Artigos

14,34: Seção 7.6 Respostas


1. (y_ {1} = x left (1 - x + frac {3} {4} x ^ {2} - frac {13} {36} x ^ {3} + ldots right) ; quad y_ {2} = y_ {1} ln x + x ^ {2} left (1 - x + frac {65} {108} x ^ {2} + ldots right) )

2. (y_ {1} = x ^ {- 1} left (1 - 2x + frac {9} {2} x ^ {2} - frac {20} {3} x ^ {3} + ldots right); quad y_ {2} = y_ {1} ln x + 1 - frac {15} {4} x + frac {133} {18} x ^ {2} + ldots )

3. (y_ {1} = 1 + x - x ^ {2} + frac {1} {3} x ^ {3} + dots; quad y_ {2} = y_ {1} ln x - x left (3 - frac {1} {2} x - frac {31} {18} x ^ {2} + ldots right) )

4. (y_ {1} = x ^ {1/2} left (1 - 2x + frac {5} {2} x ^ {2} - 2x ^ {3} + ldots right); quad y_ {2} = y_ {1} ln x + x ^ {3/2} left (1 - frac {9} {4} x + frac {17} {6} x ^ {2} + ldots right) )

5. (y_ {1} = x left (1 - 4x + frac {19} {2} x ^ {2} - frac {49} {3} x ^ {3} + ldots right) ; quad y_ {2} = y_ {1} ln x + x ^ {2} left (3 - frac {43} {4} x + frac {208} {9} x ^ {2} + ldots right) )

6. (y_ {1} = x ^ {- 1/3} left (1 - x + frac {5} {6} x ^ {2} - frac {1} {2} x ^ {3 } + ldots right); quad y_ {2} = y_ {1} ln x + x ^ {2/3} left (1 - frac {11} {12} x + frac {25} {36} x ^ {2} + ldots right) )

7. (y_ {1} = 1 - 2x + frac {7} {4} x ^ {2} - frac {7} {9} x ^ {3} + ldots; quad y_ {2} = y_ {1} ln x + x left (3 - frac {15} {4} x + frac {239} {108} x ^ {2} + ldots right) )

8. (y_ {1} = x ^ {- 2} left (1 - 2x + frac {5} {2} x ^ {2} - 3x ^ {3} + ldots right); quad y_ {2} = y_ {1} ln x + frac {3} {4} - frac {13} {6} x + ldots )

9. (y_ {1} = x ^ {- 1/2} left (1 - x + frac {1} {4} x ^ {2} + frac {1} {18} x ^ {3 } + ldots right); quad y_ {2} = y_ {1} ln x + x ^ {1/2} left ( frac {3} {2} - frac {13} {16} x + frac {1} {54} x ^ {2} + ldots right) )

10. (y_ {1} = x ^ {- 1/4} left (1 - frac {1} {4} x - frac {7} {32} x ^ {2} + frac {23 } {384} x ^ {3} + ldots right); quad y_ {2} = y_ {1} ln x + x ^ {3/4} left ( frac {1} {4} + frac {5} {64} x - frac {157} {2304} x ^ {2} + ldots right) )

11. (y_ {1} = x ^ {- 1/3} left (1 - x + frac {7} {6} x ^ {2} - frac {23} {18} x ^ {3 } + ldots right); quad y_ {2} = y_ {1} ln x - x ^ {5/3} left ( frac {1} {12} - frac {13} {108} x ldots right) )

12. (y_ {1} = x ^ {1/2} sum_ {n = 0} ^ { infty} frac {(- 1) ^ {n}} {(n!) ^ {2}} x ^ {n}; quad y_ {2} = y_ {1} ln x-2x ^ {1/2} sum_ {n = 1} ^ { infty} frac {(- 1) ^ {n }} {(n!) ^ {2}} left ( sum_ {j = 1} ^ {n} frac {1} {j} right) x ^ {n} )

13. (y_ {1} = x ^ {1/6} sum_ {n = 0} ^ { infty} left ( frac {2} {3} right) ^ {n} frac { prod_ {j = 1} ^ {n} (3j + 1)} {n!} x ^ {n}; quad y_ {2} = y_ {1} ln xx ^ {1/6} sum_ {n = 1} ^ { infty} left ( frac {2} {3} right) ^ {n} frac { prod_ {j = 1} ^ {n} (3j + 1)} {n!} left ( sum_ {j = 1} ^ {n} frac {1} {j (3j + 1)} right) x ^ {n} )

14. (y_ {1} = x ^ {2} sum_ {n = 0} ^ { infty} (- 1) ^ {n} (n + 1) ^ {2} x ^ {n}; quad y_ {2} = y_ {1} ln x-2x ^ {2} sum_ {n = 1} ^ { infty} (- 1) ^ {n} n (n + 1) x ^ {n} )

15. (y_ {1} = x ^ {3} sum_ {n = 0} ^ { infty} 2 ^ {n} (n + 1) x ^ {n}; quad y_ {2} = y_ {1} ln xx ^ {3} sum_ {n = 1} ^ { infty} 2 ^ {n} nx ^ {n} )

16. (y_ {1} = x ^ {1/5} sum_ {n = 0} ^ { infty} frac {(- 1) ^ {n} prod_ {j = 1} ^ {n} (5j + 1)} {125 ^ {n} (n!) ^ {2}} x ^ {n}; quad y_ {2} = y_ {1} ln xx ^ {1/5} sum_ { n = 1} ^ { infty} frac {(- 1) ^ {n} prod_ {j = 1} ^ {n} (5j + 1)} {125 ^ {n} (n!) ^ {2 }} left ( sum_ {j = 1} ^ {n} frac {5j + 2} {j (5j + 1)} right) x ^ {n} )

17. (y_ {1} = x ^ {1/2} sum_ {n = 0} ^ { infty} frac {(- 1) ^ {n} prod_ {j = 1} ^ {n} (2j-3)} {4 ^ {n} n!} X ^ {n}; quad y_ {2} = y_ {1} ln x + 3x ^ {1/2} sum_ {n = 1} ^ { infty} frac {(- 1) ^ {n} prod_ {j = 1} ^ {n} (2j-3)} {4 ^ {n} n!} left ( sum_ {j = 1} ^ {n} frac {1} {j (2j-3)} direita) x ^ {n} )

18. (y_ {1} = x ^ {1/3} sum_ {n = 0} ^ { infty} frac {(- 1) ^ {n} prod_ {j = 1} ^ {n} (6j-7) ^ {2}} {81 ^ {n} (n!) ^ {2}} x ^ {n}; quad y_ {2} = y_ {1} ln x + 14x ^ {1 / 3} sum_ {n = 1} ^ { infty} frac {(- 1) ^ {n} prod_ {j = 1} ^ {n} (6j-7) ^ {2}} {81 ^ {n} (n!) ^ {2}} left ( sum_ {j = 1} ^ {n} frac {1} {j (6j-7)} right) x ^ {n} )

19. (y_ {1} = x ^ {2} sum_ {n = 0} ^ { infty} frac {(- 1) ^ {n} prod_ {j = 1} ^ {n} (2j +5)} {(n!) ^ {2}} x ^ {n}; quad y_ {2} = y_ {1} ln x-2x ^ {2} sum_ {n = 1} ^ { infty} frac {(- 1) ^ {n} prod_ {j = 1} ^ {n} (2j + 5)} {(n!) ^ {2}} left ( sum_ {j = 1} ^ {n} frac {j + 5} {j (2j + 5)} direita) x ^ {n} )

20. (y_ {1} = frac {1} {x} sum_ {n = 0} ^ { infty} frac {(2) ^ {n} prod_ {j = 1} ^ {n} (2j-1)} {n!} X ^ {n}; quad y_ {2} = y_ {1} ln x + frac {1} {x} sum_ {n = 1} ^ { infty} frac {(2) ^ {n} prod_ {j = 1} ^ {n} (2j-1)} {n!} left ( sum_ {j = 1} ^ {n} frac {1} {j (2j-1)} direita) x ^ {n} )

21. (y_ {1} = frac {1} {x} sum_ {n = 0} ^ { infty} frac {(- 1) ^ {n} prod_ {j = 1} ^ {n } (2j-5)} {n!} X ^ {n}; quad y_ {2} = y_ {1} ln x + frac {5} {x} sum_ {n = 1} ^ { infty } frac {(- 1) ^ {n} prod_ {j = 1} ^ {n} (2j-5)} {n!} left ( sum_ {j = 1} ^ {n} frac { 1} {j (2j-5)} direita) x ^ {n} )

22. (y_ {1} = x ^ {2} sum_ {n = 0} ^ { infty} frac {(- 1) ^ {n} prod_ {j = 1} ^ {n} (2j +3)} {2 ^ {n} n!} X ^ {n}; quad y_ {2} = y_ {1} ln x-3x ^ {2} sum_ {n = 1} ^ { infty } frac {(- 1) ^ {n} prod_ {j = 1} ^ {n} (2j + 3)} {2 ^ {n} n!} left ( sum_ {j = 1} ^ { n} frac {1} {j (2j + 3)} right) x ^ {n} )

23. (y_ {1} = x ^ {- 2} left (1 + 3x + frac {3} {2} ^ {2} - frac {1} {2} x ^ {3} + ldots right); quad y_ {2} = y_ {1} ln x - 5x ^ {- 1} left (1 + frac {5} {4} x - frac {1} {4} x ^ {2} + ldots right) )

24. (y_ {1} = x ^ {3} (1 + 20x + 180x ^ {2} + 1120x ^ {3} + ldots); quad y_ {2} = y_ {1} ln x - x ^ {4} left (26 + 324x + 6968 3 x ^ {2} + ldots right) )

25. (y_ {1} = x left (1 - 5x + frac {85} {4} x ^ {2} - frac {3145} {36} x ^ {3} + ldots right) ; quad y_ {2} = y_ {1} ln x + x ^ {2} left (2 - frac {39} {4} x + frac {4499} {108} x ^ {2} + ldots right) )

26. (y_ {1} = 1 - x + frac {3} {4} x ^ {2} - frac {7} {12} x ^ {3} + ldots; quad y_ {2} = y_ {1} ln x + x left (1 - frac {3} {4} x + frac {5} {9} x ^ {2} + ldots right) )

27. (y_ {1} = x ^ {- 3} (1 + 16x + 36x ^ {2} + 16x ^ {3} + ldots); quad y_ {2} = y_ {1} ln x - x ^ {- 2} left (40 + 150x + frac {280} {3} x ^ {2} + ldots right) )

28. (y_ {1} = x sum_ {m = 0} ^ { infty} frac {(- 1) ^ {m}} {2 ^ {m} m!} X ^ {2m}; quad y_ {2} = y_ {1} ln x- frac {x} {2} sum_ {m = 1} ^ { infty} frac {(- 1) ^ {m}} {2 ^ { m} m!} left ( sum_ {j = 1} ^ { infty} frac {1} {j} right) x ^ {2m} )

29. (y_ {1} = x ^ {2} sum_ {m = 0} ^ { infty} (- 1) ^ {m} (m + 1) x ^ {2m}; quad y_ {2 } = y_ {1} ln x- frac {x ^ {2}} {2} sum_ {m = 1} ^ { infty} (- 1) ^ {m} mx ^ {2m} )

30. (y_ {1} = x ^ {1/2} sum_ {m = 0} ^ { infty} frac {(- 1) ^ {m}} {4 ^ {m} m!} X ^ {2m}; quad y_ {2} = y_ {1} ln x- frac {x ^ {1/2}} {2} sum_ {m = 1} ^ { infty} frac {( -1) ^ {m}} {4 ^ {m} m!} Left ( sum_ {j = 1} ^ {m} frac {1} {j} right) x ^ {2m} )

31. (y_ {1} = x sum_ {m = 0} ^ { infty} frac {(- 1) ^ {m} prod_ {j = 1} ^ {m} (2j-1)} {2 ^ {m} m!} X ^ {2m}; quad y_ {2} = y_ {1} ln x + frac {x} {2} sum_ {m = 1} ^ { infty} frac {(- 1) ^ {m} prod_ {j = 1} ^ {m} (2j-1)} {2 ^ {m} m!} left ( sum_ {j = 1} ^ {m} frac {1} {j (2j-1)} right) x ^ {2m} )

