e equações da unidade (MP7).

Na segunda seção da unidade, os alunos resolvem as equações das formas (px + q = r ) e (p (x + q) = r ), em seguida, resolvem os problemas que podem ser representados por tais equações (MP2) . Eles começam considerando "diagramas suspensores" balanceados e não balanceados, combinando diagramas suspensos com equações e usando os diagramas para compreender duas etapas algébricas na resolução de equações da forma (px + q = r ): subtraia o mesmo número de ambos os lados e, em seguida, divida os dois lados pelo mesmo número. Como um diagrama de fita, o mesmo diagrama de gancho balanceado pode ser descrito por diferentes (mas relacionadas) equações, por exemplo, (3x + 6 = 18 ) e (3 (x + 2) = 18 ). A segunda forma sugere o uso das mesmas duas etapas algébricas para resolver a equação, mas na ordem inversa: divida os dois lados pelo mesmo número e, a seguir, subtraia o mesmo número de ambos os lados. Cada uma dessas etapas algébricas e a estrutura associada da equação são ilustradas por diagramas suspensos (MP1, MP7).

Até agora, as situações na seção foram descritas por equações em que (p ) é um número inteiro, e (q ) e (r ) são positivos (e freqüentemente números inteiros). No restante da seção, os alunos usam os métodos algébricos que aprenderam para resolver as equações das formas (px + q = r ) e (p (x + q) = r ) em que (p ), (q ) e (r ) são números racionais. Eles usam a propriedade distributiva para transformar uma equação de uma forma na outra (MP7) e observam como tais transformações podem ser usadas estrategicamente na resolução de uma equação (MP5). Eles escrevem equações para resolver problemas envolvendo aumento e diminuição percentual (MP2).

Na terceira seção da unidade, os alunos trabalham com as desigualdades. Eles começam examinando os valores que tornam uma desigualdade verdadeira ou falsa e usando a reta numérica para representar os valores que tornam uma desigualdade verdadeira. Eles resolvem equações, examinam valores à esquerda e à direita de uma solução e usam esses valores ao considerar a solução de uma desigualdade relacionada. Nas duas últimas lições da seção, os alunos resolvem desigualdades que representam situações do mundo real (MP2).

Na última seção da unidade, os alunos trabalham com expressões lineares equivalentes, usando propriedades de operações para explicar a equivalência (MP3). Eles representam expressões com diagramas de área e usam a propriedade distributiva para justificar a fatoração ou expansão de uma expressão.

Progressão da linguagem disciplinar

Nesta unidade, os professores podem antecipar o uso da linguagem pelos alunos para fins matemáticos, como comparar, explicar e justificar. Ao longo da unidade, os alunos se beneficiarão de rotinas projetadas para desenvolver uma linguagem disciplinar robusta, tanto para fazer seu próprio sentido quanto para construir um entendimento compartilhado com os colegas. Os professores podem avaliar formativamente como os alunos estão usando a linguagem dessas maneiras, especialmente quando os alunos estão usando a linguagem para:

  • histórias com diagramas de fita correspondentes (Lição 2)
  • diagramas de fita com equações correspondentes (Lição 3)
  • diagramas de gancho e equações (Lição 7)
  • caminhos de solução (especialmente Lição 10)
  • descrições de situações com desigualdades correspondentes (Lição 16)
  • estratégias para usar diagramas suspensos para resolver equações (Lição 8)
  • estratégias diferentes para resolver equações (Lição 9) e desigualdades (Lição 14)
  • raciocínio sobre situações, diagramas de fita e equações (Lição 12)
  • estratégias para identificar e escrever expressões equivalentes (Lição 22)
  • raciocínio sobre desigualdades (Lição 13)
  • raciocínio sobre soluções para desigualdades (Lição 15)
  • a necessidade de informações específicas para escrever e resolver desigualdades (Lição 17)
  • raciocínio sobre a propriedade distributiva (Lição 19)
  • se diferentes sequências de cálculos dão o mesmo resultado (Lição 23)

Além disso, os alunos devem interpretar soluções para equações, interpretar e representar situações não proporcionais com taxas de mudança constantes, representar situações não proporcionais usando diagramas de fita, descrever a estrutura de equações e diagramas de fita, raciocínio crítico de pares sobre expressões e diagramas correspondentes, raciocínio crítico sobre a resolução de equações, raciocínio crítico sobre expressões equivalentes e generalização sobre a resolução de equações e sobre quando as expressões são equivalentes.

A tabela mostra lições onde a nova terminologia é introduzida pela primeira vez, incluindo quando se espera que os alunos entendam a palavra ou frase de forma receptiva e quando se espera que os alunos produzam a palavra ou frase em sua própria fala ou escrita. Os termos do glossário aparecem em negrito. Os professores devem continuar a apoiar o uso de um novo termo pelos alunos nas aulas que se seguem, onde foi introduzido pela primeira vez.

lição nova terminologia
receptivo produtivo
7.6.2 quantidade desconhecida
7.6.3 expressões equivalentes
propriedade comutativa)
7.6.4 quantidade desconhecida
relação
7.6.6 variável
7.6.7 cabide balanceado
cada lado (de uma equação)
7.6.8 expressão equivalente
cada lado (de uma equação)
7.6.9 Operação
resolver
7.6.10 distribuir
substituto
7.6.13 desigualdade
menos que ou igual a
Melhor que ou igual a
círculo aberto / fechado
Menor que
Maior que
7.6.14 solução para uma desigualdade
fronteira
direção (de uma desigualdade)
menos que ou igual a
Melhor que ou igual a
substituto
7.6.15 círculo aberto / fechado
7.6.16 solução para uma desigualdade
7.6.17 desigualdade
7.6.18 prazo
7.6.19 fator (uma expressão)
expandir (uma expressão)
7.6.20 combinar termos semelhantes prazo
propriedade comutativa)
7.6.21 distribuir
7.6.22 propriedade associativa fator (uma expressão)
expandir (uma expressão)

Unidade 7: ângulos, triângulos e prismas

Nesta unidade, os alunos investigam se os conjuntos de medidas de ângulo e comprimento lateral determinam triângulos únicos ou triângulos múltiplos, ou não conseguem determinar triângulos. Os alunos também estudam e aplicam relações de ângulos, aprendendo a compreender e usar os termos “complementar”, “suplementar”, “ângulos verticais” e “únicos” (MP6). O trabalho lhes dá a prática de trabalhar com números racionais e equações para relações de ângulos. Os alunos analisam e descrevem seções transversais de prismas, pirâmides e poliedros. Eles entendem e usam a fórmula para o volume de um prisma retangular direito e resolvem problemas envolvendo área, área de superfície e volume (MP1, MP4). Os alunos devem ter acesso aos seus kits de ferramentas de geometria para que tenham a oportunidade de selecionar e usar as ferramentas adequadas estrategicamente (MP5).