32. (y_ {1} = x ^ {1/2} sum_ {m = 0} ^ { infty} frac {(- 1) ^ {m} prod_ {j = 1} ^ {m} (4j-1)} {8 ^ {m} m!} X ^ {2m}; quad y_ {2} = y_ {1} ln x + frac {x ^ {1/2}} {2} sum_ {m = 1} ^ { infty} frac {(- 1) ^ {m} prod_ {j = 1} ^ {m} (4j-1)} {8 ^ {m} m!} left ( sum_ {j = 1} ^ {m} frac {1} {j (4j-1)} right) x ^ {2m} )

33. (y_ {1} = x sum_ {m = 0} ^ { infty} frac {(- 1) ^ {m} prod_ {j = 1} ^ {m} (2j + 1)} {2 ^ {m} m!} X ^ {2m}; quad y_ {2} = y_ {1} ln x- frac {x} {2} sum_ {m = 1} ^ { infty} frac {(- 1) ^ {m} prod_ {j = 1} ^ {m} (2j + 1)} {2 ^ {m} m!} left ( sum_ {j = 1} ^ {m } frac {1} {j (2j + 1)} right) x ^ {2m} )

34. (y_ {1} = x ^ {- 1/4} sum_ {m = 0} ^ { infty} frac {(- 1) ^ {m} prod_ {j = 1} ^ {m } (8j-13)} {(32) ^ {m} m!} X ^ {2m}; quad y_ {2} = y_ {1} ln x + frac {13} {2} x ^ {- 1/4} sum_ {m = 1} ^ { infty} frac {(- 1) ^ {m} prod_ {j = 1} ^ {m} (8j-13)} {(32) ^ { m} m!} left ( sum_ {j = 1} ^ {m} frac {1} {j (8j-13)} right) x ^ {2m} )

35. (y_ {1} = x ^ {1/3} sum_ {m = 0} ^ { infty} frac {(- 1) ^ {m} prod_ {j = 1} ^ {m} (3j-1)} {9 ^ {m} m!} X ^ {2m}; quad y_ {2} = y_ {1} ln x + frac {x ^ {1/3}} {2} sum_ {m = 1} ^ { infty} frac {(- 1) ^ {m} prod_ {j = 1} ^ {m} (3j-1)} {9 ^ {m} m!} left ( sum_ {j = 1} ^ {m} frac {1} {j (3j-1)} direita) x ^ {2m} )

36. (y_ {1} = x ^ {1/2} sum_ {m = 0} ^ { infty} frac {(- 1) ^ {m} prod_ {j = 1} ^ {m} (4j-3) (4j-1)} {4 ^ {m} (m!) ^ {2}} x ^ {2m}; quad y_ {2} = y_ {1} ln x + x ^ { 1/2} sum_ {m = 1} ^ { infty} frac {(- 1) ^ {m} prod_ {j = 1} ^ {m} (4j-3) (4j-1)} { 4 ^ {m} (m!) ^ {2}} left ( sum_ {j = 1} ^ {m} frac {8j-3} {j (4j-3) (4j-1)} right ) x ^ {2m} )

37. (y_ {1} = x ^ {5/3} sum_ {m = 0} ^ { infty} frac {(- 1) ^ {m}} {3 ^ {m} m!} X ^ {2m}; quad y_ {2} = y_ {1} ln x- frac {x ^ {5/3}} {2} sum_ {m = 1} ^ { infty} frac {( -1) ^ {m}} {3 ^ {m} m!} Left ( sum_ {j = 1} ^ {m} frac {1} {j} right) x ^ {2m} )

38. (y_ {1} = frac {1} {x} sum_ {m = 0} ^ { infty} frac {(- 1) ^ {m} prod_ {j = 1} ^ {m } (4j-7)} {2 ^ {m} m!} X ^ {2m}; quad y_ {2} = y_ {1} ln x + frac {7} {2x} sum_ {m = 1 } ^ { infty} frac {(- 1) ^ {m} prod_ {j = 1} ^ {m} (4j-7)} {2 ^ {m} m!} left ( sum_ {j = 1} ^ {m} frac {1} {j (4j-7)} direita) x ^ {2m} )

39. (y_ {1} = x ^ {- 1} left (1 - frac {3} {2} x ^ {2} + frac {15} {8} x ^ {4} - frac {35} {16} x ^ {6} + ldots right); quad y_ {2} = y_ {1} ln x + x left ( frac {1} {4} - frac {13 } {32} x ^ {2} + frac {101} {192} x ^ {4} + ldots right) )

40. (y_ {1} = x left (1 - frac {1} {2} x ^ {2} + frac {1} {8} x ^ {4} - frac {1} {48 } x ^ {6} + ldots right); quad y_ {2} = y_ {1} ln x + x ^ {3} left ( frac {1} {4} - frac {3} {32} x ^ {2} + frac {11} {576} x ^ {4} + ldots right) )

41. (y_ {1} = x ^ {- 2} left (1 - frac {3} {4} x ^ {2} - frac {9} {64} x ^ {4} - frac {25} {256} x ^ {6} + ldots right); quad y_ {2} = y_ {1} ln x + frac {1} {2} - frac {21} {128} x ^ {2} - frac {215} {1536} x ^ {4} + ldots )

42. (y_ {1} = x ^ {- 3} left (1 - frac {17} {8} x ^ {2} + frac {85} {256} x ^ {4} - frac {85} {18432} x ^ {6} + ldots right); quad y_ {2} = y_ {1} ln x + x ^ {- 1} left ( frac {25} {8} - frac {471} {512} x ^ {2} + frac {1583} {110592} x ^ {4} + ldots right) )

43. (y_ {1} = x ^ {- 1} left (1 - frac {3} {4} x ^ {2} + frac {45} {64} x ^ {4} - frac {175} {256} x ^ {6} + ldots right); quad y_ {2} = y_ {1} ln x - x left ( frac {1} {4} - frac {33 } {128} x ^ {2} + frac {395} {1536} x ^ {4} + ldots right) )

44. (y_ {1} = frac {1} {x}; quad y_ {2} = y_ {1} ln x - 6 + 6x - frac {8} {3} x ^ {2} )

45. (y_ {1} = 1-x; quad y_ {2} = y_ {1} ln x + 4x )

46. ​​ (y_ {1} = frac {(x-1) ^ {2}} {x}; quad y_ {2} = y_ {1} ln x + 3-3x + 2 sum_ {n = 2} ^ { infty} frac {1} {n (n ^ {2} -1)} x ^ {n} )

47. (y_ {1} = x ^ {1/2} (x + 1) ^ {2}; quad y_ {2} = y_ {1} ln xx ^ {3/2} left (3 + 3x + 2 sum_ {n = 2} ^ { infty} frac {(- 1) ^ {n}} {n (n ^ {2} -1)} x ^ {n} direita) )

48. (y_ {1} = x ^ {2} (1-x) ^ {3}; quad y_ {2} = y_ {1} ln x + x ^ {3} left (4-7x + frac {11} {3} x ^ {2} -6 sum_ {n = 3} ^ { infty} frac {1} {n (n-2) (n ^ {2} -1)} x ^ {n} direita) )

49. (y_ {1} = x-4x ^ {3} + x ^ {5}; quad y_ {2} = y_ {1} ln x + 6x ^ {3} -3x ^ {5} )

50. (y_ {1} = x ^ {1/3} left (1- frac {1} {6} x ^ {2} right); quad y_ {2} = y_ {1} ln x + x ^ {7/3} left ( frac {1} {4} - frac {1} {12} sum_ {m = 1} ^ { infty} frac {1} {6 ^ {m} m (m + 1) (m + 1)!} x ^ {2m} direita) )

51. (y_ {1} = (1 + x ^ {2}) ^ {2}; quad y_ {2} = y_ {1} ln x- frac {3} {2} x ^ {2 } - frac {3} {2} x ^ {4} + sum_ {m = 3} ^ { infty} frac {(- 1) ^ {m}} {m (m-1) (m- 2)} x ^ {2m} )

52. (y_ {1} = x ^ {- 1/2} left (1- frac {1} {2} x ^ {2} + frac {1} {32} x ^ {4} direita); quad y_ {2} = y_ {1} ln x + x ^ {3/2} left ( frac {5} {8} - frac {9} {128} x ^ {2} + sum_ {m = 2} ^ { infty} frac {1} {4 ^ {m + 1} (m-1) m (m + 1) (m + 1)!} x ^ {2m} certo))

56. (y_ {1} = sum_ {m = 0} ^ { infty} frac {(- 1) ^ {m}} {4 ^ {m} (m!) ^ {2}} x ^ {2m}; quad y_ {2} = y_ {1} ln x- sum_ {m = 1} ^ { infty} frac {(- 1) ^ {m}} {4 ^ {m} ( m!) ^ {2}} left ( sum_ {j = 1} ^ {m} frac {1} {j} right) x ^ {2m} )

58. ( frac {x ^ {1/2}} {1 + x}; quad frac {x ^ {1/2} ln x} {1 + x} )

59. ( frac {x ^ {1/3}} {3 + x}; quad frac {x ^ {1/3} ln x} {3 + x} )

60. ( frac {x} {2-x ^ {2}}; quad frac {x ln x} {2-x ^ {2}} )

61. ( frac {x ^ {1/3}} {1 + x ^ {2}}; quad frac {x ^ {1/4} ln x} {1 + x ^ {2}} )

62. ( frac {x} {4 + 3x}; quad frac {x ln x} {4 + 3x} )

63. ( frac {x ^ {1/2}} {1 + 3x + x ^ {2}}; quad frac {x ^ {1/2} ln x} {1 + 3x + x ^ {2}} )

64. ( frac {x} {(1-x) ^ {2}}; quad frac {x ln x} {(1-x) ^ {2}} )

65. ( frac {x ^ {1/3}} {1 + x + x ^ {2}}; quad frac {x ^ {1/3} ln x} {1 + x + x ^ {2}} )


Capítulo 07, Seção 7.6, Problema de tutoria inteligente 063 Uma pesquisa com todas as empresas de médio e grande porte mostrou que 64% delas oferecem planos de aposentadoria para seus funcionários. Seja p a proporção em uma amostra aleatória de 50 empresas que oferecem planos de aposentadoria a seus funcionários. Encontre a probabilidade de que o valor de p seja a. entre 0,54 e 0,61 b. maior que 0,71 Capítulo 07, Seção 7.6, Tutoria Inteligente Problema 063 Z Sua resposta está parcialmente correta. Tente novamente. b. Para p = 0,71, o que é z? 0,7611

help_outline

Transcrição de imagemperto

Capítulo 07, Seção 7.6, Problema de tutoria inteligente 063 Uma pesquisa com todas as empresas de médio e grande porte mostrou que 64% delas oferecem planos de aposentadoria para seus funcionários. Seja p a proporção em uma amostra aleatória de 50 empresas que oferecem planos de aposentadoria a seus funcionários. Encontre a probabilidade de que o valor de p seja a. entre 0,54 e 0,61 b. maior que 0,71

help_outline

Transcrição de imagemperto

Capítulo 07, Seção 7.6, Problema de tutoria inteligente 063 Z Sua resposta está parcialmente correta. Tente novamente. b. Para p = 0,71, o que é z? 0,7611


Q: 26,3 Complete e equilibre a seguinte reação e, a seguir, forneça o lado do produto da equação equilibrada.

R: Uma equação química é uma representação simbólica de uma reação química na qual os reagentes e p.

Q: Qual volume em LITROS de NaOH 0,1 M é necessário na titulação de 50,0 mL de um sol de ácido acético 0,150 M.

R: Clique para ver a resposta

Q:: Resposta por (Verdadeiro) ou (Falso) Redução de aldeídos dê 2 °. álcoois Verdadeiro Falso

R: A redução de qualquer grupo funcional envolve a remoção do átomo de oxigênio ou adição do átomo de hidrogênio a fu.

P: Responda o seguinte: 3. A carne é cozida em uma panela de pressão com uma pressão inicial de 1,5 atm.

A: A equação do gás ideal é dada por PV = nRT. Onde P é a pressão, V é o volume do gás, n é o número de moles.

Q: Usando a tabela fornecida, determine a entalpia (em kJ / mol) para a reação 2 NH3 (g) + 3 N20 (g) →.

A: A diferença entre as entalpias de formação do produto - produtos Hf - e as entalpias do reatano.

P: Use as seguintes informações para completar a tabela. pOH + pH = 14,0 pH = -log [H +] pOH = -log [OH-].

A: Dado, pH = - log [H +] pOH = -log [OH-] pH + pOH = 14 Se o pH for maior que 7 é básico, igual a 7 é neu.

Q: (d) 2-etil-3-metnilbult 2. é 2. O nome IUPAC de Br (a) 2-metil-3-bromohexanal (b) 3-bromo-2-met.

R: Como você postou várias perguntas, resolveremos apenas a primeira pergunta para você. Se você quiser.

Q: Determine a magnitude da energia e o comprimento de onda de um fóton emitido quando um elétron produz a.

A: Dado, Transição de n = 5 para n = 2 Fórmula de nível usada, ∆E = 2,18 × 10-181nf2-1ni2 J ∆E = hv h é o pl.

Q: Quando 18,0 ml de uma saluição de nitrato de ferro (III) 7,32 10M são combinados com 13,0 ml. de uma amônia 5,10 × 10M.


IndiaBIX fornece muitas perguntas e respostas totalmente resolvidas de Raciocínio Lógico (Série Numérica) com Explicação. Exemplos resolvidos com descrição detalhada da resposta, explicação são fornecidos e seria fácil de entender. Todos os alunos, caloiros, podem baixar as perguntas do questionário Logical Reasoning Number Series com respostas como arquivos PDF e eBooks.

Aqui você pode encontrar perguntas e respostas do tipo objetivo da série de números de raciocínio lógico para entrevista e exame de admissão. Perguntas de múltipla escolha e verdadeiro ou falso também são fornecidas.


14,34: Seção 7.6 Respostas

Mostra as etapas de um coletor de lixo de marcação e varredura em

  1. Fig. 7.19 com o ponteiro de A a B excluído.
  2. Fig. 7.19 com o ponteiro de A a C excluído.
  3. Fig. 7.20 com o ponteiro de A a D excluído.
  4. Fig. 7.20 com o objeto B excluído.

Fig. 7.19 com o ponteiro de A a B excluído.

O algoritmo de marcação e varredura Baker move objetos entre quatro listas: Livre, Não Alcançado, Não Verificado e Verificado. Para cada uma das redes de objetos do Exercício 7.6.1, indique para cada objeto a seqüência de listas nas quais ele se encontra, desde o início da coleta de lixo até o final.

Fig. 7.19 com o ponteiro de A a B excluído.

Suponha que realizemos uma coleta de lixo de marcação e compactação em cada uma das redes do Exercício 7.6.1. Além disso, suponha que

  1. Cada objeto tem tamanho de 100 bytes e
  2. Inicialmente, os nove objetos no heap são organizados em ordem alfabética, começando no byte 0 do heap.

Qual é o endereço de cada objeto após a coleta de lixo?

Fig. 7.19 com o ponteiro de A a B excluído.

Suponha que executemos o algoritmo de coleta de lixo de cópia de Cheney em cada uma das redes do Exercício 7.6.1. Além disso, suponha que

  1. Cada objeto tem tamanho de 100 bytes,
  2. A lista não verificada é gerenciada como uma fila, e quando um objeto tem mais de um ponteiro, os objetos alcançados são adicionados à fila em ordem alfa-beta, e
  3. O semiespaço From começa na localização 0, e o semiespaço To começa na localização 10.000.

Qual é o valor de NewLocation (o) para cada objeto o que permanece após a coleta de lixo?


Respostas da série 7 do Go Math, Capítulo 8 Modelagem de figuras geométricas

Sugerimos que os alunos consultem o Go Math, Grade 7 Respostas, Capítulo 8 Modelando Figuras Geométricas, para obter a pontuação mais alta nos exames. Isso cria o interesse dos alunos em se tornarem mestres em matemática. Aprenda os conceitos de figuras geométricas de forma que você mesmo prepare as questões. Clique nos links e anexos abaixo e obtenha a explicação passo a passo.

Capítulo 8 & # 8211 Modelando Figuras Geométricas & # 8211 Lição: 1

Capítulo 8 & # 8211 Modelando Figuras Geométricas & # 8211 Lição: 2

Capítulo 8 & # 8211 Modelando Figuras Geométricas & # 8211 Lição: 3

Capítulo 8 & # 8211 Modelando Figuras Geométricas & # 8211 Lição: 4

Capítulo 8 e # 8211 Modelando Figuras Geométricas

Prática Guiada & # 8211 Página No. 240

Questão 1.
A escala de uma sala em uma planta é 3 pol: 5 pés. Uma parede na mesma planta tem 18 pol. Complete a tabela.

uma. Qual é o comprimento da parede real?

______ pés

Explicação:
Completamos a tabela usando a proporcionalidade direta
3 pol.: 5 pés
Uma parede no mesmo projeto tem 18 pol. E 9 metros.

Questão 1.
b. Uma janela na sala tem uma largura real de 2,5 pés. Encontre a largura da janela na planta.
______ polegadas

Explicação:
Nós determinamos o número de polegadas correspondentes a 1 pé na janela real
3 pol / 5 pol
Multiplique e divida por 5
(3 in ÷ 5) / (5 ft ÷ 5) = 0,6 / 1 ft
Assim, 1 pé corresponde a 0,6 polegadas, então a largura da janela na mesa é
2,5 × 0,6 = 1,5 polegadas

Questão 2.
A escala no desenho é 2 pol.: 4 pés. Qual é o comprimento e a largura da sala real? Encontre a área da sala real.

Largura: _________ pés
Comprimento: _________ pés
Área: _________ pés quadrados

Responder:
Largura: 28 pés
Comprimento: 14 pés
Área: 392 pés quadrados

Explicação:
Nós determinamos o número de pés correspondendo a 1 polegada no desenho
2 pol / 4 pol = (2 pol. ÷ 2) / (4 pol. ÷ 2) = 1/2
Assim, 1 polegada corresponde a 2 pés nas dimensões reais da sala.
Determinamos o comprimento real da sala, marcado com 14 polegadas no desenho.
14 × 2 = 28 pés
Nós determinamos a largura real da sala, marcada com 7 polegadas no desenho.
7 × = 14 pés
Calculamos a área da sala real:
28 × 14 = 392 pés quadrados.

Questão 3.
A escala no desenho é de 2 cm: 5 m. Qual é o comprimento e a largura da sala real? Encontre a área da sala real.

Largura: _________ m
Comprimento: _________ m
Área: _________ metros quadrados

Responder:
Largura: 25 m
Comprimento: 15 m
Área: 375 m²

Explicação:
Determinamos o número de metros correspondente a 1 centímetro no desenho:
2 cm / 5 cm = (2 cm ÷ 2) / (5 cm ÷ 2) = 1 cm / 2,5 m
Determinamos o comprimento real da sala, marcado com 10 cm no desenho:
10 × 2,5 = 25 m
Determinamos a largura real da sala, marcada com 6 cm no desenho:
6 × 2,5 = 15 m
Calculamos a área da sala:
25 × 15 = 375 pés quadrados.

Questão 4.
Um desenho em escala de um refeitório é desenhado em papel quadriculado de centímetros, conforme mostrado. A escala é 1 cm: 4 m.
uma. Redesenhe o retângulo em papel quadriculado de centímetros usando uma escala de 1 cm: 6 m.

Digite abaixo:
_____________

Responder:

Questão 4.
b. Qual é o comprimento e largura reais do refeitório usando a escala original? Quais são as dimensões reais do refeitório usando a nova escala?
Comprimento: _________ m
Largura: _________ m

Responder:
Na escala original, as dimensões do desenho são
l1 = 9 cm
w1 = 6 cm
Determinamos o comprimento real usando a escala original:
9 × 4 = 36
Determinamos a largura real usando a escala original:
6 × 4 = 24
Na segunda escala, as dimensões do desenho são
l2 = 6 cm
w1 = 4 cm
Determinamos o comprimento real usando a escala original:
6 × 6 = 36
Determinamos a largura real usando a escala original:
4 × 6 = 24
Portanto, o comprimento é de 36m
A largura é 24 m

Verificação da pergunta essencial

Questão 5.
Se você tiver um desenho em escala completo e preciso e a escala, quais medidas do objeto do desenho você pode encontrar?
Digite abaixo:
_____________

Responder:
Se tivermos um desenho e escala precisos e completos em escala, podemos determinar todas as medidas do objeto porque são todas proporcionais às dimensões no desenho, sendo a proporção a escala.

Prática Independente & # 8211 Página No. 241

Questão 6.
Arte
Marie tem uma pequena cópia da famosa pintura de René Magritte, O Mestre da Escola. Sua cópia tem dimensões de 2 polegadas por 1,5 polegadas. A escala da cópia é 1 pol.:40 cm.
uma. Encontre as dimensões da pintura original.
Comprimento: _________ cm
Largura: _________ cm

Responder:
Comprimento: 80 cm
Largura: 60 cm

Explicação:
Recebemos os dados
Escala: 1 in: 40 cm
Cópia l1 = 2 pol.
w1 = 1,5 polegadas
Nós determinamos o comprimento l da pintura original
l = 2 × 40 = 80cm
Nós determinamos a largura w da pintura original
w = 1,5 × 40 = 60 cm

Questão 6.
b. Encontre a área da pintura original.
_____________ cm quadrados

Explicação:
Nós determinamos a largura w da pintura original
A = l.w
A = 80 × 60 = 4.800 cm quadrados

Questão 6.
c. Como 1 polegada equivale a 2,54 centímetros, encontre as dimensões da pintura original em polegadas.
Comprimento (polegadas
Largura: _________ polegadas

Responder:
Determinamos o comprimento l da pintura original em polegadas:
1 pol. = 2,54 cm
l = 80 / 2,54 cm ≈ 31,5 polegadas
Determinamos a largura w da pintura original em polegadas:
w = 60 / 2,54 ≈ 23,6 polegadas

Questão 6.
d. Encontre a área da pintura original em polegadas quadradas
_____________ polegadas quadradas

Resposta: 743,4 polegadas quadradas

Explicação:
Encontramos a área da pintura original em polegadas quadradas:
l × w = 31,5 × 23,6 = 743,4 polegadas quadradas
Portanto, a área da pintura original é de 743,4 polegadas quadradas.

Questão 7.
Uma sala de jogos tem um piso de 36 x 25 m. Um desenho em escala do chão em papel quadriculado usa uma escala de 1 unidade: 5 pés. Quais são as dimensões do desenho em escala?
Comprimento: _________ unidades
Largura: _________ unidades

Responder:
Comprimento: 24 unidades
Largura: 15 unidades

Explicação:
Recebemos os dados:
Escala: 1 unidade: 5 pés
Dimensões reais: l = 120 pés, w = 75 pés
Determinamos o número de unidades no desenho correspondendo a 1 pé das dimensões reais.
1 unidade / 5 pés
(1 unidade ÷ 5) / (5 pés ÷ 5) = 0,2 unidades / 1 pé
Nós determinamos o comprimento do desenho em escala:
120 × 0,2 = 24 unidades
Nós determinamos a largura do desenho em escala:
75 × 0,2 = 15 unidades

Questão 8.
Representações Múltiplas
O comprimento de uma mesa é de 6 pés. Em um desenho em escala, o comprimento é de 2 polegadas. Escreva três escalas possíveis para o desenho.
Digite abaixo:
_____________

Responder:
l = 6 pés
l1 = 2 polegadas
l = o comprimento real
l1 = o comprimento em um desenho em escala
2 polegadas: 6 pés
1 in: 3 pés
2/6×12 = 2/72 = 1/36
1 cm: 36 cm

Questão 9.
Analisar relacionamentos
Uma escala para um desenho em escala é de 10 cm: 1 mm. Qual é maior, o objeto real ou o desenho em escala? Explique.
_____________

Responder:
Recebemos a escala
10 cm: 1 mm
100 mm: 1 m
Isso significa que o correspondente em dimensão real para 100 mm de desenho é de 1 mm, então quanto maior no desenho há uma distância real menor, portanto o desenho em escala é maior.