Nota: Não se espera que os alunos memorizem quais condições resultam em um triângulo único, são impossíveis de criar um triângulo ou múltiplos triângulos possíveis. Entender que, por exemplo, informações de SSS resultam em zero ou exatamente um triângulo será explorado na geometria do ensino médio. Neste nível, os alunos devem tentar desenhar triângulos com as informações fornecidas e perceber que só há uma maneira de fazer isso (ou que é impossível fazer).

Progressão da linguagem disciplinar

Nesta unidade, os professores podem antecipar o uso da linguagem pelos alunos para fins matemáticos, como criticar, explicar, interpretar e justificar. Ao longo da unidade, os alunos se beneficiarão de rotinas projetadas para desenvolver uma linguagem disciplinar robusta, tanto para fazer seu próprio sentido quanto para construir um entendimento compartilhado com os colegas. Os professores podem avaliar formativamente como os alunos estão usando a linguagem dessas maneiras, especialmente quando os alunos estão usando a linguagem para:

  • raciocínio sobre a medição de ângulos (Lição 1)
  • raciocínio sobre a decomposição de prismas (Lição 13)
  • raciocínio sobre a área de superfície dos prismas (Lição 14)
  • como medir ângulos (Lição 2)
  • como encontrar medidas de ângulo desconhecidas (Lições 4 e 5)
  • como encontrar o volume dos prismas (Lições 12 e 13)
  • como encontrar a área de superfície dos prismas (Lição 14)
  • situações envolvendo linhas que se cruzam para formar uma conjectura (Lição 3)
  • quais informações são relevantes para responder a perguntas (Lição 4)
  • equações que representam medidas de ângulo (Lição 5)
  • situações envolvendo volume e área de superfície (Lição 15 e 16)
  • se as formas são ou não cópias idênticas (Lição 6)
  • se as medidas determinam ou não cópias idênticas (Lição 9)
  • se as medições determinam ou não triângulos únicos (Lição 10)

Além disso, espera-se que os alunos usem a linguagem para comparar medidas de ângulos, comparar triângulos em um conjunto, comparar seções transversais de figuras, descrever características de blocos de padrão, descrever posicionamento e movimento de comprimentos laterais e ângulos e descrever seções transversais de prismas e pirâmides . Os alunos também têm a oportunidade de generalizar sobre padrões de medidas de ângulos, categorias para triângulos únicos e categorias para seções transversais.

A tabela mostra lições onde a nova terminologia é introduzida pela primeira vez, incluindo quando se espera que os alunos entendam a palavra ou frase de forma receptiva e quando se espera que os alunos produzam a palavra ou frase em sua própria fala ou escrita. Os termos do glossário aparecem em negrito. Os professores devem continuar a apoiar o uso de um novo termo pelos alunos nas aulas que se seguem, onde ele foi introduzido pela primeira vez.

lição nova terminologia
receptivo produtivo
7.7.1 ângulo reto
ângulos adjacentes

grau
ângulo certo
7.7.2 suplementar
complementar

medida do ângulo
transferidor
erro de medição
graus
7.7.3 ângulos verticais
cruzar
vértice (de um ângulo)
7.7.4 suplementar
ângulos verticais
7.7.5 perpendicular complementar
7.7.6 cópia idêntica
doença
medida do ângulo
comprimento lateral
quadrilátero
7.7.7 bússola
triângulo diferente
cruzar
cópia idêntica
segmento
7.7.8 doença
triângulo diferente
7.7.9 triângulo único
paralelo
7.7.10 transferidor
bússola
7.7.11 corte transversal
base (de um prisma ou pirâmide)

vértice (de uma pirâmide)
rosto
prisma
pirâmide

perpendicular
paralelo
7.7.12 volume
corte transversal
base (de um prisma ou pirâmide)
7.7.14 rosto
perímetro
7.7.15 área de superfície

Unidade 8: Probabilidade e Amostragem

Nesta unidade, os alunos entendem e usam os termos "evento", "espaço amostral", "resultado", "experimento casual", "probabilidade", "simulação", "aleatório", "amostra", "amostra aleatória", " amostra representativa ”,“ super-representada ”,“ sub-representada ”,“ população ”e“ proporção ”. Eles projetam e usam simulações para estimar probabilidades de resultados de experimentos casuais e entendem a probabilidade de um resultado como sua frequência relativa de longo prazo. Eles representam espaços de amostra (ou seja, todos os resultados possíveis de um experimento casual) em tabelas e diagramas de árvore e como listas. Eles calculam o número de resultados em um determinado espaço amostral para encontrar a probabilidade de um determinado evento. Eles consideram os pontos fortes e fracos de diferentes métodos para obter uma amostra representativa de uma determinada população. Eles geram amostras de uma determinada população, por exemplo, retirando papéis numerados de um saco e registrando os números, e examinam as distribuições das amostras, comparando-as com a distribuição da população. Eles comparam duas populações comparando amostras de cada população.

Progressão da linguagem disciplinar

Nesta unidade, os professores podem antecipar o uso da linguagem pelos alunos para fins matemáticos, como descrever, explicar, justificar e comparar. Ao longo da unidade, os alunos se beneficiarão de rotinas projetadas para desenvolver uma linguagem disciplinar robusta, tanto para fazer seu próprio sentido quanto para construir um entendimento compartilhado com os colegas. Os professores podem avaliar formativamente como os alunos estão usando a linguagem dessas maneiras, especialmente quando os alunos estão usando a linguagem para:

  • observações e previsões durante um jogo (Lição 1)
  • padrões observados em experimentos repetidos (Lição 4)
  • experimentos casuais para modelar situações (Lições 6 e 7)
  • uma simulação usada para modelar uma situação (Lição 10)
  • observações sobre conjuntos de dados (Lições 11 e 17)
  • previsões (Lição 2)
  • como determinar quais eventos são mais prováveis ​​(Lição 3)
  • possíveis diferenças na probabilidade experimental e teórica (Lição 5)
  • como usar simulações para estimar a probabilidade (Lição 7)
  • como usar uma simulação para responder a perguntas sobre a situação (Lição 10)
  • se as situações são surpreendentes e possíveis (Lição 4)
  • quais amostras são ou não representativas de uma população maior (Lição 13)
  • quais amostras correspondem a cada programa, qual programa é mais apropriado para um comercial e se um filme é elegível para um prêmio (Lição 15)
  • raciocínio sobre amostras e populações (Lição 16)
  • se as diferenças entre as amostras são significativas ou não (Lição 18, 19 e 20)
  • espaços de amostra e provavelmente de resultados para diferentes spinners (Lição 5)
  • métodos para escrever espaços de amostra (Lição 8)
  • alturas de dois grupos (Lição 11)
  • medidas de centro com amostras (Lição 13)
  • métodos de amostragem (Lição 14)
  • populações com base em amostras (Lições 18 e 20)

Além disso, espera-se que os alunos critiquem as previsões sobre a média das amostras aleatórias e generalizem sobre os espaços das amostras, previsões, amostragem e justiça.Os alunos também têm oportunidades de usar a linguagem para representar dados de experimentos repetidos, representar probabilidades e espaços de amostra e interpretar situações envolvendo espaços de amostra, probabilidade e populações.