Questão 10.
Arquitetura
O modelo em escala de um edifício tem 5,4 metros de altura.
uma. Se o edifício original tem 810 metros de altura, qual foi a escala usada para fazer a maquete?
______ pés: ______ m

Explicação:
Vamos & # 8217s observar:
h1 = a altura no modelo em escala
h = a altura real
Recebemos os dados
h1 = 5,4 pés
h = 810 metros
Nós determinamos a escala do modelo
h1 / h = 5,4 pés / 810 m = (5,4 pés ÷ 5,4) / (810 ÷ 5,4)
1 pé / 150 m
1 pé: 150 m

Questão 10.
b. Se o modelo for feito de tijolos minúsculos, cada um medindo 0,4 polegada de altura, quantos tijolos tem o modelo?
___________ tijolos

Explicação:
Nós determinamos a escala do modelo:
h1 / 0,4 = 5,4 / 0,4 = 13,5
O número de tijolos: 14

Página No. 242

Questão 11.
Você foi convidado a construir um modelo em escala de sua escola com palitos de dente. Imagine que sua escola tem 9 metros de altura. Sua escala é 1 pé: 1,26 cm.
uma. Se um palito tiver 6,3 cm de altura, quantos palitos terá a altura do seu modelo?
______ palitos de dente

Explicação:
Dado que,
h = 30 pés
1 pé: 1,26 cm
h1 = a altura no modelo em escala
h = a altura real
Determinamos a altura h1 do modelo:
h1 = 30 × 1,26 = 37,8 cm
h1 / 6,3 = 37,8 / 6,3 = 6
Assim, o número de palitos = 6

Questão 11.
b. Sua mãe está sem palitos de dente e sugere que você use cotonetes. Você os mede e eles têm 7,6 cm de altura. Quantos cotonetes de altura seu modelo terá?
______ cotonetes

Explicação:
Encontramos o número de wabs de algodão
h1 / 7,6 = 37,8 / 7,6 ≈ 5
Assim, o número de wabs de algodão = 5

Foco no pensamento de ordem superior

Questão 12.
Tirar conclusões
A área de um piso quadrado em um desenho à escala é de 100 centímetros quadrados e a escala do desenho é de 1 cm: 2 pés. Qual é a área do piso real? Qual é a proporção da área no desenho em relação à área real?
Área = ______ pés quadrados

Explicação:
A1 = a área do desenho
A = a área do piso real
Recebemos os dados:
A1 = 100 cm²
1 cm: 2 pés
1 cm corresponde a 2 pés
1 cm x 1 cm corresponde a 2 pés x 2 pés
1 cm² corresponde a 4 pés²
A = 100,4 = 400 pés²
Determinamos a proporção da área no desenho em relação à área real:
1 ft = 0,3048 m = 30,48 cm
A1 / A = 100/400 × 30,48² ≈ ​​0,0003

Questão 13.
Representações Múltiplas
Descreva como redesenhar um desenho em escala com uma nova escala.
Digite abaixo:
_____________

Responder:
Para redesenhar um desenho em escala com uma nova escala, realizamos 2 etapas:
1. Descobrimos quantas vezes a nova escala nos torna maiores ou menores do que a antiga.
2. Multiplicamos este fator de escala pelas dimensões do desenho em escala antigo para obter um novo desenho.

Questão 14.
Representam problemas do mundo real
Descreva como vários empregos ou profissões podem usar desenhos em escala no trabalho.
Digite abaixo:
_____________

Responder:
Desenhos em escala são extremamente úteis em trabalhos que precisam representar áreas maiores em dispositivos menores, como
1. Arquitetura / construções
2. remédio
3. agricultura
4. turismo
5. transporte

Prática Guiada & # 8211 Página No. 245

Diga se cada figura cria as condições para formar um triângulo único, mais de um triângulo ou nenhum triângulo.

Questão 1.

Digite abaixo:
_____________

Explicação:
Recebemos dois ângulos e o lado incluído, portanto, há um triângulo único, pois os lados que partem de B e A se cruzam em um único ponto.

Questão 2.

Digite abaixo:
_____________

Explicação:
Recebemos os três lados do triângulo. Verificamos se a soma de quaisquer dois lados é maior que o outro.
4 + 11 = 15 & gt 3
11 + 3 = 14 & gt 4
3 + 4 = 7 não é maior que 11.
Como uma desigualdade não é verificada, o triângulo não existe.

Questão 3.

Digite abaixo:
_____________

Explicação:
Recebemos dois ângulos e o lado incluído, portanto, há um triângulo único, pois os lados que partem de B e A se cruzam em um único ponto.

Questão 4.

Digite abaixo:
_____________

Explicação:
Recebemos os três lados do triângulo. Verificamos se a soma de quaisquer dois lados é maior que o outro.
6 + 12 = 18 & gt 7
12 + 7 = 19 & gt 6
6 + 7 = 13 & gt 12
Uma vez que todas as desigualdades são verificadas, existe um triângulo único.

Verificação da pergunta essencial

Questão 5.
Descreva comprimentos de três segmentos que não poderiam ser usados ​​para formar um triângulo.
Digite abaixo:
_____________

Responder:
Encontre os comprimentos de três segmentos para não serem os lados de um triângulo, pelo menos uma soma de dois lados deve ser menor que o outro lado.
Sejam a, b, c os comprimentos dos três segmentos.
a + b não & gt a + b + k = c

Prática Independente

Questão 6.
Em uma folha de papel separada, tente desenhar um triângulo com comprimentos laterais de 3 centímetros e 6 centímetros e um ângulo incluído de 120 °. Determine se os segmentos e ângulos dados produzem um triângulo único, mais de um triângulo ou nenhum triângulo.
Digite abaixo:
_____________

Explicação:
∠A = 120 °
AB = 6
AC = 3

Desenhamos o segmento AB, o ângulo A e o segmento AC, depois juntamos B e C. O resultado é um triângulo único.

Questão 7.
Um arquiteto paisagista enviou para um cliente o projeto de um jardim de flores em forma de triângulo com comprimentos laterais de 21 pés, 37 pés e 15 pés. Explique por que o arquiteto não foi contratado para criar o jardim de flores.
Digite abaixo:
_____________

Responder:
Recebemos os lados de um triângulo
21 + 37 = 58 & gt 15
37 + 15 = 52 & gt 21
15 + 21 = 36 não & gt 37
Verificamos as três desigualdades de triângulos
Portanto, o triângulo não existe, por isso o arquiteto não foi contratado para criar o jardim de flores.

Página No. 246

Questão 8.
Faça uma Conjectura
Todos os ângulos em um sinal de trânsito em forma de triângulo real têm medidas de 60 °. Todos os ângulos em um desenho em escala do sinal têm medidas de 60 °. Explique como você pode usar essas informações para decidir se três medidas de ângulo fornecidas podem ser usadas para formar um triângulo único ou mais de um triângulo.

Digite abaixo:
_____________

Resposta: Três medidas angulares dadas, cuja soma é 180 °, podem ser usadas para formar uma infinidade de triângulos, tendo a propriedade de seus lados correspondentes serem proporcionais.

Foco no pensamento de ordem superior

Questão 9.
Comunicar ideias matemáticas
A figura à esquerda mostra um segmento de linha de 2 polegadas de comprimento formando um ângulo de 45 ° com uma linha tracejada cujo comprimento não é fornecido. A figura à direita mostra um compasso definido com uma largura de 1 ( frac <1> <2> ) polegadas com seu ponto na extremidade superior do segmento de 2 polegadas. Um arco é desenhado cruzando a linha tracejada duas vezes.

Explique como você pode usar esta figura para decidir se dois lados e um ângulo não incluído entre eles podem ser usados ​​para formar um triângulo único, mais de um triângulo ou nenhum triângulo.
Digite abaixo:
_____________

Responder:
Um trinagle não existe porque um lado é mais curto do que os outros dois lados. O círculo cruza a linha tracejada apenas uma vez, de modo que um ângulo é de 45 °, portanto, há apenas uma solução. O círculo com o centro em B cruza a linha tracejada duas vezes, portanto, há dois triângulos formados.

Questão 10.
Pensamento crítico
Os dois lados de um triângulo isósceles têm comprimentos de 6 polegadas e 15 polegadas, respectivamente. Encontre o comprimento do terceiro lado. Explique seu raciocínio.
_______ polegadas

Explicação:
Recebemos os dois lados de um triângulo isósceles
a = 6
b = 15
Existem duas possibilidades de que o terceiro lado seja igual a a ou b. Vamos estudar os dois
Caso 1: a = c = 6, b = 15
a + c = 6 + 6 = 12 não maior que 15 = b
Verificamos as três desigualdades do triângulo e # 8217s
a + b = 6 + 15 = 21 & gt 15 = c
a + c = 6 + 15 = 21 & gt 15 = b
b + c = 15 + 15 = 30 & gt 6 = a
Caso 2: a = 6, b = c = 15
Portanto, o terceiro lado do triângulo é 15.

Prática Guiada & # 8211 Página No. 249

Descreva cada seção transversal.

Questão 1.

Digite abaixo:
_____________

Resposta: Triângulo / Triângulo quadrilátero
A seção transversal dada em um cubo é um triângulo / triângulo equilátero.

Questão 2.

Digite abaixo:
_____________

Resposta: Retângulo
A seção transversal fornecida em um cilindro é um retângulo.

Questão 3.

Digite abaixo:
_____________

Explicação:
A seção transversal dada no prisma é o triângulo.

Questão 4.

Digite abaixo:
_____________

Resposta: curva em forma de arco-íris
A seção transversal dada no cone é uma curva em forma de arco-íris.

Verificação da pergunta essencial

Questão 5.
Qual é a primeira etapa na descrição de qual figura resulta quando um determinado plano intercepta uma determinada figura tridimensional?
Digite abaixo:
_____________

Responder:
A primeira etapa para descrever o resultado da figura quando um determinado plano intercepta uma determinada figura tridimensional é estabelecer o número de lados da seção transversal.

Prática Independente

Questão 6.
Descreva as diferentes maneiras pelas quais um plano pode interceptar o cilindro e a seção transversal resultante.

Digite abaixo:
_____________

Responder:
A seção transversal pode ser:
1. um círculo
2. uma elipse
3. um retângulo

Página No. 250

Questão 7.
Faça uma Conjectura
Quais seções transversais você pode ver quando um plano cruza um cone que você não veria quando um plano cruza uma pirâmide ou um prisma?
Digite abaixo:
_____________

Responder:
A seção transversal pode ser:
1. um círculo
2. uma elipse
3. uma parábola
4. uma hipérbole
5. um triângulo

Foco no pensamento de ordem superior

Questão 8.
Pensamento crítico
As duas figuras abaixo à esquerda mostram que você pode formar uma seção transversal de um cubo que é um pentágono. Pense em um plano cortando o cubo em um ângulo de forma a cortar cinco das seis faces do cubo. Desenhe linhas pontilhadas no terceiro cubo para mostrar como formar uma seção transversal que é um hexágono.

Digite abaixo:
_____________

Responder:
Desenhamos um plano cortando o cubo de forma que a seção transversal seja um hexágono: para isso, tomamos o meio de 6 lados adjacentes:

Questão 9.
Analisar relacionamentos
Uma esfera tem um raio de 12 polegadas. Um plano horizontal passa pelo centro da esfera.
uma. Descreva a seção transversal formada pelo plano e pela esfera
Digite abaixo:
_____________

Explicação:
Recebemos uma esfera e uma seção transversal passando pelo centro da esfera:
A seção transversal que passa pelo centro da esfera é um círculo com raio igual ao raio da esfera & # 8217s.

Questão 9.
b. Descreva as seções transversais formadas quando o plano cruza o interior da esfera, mas se afasta do centro.
Digite abaixo:
_____________

Resposta: As seções transversais formadas como um plano cruzam o interior da esfera fora do centro são círculos.

Questão 10.
Comunicar ideias matemáticas
Um prisma retangular direito é cruzado por um plano horizontal e um plano vertical. A seção transversal formada pelo plano horizontal e o prisma é um retângulo com dimensões de 8 pol. E 12 pol. A seção transversal formada pelo plano vertical e o prisma é um retângulo com dimensões de 5 pol. E 8 pol. Descreva as faces de o prisma, incluindo suas dimensões. Em seguida, encontre seu volume.
Digite abaixo:
_____________

Explicação:
A seção transversal horizontal tem as dimensões 8 × 12, enquanto a vertical 5 × 8.
O prisma tem as dimensões:
5 polegadas, 8 polegadas, 12 polegadas
Encontramos o volume do prisma:
5 × 8 × 12 = 480 polegadas cúbicas

Questão 11.
Representam problemas do mundo real
Descreva uma situação do mundo real que poderia ser representada por planos cortando uma figura tridimensional para formar seções transversais.
Digite abaixo:
_____________

Responder:
Exemplos de situações do mundo real que podem ser representadas por planos cortando figuras tridimensionais para formar seções transversais:
& # 8211 fios elétricos
& # 8211 tubos de água / gás
& # 8211 projeto da casa
& # 8211 geologia
& # 8211 sismologia

Prática Guiada & # 8211 Página No. 256

Para 1–2, use a figura.

Questão 1.
Vocabulário
A soma das medidas de ∠UWV e ∠UWZ é 90 °, então ∠UWV e ∠UWZ são ângulos _____.
Digite abaixo:
_____________

Resposta: ângulos complementares

Explicação:
A soma de ∠UWV e ∠UWZ é 90 °, então ∠UWV e ∠UWZ são ângulos complementares.

Questão 2.
Vocabulário
∠UWV e ∠VWX compartilham um vértice e um lado. Eles não se sobrepõem, então ∠UWV e ∠VWX são ângulos _____.
Digite abaixo:
_____________

Explicação:
∠UWV e ∠VWX compartilham um vértice e um lado. Eles não se sobrepõem, então ∠UWV e ∠VWX são ângulos adjacentes.

Para 3-4, use a figura.

Questão 3.
∠AGB e ∠DGE são ângulos _____, então m∠DGE = _____.
Digite abaixo:
_____________

Resposta: ∠AGB e ∠DGE são ângulos verticais, então m∠DGE = m∠AGB = 30 °

Questão 4.
Encontre a medida de ∠EGF.
_______ °

Explicação:
m∠CGD + m∠DGE + m∠EGF = 180 °
50 ° + m∠AGB + m∠EGF = 180 °
50 ° + 30 ° + 2x = 180 °
2x = 180 ° e # 8211 80 °
2x = 100 °
mm∠EGF = 2x = 100 °

Questão 5.
Encontre o valor de xe a medida de ∠MNQ.

x = _______ °
mMNQ = _______ °

Responder:
∠MNQ + ∠QNP = 90 °
3x & # 8211 13 ° + 58 ° = 90 °
3x = 90 ° + 13 ° & # 8211 58 °
3x = 45 °
x = 15 °
m∠MNQ = 3x & # 8211 13 °
= 3×15° – 13°
= 45° – 13°
= 32°

Verificação da pergunta essencial

Questão 6.
Suponha que você saiba que ∠T e ∠S são suplementares e que m∠T = 3 (m∠S). Como você pode encontrar o m∠T?
Digite abaixo:
_____________

Responder:
m∠T + m∠S = 180 °
m∠T = 3 (m∠S)
m∠S = m∠T / 3
Da segunda equação, escrevemos m∠S em termos de m∠T
m∠T + m∠T / 3 = 3 × 180 °
3m∠T + m∠T = 3 × 180 °
4m∠T = 540 °
m∠T = 540 ° / 4
m∠T = 135 °

Prática Independente & # 8211 Página No. 257

Para 7–11, use a figura.

Questão 7.
Cite um par de ângulos adjacentes. Explique por que eles são adjacentes.
Digite abaixo:
_____________

Responder:
O par de ângulos adjacentes são:
∠SUR e ∠RUN (vértice comum U e um lado comum & # 8211 UR & # 8211 sem sobreposição)
∠NUQ e ∠QUP (vértice comum U e um lado comum & # 8211 UQ & # 8211 sem sobreposição)
∠PUT e ∠TUS (vértice comum U e um lado comum & # 8211 UT & # 8211 sem sobreposição)

Questão 8.
Cite um par de ângulos verticais agudos.
Digite abaixo:
_____________

Responder:
Ao ver a figura acima, podemos dizer que ∠SUR e ∠PUQ são os ângulos verticais.

Questão 9.
Cite um par de ângulos suplementares.
Digite abaixo:
_____________

Responder:
A figura acima mostra que ∠SUR e ∠RUQ são ângulos suplementares.

Questão 10.
Justificar o Raciocínio
Encontre m∠QUR. Justifique sua resposta.
_______ °

Responder:
Temos que encontrar m∠QUR.
∠SUR e ∠QUR são ângulos complementares.
m∠SUR + m∠QUR = 180 °
m∠QUR + 41 ° = 180 °
m∠QUR = 180 ° e # 8211 41 °
m∠QUR = 139 °

Questão 11.
Tirar conclusões
Qual é maior, m∠TUR ou m∠RUQ? Explique.
Digite abaixo:
_____________

Responder:
m∠QUR = 139 °
m∠TUR = m∠TUS + m∠SUR
90° + 41° = 131°
Encontramos m∠TUR
139 ° & gt 131 °
m∠QUR & gt m∠TUR

Para 12–13, use a figura. Uma ciclovia cruza uma estrada, conforme mostrado. Resolva para cada medida ou variável de ângulo indicada.

Explicação:
∠KMI e ∠HMG são verticais, portanto, congruentes.
Nós determinamos x:
84 ° = 4x
4x = 84 °
x = 84 ° / 4
x = 21 °

Questão 13.
m∠KMH =?
_______ °

Explicação:
∠KMI e ∠KMH são complementares.
Nós determinamos m∠KMH:
m∠KMH + m∠KMI = 180 °
m∠KMH + 84 ° = 180 °
m∠KMH = 180 ° & # 8211 84 °
m∠KMH = 96 °

Para 14–16, use a figura. Resolva para cada medida de ângulo indicada.

Questão 14.
m∠CBE =?
_______ °

Explicação:
Nós determinamos m∠CBE:
m∠CBE + m∠EBF = 180 °
m∠CBE + 62 ° = 180 °
m∠CBE = 180 ° & # 8211 62 °
m∠CBE = 118 °

Questão 15.
m∠ABF =?
_______ °

Explicação:
Nós determinamos m∠ABF
m∠ABF + m∠EBF = 90 °
m∠ABF + 62 ° = 90 °
m∠ABF = 90 ° & # 8211 62 °
m∠ABF = 28 °

Questão 16.
m∠CBA =?
_______ °

Explicação:
Nós determinamos m∠CBA
m∠CBA = m∠DBF = m∠DBE + m∠EBF
90° + 62° = 152°
m∠CBA = 152 °

Questão 17.
A medida de ∠A é 4 ° maior do que a medida de ∠B. Os dois ângulos são complementares. Encontrar a medida de cada ângulo.
mA = __________ °
mB = __________ °

Explicação:
Recebemos os dados:
m∠A = m∠B + 4 °
m∠A + m∠B = 90 °
m∠B + 4 ° + m∠B = 90 °
2m∠B = 90 ° & # 8211 4 °
2m∠B = 86 °
m∠B = 86 ° / 2
m∠B = 43 °
m∠A = m∠B + 4 °
m∠A = 43 ° + 4 °
m∠A = 47 °

Questão 18.
A medida de ∠D é 5 vezes a medida de ∠E. Os dois ângulos são complementares. Encontrar a medida de cada ângulo.
mD = __________ °
mE = __________ °

Explicação:
Recebemos os dados
m∠D = 5 (m∠E)
m∠D + m∠E = 180 °
5 (m∠E) + m∠E = 180 °
6 m∠E = 180 °
m∠E = 180 ° / 6
m∠E = 30 °
m∠D = 5 (m∠E)
m∠D = 5 × 30 °
m∠D = 150 °

Página No. 258

Questão 19.
Astronomia
Os astrônomos às vezes usam medidas angulares divididas em graus, minutos e segundos. Um grau é igual a 60 minutos e um minuto é igual a 60 segundos. Suponha que ∠J e ∠K sejam complementares e que a medida de ∠J seja 48 graus, 26 minutos e 8 segundos. Qual é a medida de ∠K?
_______ ° _______ ‘ _______ ”

Explicação:
Recebemos os dados
m∠J + m∠K = 90 °
m∠J = 48 ° 26 & # 8216 8 & # 8243
90° – 48° 26 ‘ 8″
89°60’ – 48° 26 ‘ 8″
89°59󈨀” – 48° 26 ‘ 8″ = 41° 33 ‘ 52″
Assim, a medida de ∠K é 41 ° 33 & # 8216 52 & # 8243

Foco no pensamento de ordem superior

Questão 20.
Representam problemas do mundo real
Os trilhos da ferrovia encontram a estrada conforme mostrado. A cidade permitirá um estacionamento no ângulo K se a medida do ângulo K for maior que 38 °. Um estacionamento pode ser construído no ângulo K? Por que ou por que não?

_______

Responder:
m∠K = 180 ° & # 8211 50 ° e # 8211 90 ° = 40 °
Como m∠K = 40 ° & gt 38 °, um estacionamento pode ser construído.

Questão 21.
Justificar o Raciocínio
Kendra diz que ela pode desenhar ∠A e ∠B de forma que m∠A seja 119 ° e ∠A e ∠B são ângulos complementares. Você concorda ou discorda? Explique seu raciocínio.
_______

Responder:
Recebemos os dados
m∠A = 119 °
m∠A + m∠B = 90 °
m∠B = 90 ° e # 8211 m∠A
= 90° – 119° = -29°
Como m∠B & lt 0, Kendra está errada, ela não pode desenhar os ângulos.

Questão 22.
Tirar conclusões
Se dois ângulos são complementares, cada ângulo é chamado de complemento do outro. Se dois ângulos são complementares, cada ângulo é chamado de suplemento do outro.
uma. Suponha que m∠A = 77 °. Qual é a medida de um complemento de um complemento de ∠A? Explique.
_______ °

Questão 22.
b. Que conclusão você pode tirar sobre um complemento de um complemento de um ângulo? Explique.
Digite abaixo:
_____________

Responder:
O complemento de um complemento de um ângulo é o próprio ângulo:
90 ° e # 8211 (90 ° e # 8211 m∠A)
90 ° e # 8211 90 ° + m∠A

8.1 Desenhos em Escala e Formas Similares & # 8211 Página No. 259

Questão 1.
A planta de uma casa tem uma escala de 1 pol.: 4 pés. O comprimento e a largura de cada cômodo na casa real são mostrados na tabela. Complete a tabela encontrando o comprimento e a largura de cada cômodo na planta.

Digite abaixo:
_____________

Responder:

Assim, para cada 4 pés na dimensão real, há 1 polegada no projeto.

8.2 Desenhos Geométricos

Questão 2.
Pode ser formado um triângulo com os comprimentos laterais de 8 cm, 4 cm e 12 cm?
______

Responder:
Recebemos os comprimentos laterais
8 + 12 = 20 & gt 4
4 + 12 = 16 & gt 8
8 + 4 não & gt 12
Uma vez que uma das desigualdades não é verificada, os três comprimentos laterais dados não podem formar um triângulo.

Questão 3.
Um triângulo tem comprimentos laterais de 11 cm e 9 cm. Qual poderia ser o valor do terceiro lado, 20 cm ou 15 cm?
______

Explicação:
Recebemos os comprimentos laterais
11, 9
11 + 9 = 20 não & gt 20
Verificamos as desigualdades do triângulo e # 8217s se adicionarmos o terceiro lado de 20 cm
Uma vez que uma das desigualdades não é verificada, os três comprimentos laterais dados não podem formar um triângulo.
11, 9, 15
11 + 9 = 20 & gt 15
11 + 15 = 26 & gt 9
15 + 9 = 24 & gt 11
Verificamos as desigualdades do triângulo e # 8217s, 15 pode ser o valor do terceiro lado.

8.3 Seções Transversais

Questão 4.
Cite uma possível seção transversal de uma esfera.
Digite abaixo:
_____________

Resposta: Círculo
Uma seção transversal possível da esfera é um círculo.

Questão 5.
Cite pelo menos duas formas que são seções transversais de um cilindro.
Digite abaixo:
_____________

Resposta: Três seções transversais possíveis de um cilindro são um círculo, uma elipse e um retângulo.

Verificação da pergunta essencial

Questão 5.
Como você pode modelar figuras geométricas para resolver problemas do mundo real?
Digite abaixo:
_____________

Resposta: Você pode modelar geometria para fazer edifícios e arranha-céus, também lojas.

8.4 Relações de Ângulo

Questão 6.
∠BGC e ∠FGE são ângulos _____, então m∠FGE = _____

_____ °

Resposta: ∠BGC e ∠FGE são ângulos verticais, então m∠FGE = m∠BGC = 90 ° & # 8211 40 ° = 50 °

Questão 7.
Suponha que você saiba que ∠S e ∠Y são complementares e que m∠S = 2 (m∠Y) & # 8211 30 °. Encontre m∠Y.
m? Y = _____ °

Explicação:
m∠S + m∠Y = 90 °
m∠S = 2 (m∠Y) & # 8211 30 °
Substituímos a expressão de m∠S da segunda equação na primeira, podemos encontrar m∠Y
2 (m∠Y) & # 8211 30 ° + m∠Y = 90 °
3m∠Y = 90 ° + 30 °
3m∠Y = 120 °
m∠Y = 120 ° / 3
m∠Y = 40 °

Resposta Selecionada & # 8211 Página No. 260

Questão 1.
Qual número você pode adicionar a 15 para obter uma soma de 0?
Opções:
uma. -10
b. -15
c. 0
d. 15

Explicação:
O número que adicionamos a um número para obter a soma zero é seu oposto. Nesse caso, devemos adicionar -15 a 15.
15 + (-15) = 0
Portanto, a resposta correta é a opção B.