A tabela mostra lições onde a nova terminologia é introduzida pela primeira vez, incluindo quando se espera que os alunos entendam a palavra ou frase de forma receptiva e quando se espera que os alunos produzam a palavra ou frase em sua própria fala ou escrita. Os termos do glossário aparecem em negrito. Os professores devem continuar a apoiar o uso de um novo termo pelos alunos nas aulas que se seguem, onde ele foi introduzido pela primeira vez.

lição nova terminologia
receptivo produtivo
7.8.1 mais provável
menos provável
7.8.2 evento
experimento casual
resultado

igualmente provável como não
provável
improvável
impossível
certo
7.8.3 probabilidade
aleatória
espaço amostral
resultado
7.8.5 simulação probabilidade
aleatória
7.8.7 evento
simulação
7.8.8 diagrama de árvore) espaço amostral
7.8.9 diagrama de árvore)
7.8.11 desvio médio absoluto (MAD)
distribuição
muito diferente
sobreposição
significar
mediana

plot plot
7.8.12 população
amostra

pesquisa
desvio médio absoluto (MAD)
7.8.13 exemplo representativo
medida de centro
distribuição
centro (de uma distribuição)
espalhar
7.8.14 amostra aleatória
7.8.15 intervalo interquartil (IQR)
medida de variabilidade
enredo de caixa
população
amostra

amostra aleatória
simétrico
7.8.16 proporção exemplo representativo
7.8.17 intervalo interquartil (IQR)
medida de variabilidade
7.8.18 diferença significativa sobreposição
medida de centro
7.8.20 diferença significativa

Unidade 9: Juntando tudo

Nesta unidade opcional, os alunos usam conceitos e habilidades de unidades anteriores para resolver três grupos de problemas. Ao calcular ou estimar as quantidades associadas à administração de um restaurante, por exemplo, número de calorias em uma porção de uma receita, número esperado de clientes servidos por dia ou espaço físico, eles usam seu conhecimento de relações proporcionais, interpretando resultados de pesquisas e desenhos em escala . Ao estimar quantidades como a idade em horas e minutos ou o número de vezes que seu coração bateu, eles usam conversões de medição e consideram a precisão de suas estimativas. A estimativa de medições de área e volume a partir de medições de comprimento introduz considerações de erro de medição. Ao projetar uma pista de corrida de cinco quilômetros para sua escola, os alunos usam seus conhecimentos de medição e desenho em escala. Eles selecionam ferramentas e métodos apropriados para medir o campus da escola, constroem uma roda giratória e a usam para fazer medições, fazem um desenho em escala do curso em um mapa ou uma imagem de satélite do terreno da escola e descrevem o número de voltas, começar , e terminar a corrida.

Progressão da linguagem disciplinar

Nesta unidade, os professores podem antecipar o uso da linguagem pelos alunos para fins matemáticos, como justificar, representar e criticar. Ao longo da unidade, os alunos se beneficiarão de rotinas projetadas para desenvolver uma linguagem disciplinar robusta, tanto para fazer seu próprio sentido quanto para construir um entendimento compartilhado com os colegas. Os professores podem avaliar formativamente como os alunos estão usando a linguagem dessas maneiras, especialmente quando os alunos estão usando a linguagem para:

  • raciocínio sobre o valor nutricional das receitas (Lição 1)
  • escolhas e previsões no contexto da administração de um restaurante (Lição 2)
  • raciocínio sobre comprimento, área e volume no contexto de um restaurante (Lição 4)
  • custos dos ingredientes em uma planilha (Lição 2)
  • situações usando expressões e equações (Lição 7)
  • um mapa de uma pista de corrida projetada (Lição 13)
  • raciocínio de colegas sobre cálculos de idade, batimentos cardíacos e cabelos (Lição 6)
  • raciocínio dos pares sobre a porcentagem de erro na medição do comprimento (Lição 8)
  • raciocínio dos pares sobre a porcentagem de erro na medição de área e volume (Lição 9)
  • métodos de pares de medição de distância (Lição 10)

Além disso, os alunos também devem descrever métodos para medir distâncias, incluindo como construir e usar uma roda giratória, e comparar as vantagens e desvantagens de diferentes métodos.

A tabela mostra lições onde a nova terminologia é introduzida pela primeira vez, incluindo quando se espera que os alunos entendam a palavra ou frase de forma receptiva e quando se espera que os alunos produzam a palavra ou frase em sua própria fala ou escrita. Os termos do glossário aparecem em negrito. Os professores devem continuar a apoiar o uso de um novo termo pelos alunos nas aulas que se seguem, onde ele foi introduzido pela primeira vez.

lição nova terminologia
receptivo produtivo
7.9.1 servindo
7.9.2 planilha
célula
Fórmula
7.9.3 lucro
despesa
7.9.5 densidade populacional
7.9.9 erro percentual
7.9.11 roda giratória
7.9.13 roda giratória

IM 6–8 Math foi originalmente desenvolvido pela Open Up Resources e de autoria da Illustrative Mathematics®, e possui direitos autorais 2017-2019 da Open Up Resources. É licenciado sob a Licença Internacional Creative Commons Atribuição 4.0 (CC BY 4.0). O Currículo de Matemática 6–8 do NOSSO está disponível em https://openupresources.org/math-curriculum/.

As adaptações e atualizações do IM 6–8 Math são copyright 2019 da Illustrative Mathematics e são licenciadas pela Creative Commons Atribuição 4.0 International License (CC BY 4.0).

As adaptações para adicionar suporte adicional ao aluno do idioma inglês são copyright 2019 da Open Up Resources e estão licenciadas sob a Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional (CC BY 4.0).

O segundo conjunto de avaliações de inglês (marcado como conjunto "B") é protegido por direitos autorais 2019 da Open Up Resources e está licenciado sob a Licença Internacional Creative Commons Atribuição 4.0 (CC BY 4.0).

A tradução para o espanhol das avaliações "B" possui copyright 2020 da Illustrative Mathematics e está licenciada pela Creative Commons Atribuição 4.0 International License (CC BY 4.0).

O nome e o logotipo da Illustrative Mathematics não estão sujeitos à licença Creative Commons e não podem ser usados ​​sem o consentimento prévio e expresso por escrito da Illustrative Mathematics.

Este site inclui imagens de domínio público ou imagens licenciadas abertamente que são protegidas por direitos autorais de seus respectivos proprietários. As imagens com licença aberta permanecem sob os termos de suas respectivas licenças. Veja a seção de atribuição de imagem para mais informações.


7.1: Seção 2- - Matemática

1. Escritores profissionais e especialistas : Lição de casa grátis só contrata os melhores. Nossos escritores são especialmente selecionados e recrutados, após o qual passam por um treinamento adicional para aperfeiçoar suas habilidades para fins de especialização. Além disso, nossos escritores são titulares de mestrado e doutorado. graus. Eles têm um histórico acadêmico impressionante, além de serem falantes nativos de inglês.

2. Papéis de alta qualidade: Nossos clientes têm sempre a garantia de papéis que superam suas expectativas. Todos os nossos escritores têm +5 anos de experiência. Isso implica que todos os artigos são escritos por pessoas que são especialistas em suas áreas. Além disso, a equipe de qualidade analisa todos os papéis antes de enviá-los aos clientes.

3. Artigos sem plágio: Todos os papéis fornecidos por Lição de casa grátis são escritos do zero. A referência apropriada e a citação de informações importantes são seguidas. Os verificadores de plágio são usados ​​pela equipe de garantia de qualidade e nossos editores apenas para verificar se não há casos de plágio.

4. Entrega pontual: O tempo desperdiçado é equivalente a uma dedicação e um comprometimento fracassados. Lição de casa grátis é conhecida pela entrega pontual de quaisquer pedidos pendentes de clientes. Os clientes são bem informados sobre o andamento de seus trabalhos para garantir que eles acompanhem o que o redator está fornecendo antes que o rascunho final seja enviado para avaliação.

5. Preços acessíveis: Nossos preços são bastante estruturados para caber em todos os grupos. Qualquer cliente que deseje colocar suas atribuições conosco pode fazê-lo a preços muito acessíveis. Além disso, nossos clientes desfrutam de descontos e bônus regulares.

6. Suporte ao cliente 24 horas por dia, 7 dias por semana: No Lição de casa grátis, colocamos em prática uma equipe de especialistas que responde prontamente a todas as dúvidas dos clientes. A melhor parte é a disponibilidade constante da equipe. Os clientes podem fazer consultas a qualquer momento.


7 Código dos EUA § 2 - Jurisdição da responsabilidade da Comissão do principal por ato do agente transação da Comissão de Negociação de Futuros de Mercadorias no comércio interestadual

A Lei de Transparência e Responsabilidade de Wall Street de 2010 (incluindo uma alteração feita por essa lei) e os subparágrafos (C), (D) e (I) deste parágrafo e subseções (c) e (f), com relação às contas, acordos (incluindo qualquer transação que tenha o caráter de, ou seja comumente conhecida no comércio como, uma "opção", "privilégio", "indenização", "oferta", "oferta", "venda", "compra", "Garantia antecipada" ou "garantia de recusa") e transações envolvendo a seção 7 deste título ou seção 7b – 3 deste título ou qualquer outra junta comercial, de câmbio ou mercado, e transações sujeitas à regulamentação pela seção 23 deste título . Exceto conforme estabelecido acima, nada contido nesta seção deve (I) substituir ou limitar a jurisdição a qualquer momento conferida à Comissão de Valores Mobiliários ou outras autoridades reguladoras sob as leis dos Estados Unidos ou de qualquer Estado, ou (II) restringir a Comissão de Valores Mobiliários e outras autoridades de realizar seus deveres e responsabilidades de acordo com tais leis. Nada nesta seção substituirá ou limitará a jurisdição conferida aos tribunais dos Estados Unidos ou de qualquer Estado.

Taxas de remuneração básica para todos os funcionários da (C) Comparabilidade

A seção 1833b (a) do título 12 ou poderia ser fornecida por tal agência de acordo com as disposições legais aplicáveis ​​(incluindo regras e regulamentos).

Ao definir e ajustar o valor total da remuneração e benefícios para os funcionários, a seção 1833b (a) do título 12.

Nenhum comissário ou empregado da pessoa, bolsa ou câmara de compensação sujeito à regulação pela entidade registrada operações ou transações de caráter sujeito a regulação pela Comissão.

Neste parágrafo, o termo "relatório público em tempo real" significa relatar dados relacionados a um (B) Propósito

O objetivo desta seção é autorizar a (C) Regra geral O (i)

Partes de uma entidade registrada em tempo hábil, conforme estabelecido pela Comissão.

É estabelecido um Comitê Consultivo para Mercados de Energia e Meio Ambiente.

O Comitê terá 9 membros.

O Comitê realizará reuniões públicas com a periodicidade necessária ao desempenho de suas funções, mas não menos do que 2 vezes por ano.

Os membros serão nomeados para mandatos de 3 anos, mas podem ser removidos por justa causa pelo voto da (C) Nomeação

Os membros terão direito a diárias e reembolso de despesas de viagem pelo (E) FACA

O Comitê não estará sujeito à Lei do Comitê Consultivo Federal (5 U.S.C. App.).

Para os fins deste capítulo (mas não limitando de forma alguma a definição anterior de comércio interestadual), uma transação em relação a qualquer artigo será considerada no comércio interestadual se tal artigo fizer parte da corrente de comércio usual no Estado, com a expectativa de que terminem seu trânsito, após a compra, em outro, incluindo além dos casos dentro da descrição geral acima, todos os casos em que a compra ou venda seja para embarque para outro Estado, ou para fabricação dentro do Estado e o embarque fora do Estado dos produtos resultantes dessa fabricação. Os artigos normalmente em tal corrente de comércio não serão considerados fora de tal comércio pelo recurso a qualquer meio ou dispositivo destinado a eliminar as transações a respeito das disposições deste capítulo. Para os fins deste parágrafo, a palavra “Estado” inclui o Território, o Distrito de Columbia, a posse dos Estados Unidos e uma nação estrangeira.

As seções 6 (a), 6 (b) e 6b deste título se aplicam a qualquer acordo, contrato ou transação descrito na cláusula (i), como se o acordo, contrato ou transação fosse uma (iv) entidade comercial elegível

Para os fins deste subparágrafo, um produtor agrícola, embalador ou manipulador deve ser considerado uma entidade comercial elegível para qualquer acordo, contrato ou transação para uma (E) Proibição

Exceto conforme disposto na subcláusula (II), uma agência reguladora federal não deve oferecer ou celebrar uma agência reguladora federal permitindo o acordo, contrato ou transação sob os termos e condições que a agência reguladora federal prescrever.

No que diz respeito às pessoas descritas no subparágrafo (B) (i) (II) para as quais uma agência reguladora federal emitiu uma regra proposta relativa a acordos, contratos ou transações em moeda estrangeira descritos no subparágrafo (B) (i) (I) antes a 21 de julho de 2010, a subcláusula (I) entrará em vigor 90 dias após 21 de julho de 2010.

As regras ou regulamentos descritos na cláusula (ii) devem tratar todos os acordos, contratos e transações em moeda estrangeira descritos no subparágrafo (B) (i) (I), e todos os acordos, contratos e transações em moeda estrangeira que são funcionalmente ou economicamente semelhantes a acordos, contratos ou transações descritos no subparágrafo (B) (i) (I), da mesma forma.