Questão 2.
Os alunos estão pintando o cenário para a peça da escola. O cenário tem 4,5 metros de largura e 3 metros de altura. Cada 16 polegadas no desenho em escala representa 5 pés no fundo. Qual é a área do desenho em escala?
Opções:
uma. 150 em 2
b. 6 em 2
c. 3096
d. 1536 em 2

Explicação:
Recebemos as dimensões l e w do cenário e a escala do desenho:
l = 15 pés
w = 10 pés
16 pol: 5 pés
16 in./5 ft = (16 in. ÷ 5) / (5 ft ÷ 5) = 3,2 in / 1 ft
l1 = 15 × 3,2 = 48 polegadas
w1 = 10 × 32 = 320 polegadas
l1 × w1 = 48 × 32 = 1536 polegadas quadradas
Portanto, a resposta correta é a opção D.

Questão 3.
Os dois lados de um triângulo medem 8 cm e 12 cm. Qual das alternativas a seguir NÃO PODE ser a medida do terceiro lado?
Opções:
uma. 4
b. 12
c. 8
d. 16

Explicação:
Temos dois lados de um triângulo
uma. 4
4 + 8 não & gt 12
b. 12
12 + 8 e 12
12 + 12 e 8
c. 8
8 + 8 e 12
8 + 12 e 12
d. 16
8 + 12 e 16
8 + 16 e 12
12 + 16 e 8
Assim, a única dimensão que não pode ser a medida do terceiro lado do triângulo é 4 cm.
Portanto, a resposta correta é a opção A.

Questão 4.
Uma seção transversal é a interseção de uma figura tridimensional e uma _____.
Opções:
uma. apontar
b. avião
c. linha
d. definir

Explicação:
Uma seção transversal é a interação de uma figura tridimensional e um plano.
Portanto, a resposta correta é a opção B.

Para 5-6, use o diagrama.

Questão 5.
Qual é a medida de ∠BFC?
Opções:
uma. 18
b. 108
c. 72
d. 144

Explicação:
∠BFC + ∠BFA = 180 °
∠BFC + 72 ° = 180 °
∠BFC = 180 ° e # 8211 72 °
∠BFC = 108 °
Os ângulos ∠BFC e ∠BFA são complementares. Nós determinamos ∠BFC.
Portanto, a resposta correta é a opção B.

Questão 6.
Qual descreve a relação entre ∠BFA e ∠CFD?
Opções:
uma. ângulos adjacentes
b. ângulos complementares
c. ângulos suplementares
d. ângulos verticais

Explicação:
Os ângulos ∠BFA e ∠CFD são ângulos verticais porque são ângulos opostos formados na interseção de duas linhas.
Portanto, a resposta correta é a opção D.

Questão 7.
Todas as roupas estão com descontos de 15%. Qual expressão representa o novo preço de varejo?
Opções:
uma. 0,85x
b. 1,15x
c. 1,85x
d. 0,15x

Explicação:
x = preço inicial
Como o preço caiu 15%, o novo preço será reduzido em 15/100 x
x & # 8211 0,15x = 0,85x
Portanto, a resposta correta é a opção A.

Questão 8.
Ira construiu uma maquete da Grande Pirâmide do Egito para um projeto escolar. A Grande Pirâmide tem uma base quadrada com lados de 756 pés de comprimento. A altura da Grande Pirâmide é de 481 pés. Ira fez seu modelo de pirâmide usando uma escala de 1 polegada: 20 pés.
uma. Qual é o comprimento de cada lado da base da pirâmide de Ira?
_____ em

Resposta: 37,8 polegadas
Calculamos o número de polegadas correspondentes a 1 pé das dimensões reais:
1 pol./20 pés = (1 pol. ÷ 20) / (20 pés ÷ 20) = 0,05 pol./1 pé.
Existem 0,05 polegadas para 1 pé.
Determinamos o comprimento da base da pirâmide Ira & # 8217s:
756 × 0,05 = 37,8 polegadas

Questão 8.
b. Qual é a área da base da pirâmide de Ira?
_____ polegadas quadradas

Resposta: 1428,84 polegadas quadradas

Explicação:
Nós determinamos a área da base da pirâmide Ira & # 8217s:
37,8 × 37,8 = 1.428,84 polegadas quadradas.

Questão 8.
c. Qual é a altura da pirâmide de Ira?
_____ em

Responder:
Determinamos a altura da pirâmide Ira & # 8217s:
481 × 0,05 = 24,05 polegadas

Questão 8.
d. Ira construiu seu modelo usando seções transversais cortadas paralelamente à base. Qual era a forma de cada seção transversal?
Digite abaixo:
____________

Resposta: As seções transversais paralelas à base têm a forma de um quadrado.

Portanto, prepare seus filhos fazendo-os praticar para o teste usando Go Math, Grade 7 Respostas, Capítulo 8 Modelando Figuras Geométricas. Obtenha as soluções para todas as perguntas com os truques simples para todos os capítulos em Go Math Answer Key. Melhor da sorte.


7.6 Metacognição

Para muitos de nós, foi no jardim de infância ou na primeira série quando nosso professor pediu à nossa classe para “colocar nosso boné pensante”. Essa pode ter sido parcialmente uma maneira inteligente de um professor apressado fazer com que jovens estudiosos se acalmassem e se concentrassem, mas a ideia é uma descrição adequada de como pensamos. Dependendo da situação, podemos ter que usar vários bonés muito diferentes para fazer o nosso melhor raciocínio. Saber qual boné usar em cada situação para que estejamos mais preparados, eficazes e eficientes torna-se o trabalho de uma vida. Quando você consegue lidar com mais de um pensamento complexo ao mesmo tempo ou quando precisa direcionar todo o seu foco para uma tarefa crucial, é altamente individual. Algumas pessoas estudam bem com música de fundo, enquanto outras precisam de silêncio absoluto e vêem qualquer ruído como uma distração. Muitos chefs se deliciam em criar jantares para centenas de pessoas em uma cozinha caótica, mas não se importam em fazer uma refeição para dois em casa.

Quando um indivíduo pensa sobre como ele ou ela pensa, esta prática é chamada metacognição. O psiquiatra do desenvolvimento John Flavell cunhou o termo metacognição e dividiu a teoria em três processos de planejamento, rastreamento e avaliação de sua própria compreensão. 2

“Ficar ciente de seus processos de pensamento e usar essa consciência deliberadamente é um sinal de pensamento maduro.”

Por exemplo, você pode estar lendo uma passagem difícil em um livro de química e reconhecer que não está entendendo totalmente o significado da seção que acabou de ler ou sua conexão com o resto do capítulo. Os alunos usam a metacognição quando praticam a autoconsciência e a autoavaliação. Você é o melhor juiz de quão bem conhece um tópico ou uma habilidade. Especialmente na faculdade, pensar sobre seu pensamento é crucial para que você saiba o que não sabe e como resolver esse problema, ou seja, o que você precisa estudar, como organizar sua agenda e assim por diante.

Se você parar e reconhecer este desafio com o objetivo de melhorar sua compreensão, você está praticando metacognição. Você pode decidir destacar termos difíceis de pesquisar, escrever um resumo de cada parágrafo com o mínimo de frases que puder ou juntar-se a um grupo de estudo de pares para trabalhar em sua compreensão. Se você sabe que retém melhor o material ao ouvi-lo, pode ler em voz alta ou assistir a tutoriais em vídeo sobre o material. Todos esses são exemplos de como você pensa e adapta seu comportamento com base nessa metacognição. Da mesma forma, se você avaliar periodicamente seu progresso em direção a uma meta, como quando verifica suas notas em um curso a cada poucas semanas durante um longo semestre para saber como está se saindo, isso também é metacognição.

Além de ser apenas uma boa ideia, pensar sobre seu próprio processo de pensamento permite que você obtenha grandes benefícios ao se tornar mais consciente e deliberado com seus pensamentos. Se você sabe como reage em um pensamento específico ou situação de aprendizagem, tem uma chance melhor de melhorar o seu pensamento ou de mudar totalmente seus pensamentos, sintonizando sua reação e seu pensamento. Você pode planejar como seguir em frente porque reconhece que a maneira como pensa sobre uma tarefa ou ideia faz diferença no que você faz com esse pensamento. O famoso filósofo grego Sócrates supostamente disse: "A vida não examinada não vale a pena ser vivida." Examine seus pensamentos e esteja ciente deles.

Tornando-se Ciente do Seu Pensamento

Assim como os atletas de elite assistem às filmagens do jogo e trabalham com os treinadores para melhorar aspectos específicos de seu desempenho atlético, os alunos podem melhorar sua mentalidade e desempenho dependendo de seu pensamento, começando a ter consciência do que pensam. Se um arremessador de beisebol reconhece que a bola curva que já teve tanto sucesso em produzir eliminações não funcionou tão bem recentemente, o arremessador pode interromper cada passo do movimento físico necessário para o arremesso antes bem-sucedido. Ele e seus treinadores podem notar uma ligeira diferença que podem remediar durante a prática para melhorar o pitche

Da mesma forma, se Shamika, por exemplo, deseja ser mais otimista em geral e não insistir em pensamentos negativos, ela pode pedir a seus amigos que mencionem toda vez que ela adicionar uma postagem negativa nas redes sociais. Shamika pode ir ainda mais longe, parando-se quando diz algo que não está de acordo com sua nova mentalidade otimista. Ela poderia anotar a ocorrência em um diário e capturar seus sentimentos naquele momento para que mais tarde pudesse analisar ou pensar por que ela era negativa naquele momento. Se você procrastinar nas atribuições, pode pedir a um amigo para ser seu amigo de responsabilidade para ajudar a mantê-lo no caminho certo. Pensar em como focar no positivo, no caso de Shamika, ou evitar a procrastinação não muda magicamente a situação. No entanto, permite ao proprietário do pensamento contemplar alternativas em vez de ficar frustrado ou continuar estupidamente a sabotar objetivos sinceros. Pense agora em um exemplo pessoal de um hábito que você pode querer mudar, como fumar, ou um atributo, como paciência ou perseverança, que você pode querer melhorar em si mesmo. Você pode determinar quais etapas você precisa realizar para mudar esse hábito ou para desenvolver uma consciência mais forte da necessidade de mudar?

Usando o Pensamento Deliberadamente

Se você precisa planejar, rastrear e avaliar sua compreensão para se engajar na metacognição, quais estratégias você precisa empregar? Os alunos podem usar estratégias de metacognição antes, durante e depois da leitura, palestras, tarefas e trabalho em grupo.

Planejamento

Os alunos podem planejar e se preparar para aprender fazendo perguntas como:

  • O que devo aprender nesta situação?
  • O que eu já sei que pode me ajudar a obter essas informações?
  • Como devo começar a tirar o máximo proveito dessa situação?
  • O que devo procurar e antecipar ao ler, estudar ou ouvir?

Como parte desse estágio de planejamento, os alunos podem anotar as respostas a algumas das perguntas que consideraram durante a preparação para o estudo. Se a tarefa for um trabalho escrito, a pré-escrita é particularmente útil apenas para colocar suas idéias no papel. Você pode querer começar um esboço de ideias que você acha que pode encontrar na próxima sessão, provavelmente não estará completo até que você aprenda mais, mas pode ser um ponto de partida.

Rastreamento

Os alunos podem acompanhar seu aprendizado ou acompanhar seu progresso perguntando-se:

  • Como estou indo até agora?
  • Quais informações são importantes em cada seção?
  • Devo diminuir meu ritmo para entender as partes difíceis de forma mais completa?
  • Que informações devo revisar agora ou marcar para revisão posterior?

Nesta parte da metacognição, os alunos podem querer se afastar de uma seleção de leitura e escrever um parágrafo de resumo sobre o assunto da passagem sem olhar para o texto. Outra maneira de acompanhar o progresso do aprendizado é revisar as anotações da aula ou do laboratório algumas horas após a sessão inicial de anotações. Isso permite que você tenha uma nova memória das informações e preencha as lacunas que você pode precisar para pesquisar mais completamente.