Nada neste capítulo (exceto os subparágrafos (A), (B), (C), (D), (G) e (H) da subseção (a) (1), subseções (f) e (g), seções 1a, 2 (a) (13), 2 (c) (2) (A) (ii), 2 (e), 2 (h), 6 (c), 6a, 6b e 6b – 1 deste título, subseções (a), (b) e (g) da seção 6c deste título, seções 6d, 6e, 6f, 6g, 6h, 6i, 6j, 6k, 6l, 6m, 6n, 6o, 6p, 6r , 6s, 6t, 7, 7a – 1, 7a – 2, 7b e 7b – 3 deste título, seções 9 e 13b deste título, seções 13a – 1, 13a – 2, 12, 12a e 13 deste título, subseções (e) (2), (f) e (h) da seção 16 deste título, subseções (a) e (b) da seção 13c deste título, seções 21, 24, 24a e 25 ( a) (4) deste título, e qualquer outra disposição deste capítulo que seja aplicável a entidades registradas ou swap.

Será ilegal para qualquer junta comercial designada como um mercado de contrato de acordo com a seção 7 deste título.

Nada neste capítulo (exceto a seção 16 (e) (2) (B) deste título) rege ou é aplicável a um instrumento híbrido que é predominantemente um título.

Para os fins do parágrafo (2) (C), os requisitos de margem de marcação a mercado não incluem a obrigação de um emissor de um instrumento de dívida garantido de aumentar o valor da garantia mantida em penhor para o benefício do comprador da garantia instrumento de dívida para garantir as obrigações de reembolso do emitente ao abrigo do instrumento de dívida garantido.

Será ilegal para qualquer organização de compensação de derivativos registrada nos termos deste capítulo ou uma organização de compensação de derivativos isenta de registro nos termos deste capítulo se (B) Acesso aberto As regras de uma organização de compensação de derivativos descritas no subparágrafo (A) devem—

A organização de compensação de derivados concorda com uma prorrogação da limitação de tempo estabelecida neste parágrafo.

O mais tardar 1 ano após 21 de julho de 2010, a apresentação da organização de compensação de derivativos para revisão, nos termos deste parágrafo, de um swap, ou um grupo, categoria, tipo ou classe de swaps, que busca aceitar para compensação. Nada neste parágrafo limita a (3) exigência de suspensão de compensação

Depois de fazer uma determinação nos termos do parágrafo (2) (B), os swaps) e o acordo de compensação.

O mais tardar 1 ano após 21 de julho de 2010, a compensação da organização de compensação de derivativos de um swap, ou um grupo, categoria, tipo ou classe de swaps, que ela aceitou para compensação.

A aplicação da exceção de compensação no subparágrafo (A) fica exclusivamente a critério da contraparte para a definição de entidade financeira (C)

Tal definição não deve incluir uma entidade cujo negócio principal é fornecer financiamento e usa derivativos para fins de cobertura de riscos comerciais subjacentes relacionados a taxas de juros e exposições em moeda estrangeira, 90 por cento ou mais dos quais surgem de financiamento que facilita a compra ou arrendamento de produtos, 90 por cento ou mais dos quais são fabricados pela empresa-mãe ou outra subsidiária da empresa-mãe.

Uma afiliada, subsidiária ou entidade de propriedade integral de uma seção 6s (e) deste título e o requisito de compensação descrito no parágrafo (1) com relação a 21 de julho de 2010.

Os requisitos das cláusulas (i) e (ii) do subparágrafo (A) não se aplicarão se nenhuma junta comercial ou mecanismo de execução de swap fizer a (i) Aplicabilidade As disposições deste capítulo relativas a swaps que foram promulgadas pela Transparência de Wall Street e Lei de Responsabilidade de 2010 (incluindo qualquer regra prescrita ou regulamento promulgado sob essa lei), não se aplica a atividades fora dos Estados Unidos, a menos que essas atividades-

Isenções dos requisitos da subseção (h) (1) para compensar uma junta de comércio ou facilidade de execução de swap devem estar disponíveis para uma contraparte que seja uma emissora de valores mobiliários registrados na seção 12 do Securities Exchange Act de 1934 (15 USC 78l) ou que seja obrigado a apresentar relatórios de acordo com a seção 15 (d) do Securities Exchange Act de 1934 (15 USC 78o [d]) somente se um comitê apropriado do conselho do emissor ou órgão governamental tiver analisado e aprovado sua decisão de entrar em (21 de setembro de 1922, cap. 369, § 2, 42 Estat. 998, 15 de junho de 1936, cap. 545, §§ 2, 3, 49 Estat. 1491, 7 de abril de 1938, cap. 108, 52 Estat. 205, 9 de outubro de 1940, canal 786, § 1, 54 Estat. 1059, 28 de agosto de 1954, capítulo 1041, título VII, § 710 (a), 68 Estat. 913, 26 de julho de 1955, capítulo. 382, § 1, 69 Stat. 375 Pub. L. 90-258, § 1, 19 de fevereiro de 1968, 82 Stat. 26 Pub. L. 90-418, 23 de julho de 1968, 82 Stat. 413 Pub. L . 93-463, título I, § 101 (a), título II, §§ 201, 202, 23 de outubro de 1974, 88 Stat. 1389, 1395 Pub. L. 95-405, § 2, 30 de setembro , 1978, 92 Stat. 865 Pub. L. 97–444, título I, § 101, título II, §§ 201, 202, 11 de janeiro de 1983, 96 Stat. 2294, 2297, 2298 Pub. L. 99-641, título I, § 110 (1), 10 de novembro de 1986, 100 Stat. 3561 Pub. L. 102–546, título II, §§ 209 (b) (1), 215, 226, título IV, § 404 (b), título V, § 501, 28 de outubro de 1992, 106 Stat. 3606, 3611, 3618, 3628 Pub. L. 106-554, § 1 (a) (5) [título I, §§ 102-105 (b), 106, 107, 123 (a) (2), título II, § 251 (a), (b ), (i), (j)], 21 de dezembro de 2000, 114 Stat. 2763, 2763A – 376 a 2763A – 379, 2763A – 382, ​​2763A – 405, 2763A – 436, 2763A – 441, 2763A – 445 Pub. L. 107–171, título X, § 10702 (a), 13 de maio de 2002, 116 Stat. 516 Pub. L. 110-234, título XIII, §§ 13101 (a), 13201 (b), 13203 (c) - (f), 22 de maio de 2008, 122 Stat. 1427, 1436, 1439 Pub. L. 110–246, § 4 (a), título XIII, §§ 13101 (a), 13201 (b), 13203 (c) - (f), 18 de junho de 2008, 122 Stat. 1664, 2189, 2198, 2201 Pub. L. 111-203, título VII, §§ 717 (a), 721 (e) (1), 722 (a), (c) - (e), 723 (a), (b), 727, 734 ( b) (1), 741 (b) (8), (9), 742 (a), (c), 751, 21 de julho de 2010, 124 Stat. 1651, 1671-1673, 1675, 1681, 1696, 1718, 1731-1733, 1749 Pub. L. 114-113, div. O, título VII, § 705 (a), 18 de dezembro de 2015, 129 Stat. 3025.)

[1] Consulte as referências na nota do texto abaixo.

[2] Então, no original. A palavra “ou” provavelmente não deve aparecer.

[3] Então, no original. Provavelmente deveria estar na subseção “(III)”.

[4] Então, no original. Provavelmente deveria ser “seção”.

[6] Então, no original.Nenhum item (ee) foi promulgado.

[7] Então, no original. Provavelmente deveria ser “subparágrafo”.

[8] Então, no original. Provavelmente deveria ser “governamental”.

[9] Então, no original. Provavelmente deve ser precedido por “seção”.

A Lei de Transparência e Responsabilidade de Wall Street de 2010, referida nas subseções. (a) (1) (A), (G) (i), (H) e (i), é o título VII do Pub. L. 111–203, 21 de julho de 2010, 124 Stat. 1641, que promulgou o capítulo 109 (§ 8301 e seguintes) do Título 15, Comércio e comércio, e promulgou e alterou várias outras seções e notas do Código. Para obter a classificação completa desta Lei para o Código, consulte a nota de título resumida definida na seção 8301 do Título 15 e Tabelas.

O Securities Exchange Act de 1934, referido na subsec. (a) (1) (D) (i) (VI), (iii) (II), é a lei de 6 de junho de 1934, cap. 404, 48 Stat. 881, conforme alterado, que é classificado principalmente no capítulo 2B (§ 78a e seguintes) do Título 15, Comércio e comércio. Para obter a classificação completa desta Lei para o Código, consulte a seção 78a do Título 15 e Tabelas.

A Lei do Comitê Consultivo Federal, referida na subseção. (a) (15) (E), é Pub. L. 92–463, 6 de outubro de 1972, 86 Stat. 770, que é estabelecido no Apêndice do Título 5, Organização Governamental e Funcionários.

A data de promulgação desta cláusula e tal data de promulgação, referida na subseção. (c) (2) (B) (ii), são a data de promulgação da Pub. L. 110–246, que foi aprovado em 18 de junho de 2008.

Item (ee) da subsec. (c) (2) (B) (i) (II), referido na subseção. (c) (2) (B) (iii), (iv) (I), (II) (aa), (C) (i) (I) (aa), (ii) (II) (aa), (iii) (I), (II) (aa), foi redesignado item (dd) pelo Pub. L. 111–203, título VII, § 742 (c) (1) (C), 21 de julho de 2010, 124 Stat. 1733.

Item (gg) da subsec. (c) (2) (B) (i) (II), referido na subseção. (c) (2) (B) (iii), (iv) (I), (III), (v), foi redesignado como item (ff) pelo Pub. L. 111–203, título VII, § 742 (c) (1) (C), 21 de julho de 2010, 124 Stat. 1733.

O Commodity Futures Modernization Act de 2000, referido na subsec. (g) (1) (A), (2), é H.R. 5660, conforme promulgado pela Pub. L. 106–554, § 1 (a) (5), 21 de dezembro de 2000, 114 Stat. 2763, 2763A – 365. O Título IV da Lei, conhecido como Lei de Certeza Legal para Produtos Bancários de 2000, está classificado nas seções 27 a 27f deste título. Para obter a classificação completa desta Lei para o Código, consulte o Título resumido da nota de alteração de 2000 definida na seção 1 deste título e as tabelas.

Para a data de vigência desta subseção e tal data de vigência, referida na subseção. (h) (5) (A), (B) (i), consulte a nota de Alteração da Data Efetiva de 2010 abaixo.

Bar. L. 110–234 e Pub. L. 110–246 fez emendas idênticas a esta seção. As alterações do Pub. L. 110-234 foram revogados pela seção 4 (a) do Pub. L. 110–246.

Subsec. (a) (1) (B) desta seção foi anteriormente classificado na seção 4 deste título. Subsec. (a) (1) (C) desta seção foi anteriormente classificado na seção 2a deste título. Subsec. (a) (2) a (11) desta seção foi anteriormente classificado na seção 4a deste título. Subsec. (b) desta seção foi anteriormente classificado na seção 3 deste título.

2015 — Subsec. (h) (7) (D). Bar. L. 114–113 adicionou cls. (i) a (iv) e (vi), redesignado antigo cl. (iii) como (v), e eliminou cls anteriores. (i) e (ii) que se relacionam com a aplicação de exceção a afiliadas e proibição relativa a certas afiliadas, respectivamente.

2010 — Subsec. (a) (1) (A). Bar. L. 111–203, § 734 (b) (1) (A), que direcionou a alteração do subpar. (A) marcando “ou 7a”, não pôde ser executado devido a emendas anteriores pelo Pub. L. 111–203, § 722 (a) (1). Veja abaixo.

Bar. L. 111–203, § 722 (a) (1), inseriu "a Lei de Transparência e Responsabilidade de Wall Street de 2010 (incluindo uma emenda feita por essa Lei) e" após "de outra forma previsto em" e substituído "(C), (D), e (I) ”para“ (C) e (D) ”,“ (c) e (f) ”para“ (c) a (i) desta seção ”, seção 7 deste título ou seção 7b – 3 deste título ”para“ ou facilidade de execução de transações de derivados registrada de acordo com a seção 7 ou 7a deste título ”.

Subsec. (a) (1) (C) (i). Bar. L. 111–203, § 717 (a), designou as disposições existentes como subcl. (I), substituiu “Exceto conforme previsto na subcláusula (II), este” por “Este”, e adicionou o subcl. (II).

Subsec. (a) (13), (14). Bar. L. 111–203, § 727, pars. (13) e (14).

Subsec. (c) (1). Bar. L. 111–203, § 742 (a) (1), substituído “, 7a – 1, ou 16 (e) (2) (B) deste título)” por “7a (na medida prevista na seção 7a ( g) deste título), 7a – 1, 7a – 3 ou 16 (e) (2) (B) deste título) ”.

Subsec. (c) (2) (A) (ii), (iii). Bar. L. 111–203, § 722 (c), adicionado cl. (ii) e redesignado antigo cl. (ii) como (iii).

Subsec. (c) (2) (B). Bar. L. 111–203, § 741 (b) (8) (A), eliminado “(dd),” antes de “(ee),” onde quer que apareça.

Subsec. (c) (2) (B) (i) (II) (aa). Bar. L. 111–203, § 742 (c) (1) (A), inserido “UnitedPub. L. 111–203, § 721 (e) (1) (A), substituiu “seção 1a” por “seção 1a (20)” em dois lugares.

Subsec. (c) (2) (B) (i) (II) (dd). Bar. L. 111-203, § 742 (c) (1) (B) - (D), item redesignado (ee) como (dd), substituiu "ou" por ponto e vírgula no final, e eliminou o item anterior (dd) que leia o seguinte: “uma seguradora descrita na seção 1a (18) (A) (ii) deste título, ou uma subsidiária regulamentada ou afiliada de tal seguradora”.