Avaliando

Os alunos podem avaliar seu aprendizado perguntando-se:

  • Eu entendo bem este material?
  • O que mais posso fazer para entender melhor as informações?
  • Existe algum elemento da tarefa que ainda não entendi?
  • O que preciso fazer agora para entender as informações de forma mais completa?
  • Como posso ajustar a forma como estudo (ou leio, ouço ou atuo) para obter melhores resultados no futuro?

Olhar para trás, para ver como você se saiu nas atribuições, nos testes e nas seleções de leitura, não é apenas um meio de obter uma nota melhor na próxima vez, mesmo que às vezes isso aconteça como resultado desse tipo de reflexão. Se você refazer os problemas matemáticos que perdeu em um teste e descobrir o que deu errado na primeira vez, entenderá esse conceito matemático melhor do que ignorar a oportunidade de aprender com seus erros. Aprender não é um processo linear, você trará conhecimento de outras partes de sua vida e de sua leitura para entender algo novo em seu aprendizado acadêmico ou pessoal para o resto de sua vida. Usar essas estratégias de planejamento, acompanhamento e avaliação o ajudará a progredir como aluno em todas as disciplinas.

Você já esteve em uma situação em que ocorreu uma série de eventos que, refletindo, gostaria de ter tratado de forma diferente? Por exemplo, o que aconteceria se você estivesse cansado depois de um longo dia de trabalho ou escola e gritasse com seus colegas de quarto por causa de um problema insignificante e essa discussão acalorada arruinasse seus planos de fim de semana? Você esperava um passeio divertido com um grande grupo, mas agora várias pessoas não querem ir por causa do aumento da tensão. Depois, você pensa em várias outras maneiras pelas quais gostaria de ter agido - você pode ter explicado como estava cansado, ignorado a irritação ou até mesmo perguntado se poderia continuar sua discussão sobre o problema em outro momento, quando estivesse menos cansado. Você poderia chamar isso de metacognição do desejo após o fato. Quão mais eficaz você poderia ser, em geral, se em vez de reagindo para eventos e, em seguida, contemplando alternativas melhores mais tarde, você foi capaz de pensar proativamente antes que a situação surja? Apenas o ato de fazer uma pausa para pensar nas consequências potenciais é um bom primeiro passo para atingir o objetivo de usar a metacognição para reduzir os resultados negativos. Você consegue pensar em uma situação em que reagiu aos eventos ao seu redor com resultados aquém do ideal? Que tal uma vez em que você refletiu sobre uma situação com antecedência e colheu os benefícios dessa abordagem proativa?

Vejamos dois exemplos aparentemente comuns desse conceito. Pense em sua reação e nos resultados finais de longo e curto prazo de você entrar em sua aula de matemática na tarde de terça-feira para se lembrar só então que você tem um importante exame de livro fechado naquela aula. Você olha em volta e vê colegas de classe nervosos lendo anotações ou problemas de prática de trabalho. Você opta por ficar e fazer o exame totalmente despreparado. Você acaba com um D baixo no exame e agora deve contemplar as consequências desse resultado.

Conseguir uma nota tão baixa no exame pode não ser o fim do mundo, certamente, mas você pode não manter o GPA que esperava postar, pode precisar repetir o curso ou pode ficar mais atrasado neste assunto porque não o fez não domine as habilidades neste teste. Isso é um pouco de consciência sobre o seu pensamento. Agora você precisa decidir quais ações tomar como resultado de seu pensamento de autoconsciência. Contemplar essa consequência negativa pode levá-lo a marcar uma consulta com seu instrutor para discutir sua situação, o que é sempre uma boa ideia. Você poderia fazer um exame alternativo para substituir essa pontuação baixa atípica? Mesmo se a resposta for não, você ainda fez uma conexão e mostrou ao seu instrutor que está pensando seriamente em seu curso.

Agora considere o cenário oposto. O que aconteceria se você tivesse inserido a programação de exames em seu calendário de antemão e elaborado um plano viável a ser preparado? Você provavelmente teria se preparado antes dos dias de exame, estudado os materiais necessários, trabalhado em problemas semelhantes e chegado à sessão de exame mais preparado do que no primeiro exemplo. Como você sabe que precisa de um determinado período de tempo para se preparar para os exames, você teria bloqueado esse tempo em sua agenda, possivelmente mudando sua agenda de trabalho durante a semana, recusando convites sociais e, de outra forma, alterando sua rotina diária para acomodar esse evento significativo. Considere como seus resultados seriam muito melhores com essa quantidade de preparação e como isso melhoraria seu desempenho geral no curso. Você pode tirar proveito de pensar sobre as consequências antes que elas aconteçam, para que possa empregar estratégias específicas para melhorar seu aprendizado.


As mulheres devem ser silenciosas nas igrejas? (1 Coríntios 14:34)

A interpretação de 1 Coríntios 14: 34-35 provou ser mais do que um pouco controversa ao longo dos anos. A razão para isso se deve, em grande parte, ao choque que este texto traz às sensibilidades igualitárias modernas. Paul escreve,

33b Como em todas as igrejas dos santos, 34 as mulheres devem guardar silêncio nas igrejas. Pois eles não podem falar, mas devem estar em submissão, como também diz a lei. 35 E se desejam aprender alguma coisa, perguntem a seus próprios maridos em casa, porque é impróprio para uma mulher falar na igreja.

O que está acontecendo nesses versículos? Paulo realmente quer dizer que as mulheres nunca devem dizer nada em um culto de adoração? É assim que algumas pessoas leram esses versículos ao longo dos anos, mas acho que é uma leitura incorreta do texto. Por quê? Para começar, isso criaria uma contradição desesperada com o que Paulo diz em 1 Coríntios 11: 5, que indica que as mulheres eram “Orando e profetizando” na Igreja. Paulo não repreende suas orações e profecias na igreja. Pelo contrário, ele lhes dá instruções sobre como fazer da maneira certa - de uma maneira que lhes permita falar, mas que ao mesmo tempo honre a chefia masculina.

Mulheres profetizando na assembléia estavam de acordo com o que o apóstolo Pedro disse ser característico do dom do Espírito da Nova Aliança predito em Joel 2, “'E será nos últimos dias', diz Deus, 'Que derramarei o Meu Espírito sobre toda a humanidade e seus filhos e suas filhas profetizarão ...'” (Atos 2:17). Quem vai profetizar? Filhos e filhas.

Então, se você tomar o versículo 34 como uma proibição absoluta de mulheres falarem em absoluto em um culto de adoração, então você adotou uma interpretação que faz o capítulo 14 contradizer o capítulo 11. E isso não pode ser, porque Deus não pode se contradizer.

A alegada contradição levou alguns intérpretes a sugerir que os versículos 14: 34-35 não foram realmente escritos por Paulo. Eles argumentam que algum escriba deve ter vindo depois de Paulo e colocado esses versículos na carta de Paulo. O único problema com essa visão é que cada manuscrito grego de 1 Coríntios que temos inclui esses versículos. Há um punhado de manuscritos em que os versículos aparecem após o versículo 40. Mas isso não é evidência de que os versículos 34 e 35 não são originais de Paulo. É uma evidência de que alguns escribas procuraram preservar o fluxo do argumento de Paulo sobre a profecia movendo esses dois versículos para o final. Eles estavam errados em fazer isso, mas estaríamos fazendo pior do que eles para retirá-los completamente do texto.

Não, esses versículos são originais de Paulo. Isso significa que temos uma contradição com o capítulo 11? Comentadores como Richard Hays argumentam que há de fato uma contradição clara entre os capítulos 11 e 14. Hays escreve:

Com respeito à questão da liderança pública das mulheres, há boas razões teológicas para insistir que devemos ser guiados pela visão de Paulo da adoração cristã na qual os dons do Espírito são dados a todos os membros da igreja, homens e mulheres igualmente, para a construção da comunidade. Os poucos textos do Novo Testamento que buscam silenciar as mulheres (como 1 Coríntios 14: 34-35 e 1 Timóteo 2: 11-15) não devem ser autorizados a ignorar essa visão.

Hays não apenas postula uma contradição dentro da escritura, mas também argumenta que os leitores precisam escolher qual escritura é certa e qual é errada. Para Hays, o igualitarismo de 1 Coríntios 11 é claramente preferível à subordinação das mulheres em 1 Coríntios 14: 34-36. Por essa razão, ele abraça a primeira e rejeita a última escritura como um erro.

É claro que a abordagem de Hays violenta a inspiração e autoridade das Escrituras e deve ser rejeitada pelos cristãos sérios. Sua abordagem também falha em ler esses versículos no contexto. Paulo está ordenando às mulheres que fiquem em silêncio em um determinado ambiente - durante o julgamento das profecias. Lembre-se do que Paulo acabou de dizer nos versículos 29 e 32:

29 Deixe dois ou três profetas falar, e deixe os outros pesar o que é dito… 32 e os espíritos dos profetas estão sujeitos aos profetas.

Os profetas não devem apenas profetizar, mas também avaliar outras profecias para ver se são verdadeiras. Por quê? Porque os espíritos dos profetas são sujeito aos profetas. Um profeta deve submeter-se à avaliação de outros profetas.

Mas isso cria um problema potencial para o princípio de liderança.O que acontece se um marido profetizar e sua esposa também for profetisa? O marido deveria ser sujeito para sua esposa durante o julgamento das profecias? Maridos e esposas devem suspender a chefia masculina durante a adoração corporativa? A resposta de Paulo a essa pergunta é um claro não.

Paulo não quer que nada aconteça durante a adoração corporativa que perturbe o princípio da chefia que ele tão cuidadosamente os exortou a obedecer em 1 Coríntios. 11: 2–16. Por esse motivo, ele recomenda às mulheres, neste contexto, que se abstenham de julgamento de profecias. Ele não está comandando um silêncio absoluto por parte das mulheres. Na verdade, ele já revelou que eles estão de fato orando e profetizando. Ele, entretanto, ordena que eles se calem sempre que as profecias estiverem sendo julgadas. E as mulheres devem fazer isso por deferência à chefia masculina.

Observe que a explicação no versículo 34 indica que a chefia é de fato o problema: “As mulheres ... deveriam estar em submissão ...” A palavra grega traduzida como "submissão" é o mesmo do versículo 32. Uma mulher não pode estar sujeita a seu marido enquanto, ao mesmo tempo, espera que ele se submeta a seus julgamentos sobre sua profecia. Para evitar esse conflito, Paulo diz que embora as mulheres possam profetizar, elas não podem participar do julgamento das profecias. [2] Nesse caso, o julgamento das profecias equivale ao ensino, que Paulo proíbe absolutamente em 1 Timóteo 2:12.

35 Se há algo que desejam aprender, perguntem a seus maridos em casa. Pois é vergonhoso uma mulher falar na igreja.

Se uma mulher tiver dúvidas sobre uma profecia, ela deve reservar todas as discussões para conversas particulares com o marido. Ela não deve levantar perguntas ou objeções durante o culto de adoração. Por quê? Pois é vergonhoso para ela "falar" de qualquer forma que possa sugerir uma subversão da chefia masculina. A palavra traduzida como “vergonhoso” é usada apenas mais uma vez em 1 Coríntios - no capítulo 11: 6, onde Paulo mais uma vez está falando sobre potenciais violações da chefia masculina.

Mais uma vez, Paulo não é contra as mulheres Falando completamente. Ele reconhece que eles estão orando em voz alta e profetizando em voz alta na assembléia (1 Coríntios 11: 5). Ele simplesmente não quer que avaliem as profecias na assembléia porque isso violaria a norma de liderança.

Se essa interpretação estiver correta, então há pelo menos duas implicações que devemos levar em consideração durante a adoração com nossas próprias congregações.

Primeiro, vamos além do exemplo da escritura se excluirmos o que Paulo claramente permite - mulheres orando e compartilhando a revelação de Deus durante os cultos de adoração. Acontece que sou um cessacionista, o que significa que não acredito que a profecia seja uma experiência contínua nas igrejas de Cristo. Dito isso, a revelação de Deus ainda tem um lugar em nossos serviços de adoração por meio das escrituras. Hoje, lendo em voz alta A revelação de Deus nas escrituras é o equivalente funcional de profetizando A revelação de Deus nos dias de Paulo. Biblicamente falando, seria totalmente de acordo com as instruções de Paulo para as mulheres lerem as escrituras e orarem durante a assembléia reunida do povo de Deus. Ambas as coisas podem ser feitas de uma forma que honre o princípio da liderança (cf. 1 Cor. 11: 2-16). Existem várias maneiras de isso ser aplicado em uma igreja local. Em minha própria igreja, isso significa que temos mulheres orando e lendo as escrituras em nossas reuniões semanais de oração e em cultos especiais (na Páscoa no Natal). Em nossa adoração semanal regular, porém, o serviço é dirigido e dirigido pelos homens da igreja.

Em segundo lugar, seria uma violação da liderança as mulheres ensinarem ou exercerem autoridade na adoração corporativa. Na terminologia de Paulo, "ensino" envolve explicar e aplicar uma revelação já dada. O julgamento das profecias teria incluído avaliações e correções que são o equivalente funcional do ensino. É por isso que Paulo não deseja que as mulheres julguem as profecias na assembléia reunida. Seria como permitir que ensinassem e exercessem autoridade - algo que ele claramente proíbe em 1 Timóteo 2:12: “Não permito que uma mulher ensine ou exerça autoridade sobre um homem, mas fique quieta.”

Paulo tem um último item que vale a pena comentar:

36 Ou foi de ti que veio a palavra de Deus? Ou você é o único que alcançou?

Lembre-se de que Paulo começa seu comando com um apelo sobre como as coisas são feitas “Em todas as igrejas” (v. 33b). Por que isso foi uma consideração relevante? A palavra de Deus não é domínio exclusivo de nenhuma igreja. A palavra de Deus não se originou em Corinto, nem foi o único lugar a que veio. A palavra de Deus está espalhada nas igrejas. Os coríntios precisam prestar atenção em como o Espírito de Deus está se movendo e trabalhando em todas as igrejas. Se todas as igrejas estão ouvindo do Espírito uma coisa, mas os coríntios estão praticando outra coisa, então isso é uma boa indicação de que os coríntios são os discrepantes, não todos os outros. Todo mundo está observando a chefia masculina. O mesmo deve acontecer com Corinto. Como Paulo escreve sobre a liderança em 1 Coríntios 11:16: “Não temos outra prática, nem temos as igrejas de Deus”.

Paulo deseja enfatizar que seu ensino sobre a chefia masculina não é algo bom para algumas pessoas, mas não para outras. Não, é parte do projeto da criação de Deus e é o padrão que deve prevalecer em cada igreja. O versículo 36 confirma que a palavra de Deus não é domínio exclusivo da igreja de Corinto. A palavra de Deus veio a eles e a todas as outras igrejas. Se isso for verdade, então os coríntios deveriam estar honrando a liderança masculina assim como todas as outras igrejas fazem.

O ensino da Bíblia pode ser controverso, mas não é contraditório. Paulo não proíbe as mulheres de orar e profetizar na assembléia. Pelo contrário, ele deseja que o façam de uma forma que honre a chefia masculina (1 Cor. 11: 2-16). Entre outras coisas, isso significa que as mulheres podem profetizar, mas não podem julgar as profecias (1 Cor. 14: 34-36). Este ensino reflete a preocupação prática de Paulo com as mulheres que ministram em igrejas e como elas podem fazer isso de uma forma que honre a liderança. Essa mesma preocupação deve marcar cada congregação - até mesmo a nossa.

[1] Richard B. Hays, Primeiro corinthians, Interpretation (Louisville, KY: John Knox, 1997), 249.

[2] D. A Carson, "‘ Silent in the Churches ’: On the Role of Women in 1 Corinthians 14: 33b-36," in Recuperando a masculinidade bíblica e a feminilidade: uma resposta ao feminismo evangélico (Wheaton, IL: Crossway, 1991), 140-53.

Denny Burk é professor de estudos bíblicos no Boyce College, a escola de graduação do Southern Baptist Theological Seminary em Louisville, Kentucky. Ele também atua como pastor associado na Kenwood Baptist Church.


Perguntas de múltipla escolha para as classes 12, 11, 10, 9, 8, 7, 6, 5, 4, 3, 2, 1

Praticar MCQs das classes 1 a 12 é a melhor maneira de se destacar nos exames do quadro. Não há substituto para a prática consistente se alguém deseja pontuar melhor ou compreender o conceito completamente. Ao praticar mais perguntas de múltipla escolha, você pode melhorar sua velocidade e precisão, o que seria uma vantagem adicional no exame real da placa. Resolver Perguntas do tipo objetivo da classe 1 a 12 PDF através dos links rápidos disponíveis e obtenha notas mais altas no exame.

Perguntas MCQ para a classe 12 com respostas

Perguntas MCQ para a classe 11 com respostas

Perguntas MCQ para a classe 10 com respostas

Perguntas MCQ para a classe 9 com respostas

Perguntas MCQ para a classe 8 com respostas

Perguntas MCQ para a classe 7 com respostas

Perguntas MCQ para a classe 6 com respostas

Baixar perguntas de tipo objetivo para o 1 ° ao 12 ° PDF padrão

Leve o respectivo capítulo ou assunto sábio MCQs com respostas para a 1ª a 12ª classe e prepare-se adequadamente. Responda às perguntas do tipo de múltipla escolha por conta própria e teste seu nível de preparação. Se você está familiarizado com as perguntas MCQ, pode ser um grande salvador para perguntas de resposta longa.

Aumente o seu conhecimento do assunto sobre os respectivos conceitos, tendo a ajuda de Questões de Múltipla Escolha das Classes 12 a 1. Perguntas do Tipo de Múltipla Escolha da 1ª à 12ª Classe preparadas por especialistas no assunto podem ser uma vantagem extra durante sua preparação para obter mais notas. Dê o Perguntas do questionário de múltipla escolha das classes 12, 11, 10, 9, 8, 7, 6, 5, 4, 3, 2, 1 de extrema importância durante sua preparação, pois eles o ajudam a cobrir todo o programa de uma maneira inteligente.

Dicas de preparação para testes de múltipla escolha

As perguntas de múltipla escolha são as mais complicadas e precisam de um pouco de inteligência para resolvê-las. Siga as dicas de preparação fornecidas para responder às perguntas do tipo objetivo e economize muito tempo.

  • Leia a pergunta inteira e responda-a mentalmente primeiro.
  • Elimine Respostas Erradas e use o processo de eliminação.
  • Selecione a melhor resposta para a pergunta feita entre as opções disponíveis.
  • Se tiver dificuldade em responder a uma pergunta, prossiga e volte a ela depois de responder a todas as perguntas.
  • Normalmente, é melhor ficar com sua primeira escolha quando houver aparentemente duas respostas.

FAQs sobre perguntas MCQ para classes 12 a 1

Você pode obter o PDF Class Wise Multiple Choice Questions em nossa página.

Tudo o que você precisa fazer é clicar nos links rápidos disponíveis para Perguntas MCQ com Respostas das Classes 1 a 12. Depois de clicar no link, você será direcionado para uma nova página com as Perguntas MCQ correspondentes com uma opção de download. Toque no botão de download e salve as questões de múltipla escolha para referência futura.

  1. Onde encontro perguntas do tipo de múltipla escolha para todas as disciplinas do 1º ao 12º padrão?

Você pode encontrar Perguntas do Tipo de Múltipla Escolha do 1º ao 12º Padrão, todos os assuntos em nossa página.

Em muitos casos, os alunos sabem a resposta, mas não conseguem lembrá-la devido a problemas de memória. Nesses casos, ver a resposta pode permitir que eles acionem a memória e forneçam a resposta certa. Assim, as Perguntas MCQ testarão o quanto os alunos compreenderam sobre um determinado assunto e auxiliam na aprendizagem.

Palavras Finais

Espero que as informações compartilhadas acima com relação às perguntas MCQ tenham sido úteis para esclarecer suas dúvidas. Se você tiver qualquer outra dúvida, não hesite em nos contatar através da seção de comentários e nós o ajudaremos com a possível solução. Marque nosso site para obter mais informações sobre perguntas, notas, material de estudo, livros e outros materiais de preparação relacionados ao MCQ.


14,34: Seção 7.6 Respostas

Uma mensagem de solicitação de um cliente para um servidor inclui, na primeira linha dessa mensagem, o método a ser aplicado ao recurso, o identificador do recurso e a versão do protocolo em uso.

5.1 Linha de Solicitação

O Request-Line começa com um token de método, seguido pelo Request-URI e a versão do protocolo, e termina com CRLF. Os elementos são separados por caracteres SP. Nenhum CR ou LF é permitido, exceto na sequência CRLF final.

5.1.1 Método

O token do Método indica o método a ser executado no recurso identificado pelo Request-URI. O método diferencia maiúsculas de minúsculas.

A lista de métodos permitidos por um recurso pode ser especificada em um campo de cabeçalho Permitir (seção 14.7). O código de retorno da resposta sempre notifica o cliente se um método é permitido atualmente em um recurso, uma vez que o conjunto de métodos permitidos pode mudar dinamicamente. Um servidor de origem DEVE retornar o código de status 405 (Método não permitido) se o método for conhecido pelo servidor de origem, mas não permitido para o recurso solicitado, e 501 (Não implementado) se o método não for reconhecido ou não for implementado pelo servidor de origem. Os métodos GET e HEAD DEVEM ser suportados por todos os servidores de uso geral. Todos os outros métodos são OPCIONAIS, entretanto, se os métodos acima forem implementados, eles DEVEM ser implementados com a mesma semântica especificada na seção 9.

5.1.2 Request-URI

O Request-URI é um Uniform Resource Identifier (seção 3.2) e identifica o recurso sobre o qual aplicar a solicitação.

As quatro opções para Request-URI dependem da natureza da solicitação. O asterisco "*" significa que a solicitação não se aplica a um recurso específico, mas ao próprio servidor, e só é permitida quando o método usado não se aplica necessariamente a um recurso. Um exemplo seria

O formulário absoluteURI é OBRIGATÓRIO quando a solicitação está sendo feita a um proxy. O proxy é solicitado para encaminhar a solicitação ou serviço de um cache válido e retornar a resposta. Observe que o proxy PODE encaminhar a solicitação para outro proxy ou diretamente para o servidor

especificado pelo absoluteURI. Para evitar loops de solicitação, um proxy DEVE ser capaz de reconhecer todos os seus nomes de servidor, incluindo quaisquer aliases, variações locais e o endereço IP numérico. Um exemplo de Linha de Solicitação seria:

Para permitir a transição para o absoluteURI em todas as solicitações em versões futuras do HTTP, todos os servidores HTTP / 1.1 DEVEM aceitar o formato absoluteURI nas solicitações, embora os clientes HTTP / 1.1 só os gerem em solicitações para proxies.

O formulário de autoridade é usado apenas pelo método CONNECT (seção 9.9).

A forma mais comum de Request-URI é aquela usada para identificar um recurso em um servidor ou gateway de origem. Neste caso, o caminho absoluto do URI DEVE ser transmitido (ver seção 3.2.1, abs_path) como o URI de Solicitação, e o local de rede do URI (autoridade) DEVE ser transmitido em um campo de cabeçalho do Host. Por exemplo, um cliente que deseja recuperar o recurso acima diretamente do servidor de origem criaria uma conexão TCP para a porta 80 do host "www.w3.org" e enviaria as linhas:

seguido pelo restante da Solicitação. Observe que o caminho absoluto não pode estar vazio se nenhum estiver presente no URI original, ele DEVE ser fornecido como "/" (a raiz do servidor).

O Request-URI é transmitido no formato especificado na seção 3.2.1. Se o Request-URI for codificado usando a codificação "% HEX HEX" [42], o servidor de origem DEVE decodificar o Request-URI para interpretar corretamente o pedido. Os servidores DEVEM responder a URIs de solicitação inválidos com um código de status apropriado.

Um proxy transparente NÃO DEVE reescrever o "abs_path" parte do Request-URI recebido ao encaminhá-lo para o próximo servidor de entrada, exceto conforme indicado acima para substituir um abs_path nulo por "/".

5.2 O recurso identificado por uma solicitação

O recurso exato identificado por uma solicitação da Internet é determinado examinando o URI da Solicitação e o campo de cabeçalho do Host.

Um servidor de origem que não permite que os recursos sejam diferentes do host solicitado PODE ignorar o valor do campo do cabeçalho Host ao determinar o recurso identificado por uma solicitação HTTP / 1.1. (