Bar. L. 111–203, § 721 (e) (1) (B), substituído “seção 1a (18) (A) (ii)” por “seção 1a (12) (A) (ii)”.

Subsec. (c) (2) (B) (i) (II) (ee) a (gg). Bar. L. 111-203, § 742 (c) (1) (B), (C), itens redesignados (ee) e (gg) como (dd) e (ff), respectivamente, e eliminou o item anterior (ff) que tem a seguinte redação: “um investimentoSecurities Exchange Act de 1934 (15 USC 78q (i))) ou”.

Subsec. (c) (2) (B) (iii). Bar. L. 111–203, § 741 (b) (8) (B), inserido “, e contas ou veículos de investimento agrupados descritos na cláusula (vi),” antes de “estarão sujeitos a”.

Subsec. (c) (2) (C). Bar. L. 111–203, § 741 (b) (9) (A), eliminado “(dd),” antes de “(ee),” onde quer que apareça.

Subsec. (c) (2) (C) (ii) (I). Bar. L. 111–203, § 741 (b) (9) (B), inserido “, e contas ou veículos de investimento em pool descritos na cláusula (vii),” antes de “estarão sujeitos a”.

Subsecs. (d), (e). Bar. L. 111–203, § 723 (a) (1) (A), (2), subseções adicionadas. (d) e (e) e eliminou as subseções anteriores. (d) e (e) que se relacionam com as transações de derivados excluídas e os meios eletrônicos de negociação excluídos, respectivamente.

Subsec. (g). Bar. L. 111–203, § 723 (a) (1), subseção redesignada. (i) como (g) e eliminou a subseção anterior. (g) que está relacionado com o excludedPub. L. 111–203, § 734 (b) (1) (B), substituiu “seção 7a – 1 deste título” por “seção 7a deste título (na medida prevista na seção 7a (g) deste título) , 7a – 1 deste título, ou 7a – 3 deste título ”.

Subsec. (h). Bar. L. 111–203, § 723 (a) (1) (A), (3), subsec. (h) e eliminou a subseção anterior. h) Relacionadas com a segurança jurídica para certas transações em mercadorias isentas.

Subsec. (eu). Bar. L. 111–203, § 723 (a) (1) (B), que direcionou a redesignação da subseção. (i) como (g), foi executado através da redesignação da subseção. (i) adicionado pela Pub. L. 106–554, § 1 (a) (5) [título I, § 107], relativo à aplicação do Congresso. Outro subseg. (i), relativa à aplicabilidade de certos Pubs. L. 111–203, § 722 (d). Veja abaixo.

Bar. L. 111–203, § 722 (d), subseção adicionada. (i) relacionadas com a aplicabilidade de certos pubs. L. 111–203, § 723 (b), subseção adicionada. (j).

2008 — Subsec. (a) (1) (A). Bar. L. 110-246, § 13203 (c), inserido "(incluindo Pub. L. 110-246, § 13101 (a), adicionado os subparágrafos. (B) e (C) e eliminado os anteriores subparais. (B) e ( C) que se relacionava com: no subpar. (B), a aplicabilidade do capítulo a um acordo, contrato ou transação em moeda estrangeira que era aPub. L. 110-246, § 13203 (d), substituído "parágrafos (4) e (7) ”por“ parágrafo (4) ”nas disposições introdutórias.

Subsec. (h) (4) (B). Bar. L. 110–246, § 13203 (e) (1), inserido “e, para aPub. L. 110–246, § 13203 (e) (2), (3), parágrafos adicionados. (D) e (E) e eliminou o subpar anterior. (D) que diz o seguinte: “regras e regulamentos como thePub. L. 110–246, § 13203 (f), inserido “ou para fazer a determinação descrita no subparágrafo (B) do parágrafo (7)” após “parágrafo (4)”.

2002 — Subsec. (a) (7) a (12). Bar. L. 107–171 adicionado par. (7) e par anterior redesignado. (7) a (11) como (8) a (12), respectivamente.

Subsec. (a) (1) (A). Bar. L. 106-554, § 1 (a) (5) [título I, § 123 (a) (2) (B) (i) (II)], substituído por "mercado de contrato designado ou facilidade de execução de transação de derivativos registrada de acordo com seção 7 ou 7a deste título ”para“ mercado de contrato designado de acordo com a seção 7 deste título ”.

Bar. L. 106-554, § 1 (a) (5) [título I, § 123 (a) (2) (B) (i) (I)], que direcionou a substituição dos “subparágrafos (C) e (D) deste parágrafo e das subseções (c) a (i) desta seção "para" subparágrafo (B) deste subparágrafo ", foi executado através da substituição de" subparágrafo (B) deste parágrafo "para refletir a provável intenção do Congresso .

Bar. L. 106–554, § 1 (a) (5) [título I, § 123 (a) (2) (A)], cabeçalho inserido e eliminado “(i)” antes de “ThePub. L. 106–554, § 1 (a) (5) [título I, § 123 (a) (2) (B) (i) (III)], riscado cl. (ii) que diz o seguinte: "Nada neste capítulo será considerado para reger ou de qualquer forma ser aplicável a transações em moeda estrangeira, Pub. L. 106–554, § 1 (a) (5) [título I, § 123 (a) (2) (B) (i) (IV)], subseção redesignada. (a) (1) (A) (iii) como subsec. (a) (1) (B) e cabeçalho inserido. Ex-subsec. (a) (1) (B) redesignado (a) (1) (C).

Subsec. (a) (1) (C) (ii). Bar. L. 106-554, § 1 (a) (5) [título II, § 251 (a) (1) (A) (iii)], substituído "ou o mecanismo de execução de transações de derivativos e o contrato aplicável atendem" para “fazer tal aplicação demonstra e thePub. L. 106-554, § 1 (a) (5) [título II, § 251 (a) (1) (A) (ii)], que direcionou a inserção de ", e nenhum mecanismo de execução de transação de derivativos deve negociar ou executar tais contratos de venda (ou Congresso.

Bar. L. 106-554, § 1 (a) (5) [título II, § 251 (a) (1) (A) (i)], inserido "ou registrar um mecanismo de execução de transação de derivativos que negocie ou execute", após “Mercado de contrato em”, nas disposições introdutórias.

Subsec. (a) (1) (C) (ii) (III). Bar. L. 106–554, § 1 (a) (5) [título II, § 251 (a) (1) (A) (iv)], subcl. (III) e eliminou o subcl. (III) que diz o seguinte: "Tal grupo ou índice de valores mobiliários será predominantemente composto por valores mobiliários de emitentes não afiliados e será uma medida amplamente publicada de, e deverá refletir, o mercado para todas as ações negociadas publicamente ou títulos de dívida ou um segmento substancial do mesmo, ou será comparável a tal medida. ”

Subsec. (a) (1) (C) (iii). Bar. L. 106–554, § 1 (a) (5) [título II, § 251 (a) (1) (B), (C)], adicionado cl. (iii) e eliminou o antigo cl. (iii) que tem a seguinte redação: “Mediante solicitação da aPub. L. 106–554, § 1 (a) (5) [título I, § 123 (a) (2) (B) (ii) (III)], margens ajustadas.

Subsec. (a) (8) (B) (ii). Bar. L. 106-554, § 1 (a) (5) [título I, § 123 (a) (2) (D) (iii)], na última frase, substituído por "designar, registrar ou recusar, suspender ou revogar a designação ou registro de, seção 12a (9) deste título) "para" designar, ou recusar, suspender ou revogar a designação de seção 12a (9) deste título "e" designação, registro, suspensão, revogação , ou ação ”para“ designação, suspensão, revogação ou Pub. L. 106–554, § 1 (a) (5) [título I, § 123 (a) (2) (D) (ii)], substituído por “designar ou registrar aPub. L. 106-554, § 1 (a) (5) [título I, § 123 (a) (2) (D) (i)], substituiu "designação ou registro como um mercado de contrato ou mecanismo de execução de transações de derivativos" por “Designação como mercado de contrato” na primeira frase.

1992 — Subsec. (a) (1) (A). Bar. L. 102-546, § 404 (b) (2) - (7), cls redesignado. (i) e (ii) da terceira frase anterior como subcls. (I) e (II), respectivamente, designaram a quinta frase anterior como cl. (ii), designada a antiga oitava frase como cl. (iii), e eliminou a sexta, a sétima e a nona até as últimas frases, que incluíram as definições de “entrega futura”, seção 1a deste título.

Subsec. (a) (1) (B) (iv) (I). Bar. L. 102–546, § 209 (b) (1) (A), fez uma alteração técnica à referência à seção 9 deste título aparecendo na penúltima frase para refletir a mudança em referência à seção correspondente do ato original.

Subsec. (a) (1) (B) (iv) (II). Bar. L. 102–546, § 209 (b) (1) (B), substituiu “seção 8 (b)” por “seção 8”.

Subsec. (a) (2) (A). Bar. L. 102–546, § 215, substituiu a segunda e a terceira sentenças “TheSenate. Em nominatingPub. L. 102–546, § 226, adicionado subpar. (C).

1986 — Subsec. (a) (1) (B) (iv) (I). Bar. L. 99-641 substituiu “Securities and Exchange Commission” por “Securities ExchangePub. L. 97–444, § 101, designou as disposições existentes como subpar. (A), inserida na terceira frase, primeira condição, ", exceto na medida em contrário no subparágrafo (B) deste parágrafo," após "jurisdição exclusiva", e subpar. (B).

Subsec. (a) (1) (A). Bar. L. 97-444, § 201, inseriu a definição da seção 6c deste título, ou qualquer transação de alavancagem autorizada nos termos da seção 23 deste título, ou quem, para compensação ou lucro, e como parte de um negócio regular, emite ou promulga análises ou relatórios relativos a qualquer um dos itens anteriores ”para disposição a respeito de aconselhar terceiros“ quanto ao valor das mercadorias ou quanto à conveniência de negociar em qualquer Pub. L. 97-444, § 202, eliminou “(A)” depois de “(7)” e eliminou subpar. (B) que proibia quaisquer atividades representativas antes do Set. 30, 1978, de qualquer Comissário ou funcionário do Pub. L. 95–405, § 2 (1), substituiu “seção 23 deste título” por “seção 15a deste título”.

Subsec. (a) (2). Bar. L. 95–405, § 2 (2) - (5), designou as disposições existentes como subpar. (A) e substituiu “cinco Comissários” por “um presidente e quatro outros Comissários”, “(i)” por “(A)” e “(ii)” por “(B)”, e subpar. (B).

Subsec. (a) (5). Bar. L. 95–405, § 2 (6), eliminado “, por e com o conselho e consentimento do Senado”, depois de “pelo Pub. L. 95–405, § 2 (7), inserido “de acordo com as categorias orçamentárias, planos, programas e prioridades estabelecidas e aprovadas pelo Pub. L. 95–405, § 2 (8), substituído “, planos, prioridades e orçamentos aprovados pelo Pub. L. 95–405, § 2 (9), (10), designou as disposições existentes como subpar. (A) e adicionado abaixo da média. (B).

Subsec. (a) (8). Bar. L. 95–405, § 2 (11) - (13), designou as disposições existentes como subpar. (A), substituiu “manter” por “estabelecer um escritório separado dentro do Departamento de Agricultura para ter funcionários do Pub. L. 95–405, § 2 (14), (15), substituiu “Comitê do Senado sobre Agricultura, Nutrição e Florestas” por “Comitê do Senado sobre Agricultura e Silvicultura”.

Subsec. (a) (1). Bar. L. 93-463, §§ 201, 202, eliminou "cebolas", depois de "ovos", na definição da seção 13-1 deste título, e todos os serviços, direitos e interesses em que os contratos para a entrega futura são atualmente ou no futuro tratado, e definições inseridas para Pub. L. 90-418 definição estendida de Pub. L. 90-258, § 1 (c), previsto na última frase para representação no Secretário de Comércio e no Procurador-Geral por um oficial ou funcionário designado do departamento executivo em questão e para serviço do Secretário de Agricultura ou seu designado como Presidente.

Alteração do Pub. L. 111–203 efetivo no final de 360 ​​dias após 21 de julho de 2010, ou, na medida em que uma disposição do subtítulo A (§§ 711–754) do título VII do Pub. L. 111-203 requer uma regulamentação, não menos que 60 dias após a publicação da regra final ou regulamento implementando tal disposição do subtítulo A, consulte a seção 754 da Pub. L. 111–203, apresentado como uma nota na seção 1a deste título.

Alteração desta seção e revogação do Pub. L. 110–234 por Pub. L. 110–246 em vigor em 22 de maio de 2008, a data de promulgação da Pub. L. 110–234, exceto quando indicado de outra forma, consulte a seção 4 do Pub. L. 110–246, estabelecido como uma nota de Data Efetiva na seção 8701 deste título.

Lei de 26 de julho de 1955, cap. 382, § 2, 69 Stat. 375, desde que:

Act 28 de agosto de 1954, cap. 1041, título VII, § 710 (b), 68 Stat. 913, que previa que a emenda desta seção pelo ato de 28 de agosto de 1954, entraria em vigor 60 dias após 28 de agosto de 1954, foi revogada pelo pub. L. 103-130, § 3 (a), 1 de novembro de 1993, 107 Stat. 1369, ef. 31 de dezembro de 1995.

Ato de 9 de outubro de 1940, cap. 786, § 2, 54 Stat. 1059, desde que:

Alteração pela lei de 15 de junho de 1936, com vigência de 90 dias após 15 de junho de 1936, ver seção 13 dessa lei, apresentada como uma nota na seção 1 deste título.

Disposições semelhantes estavam contidas nas seguintes leis de dotações anteriores: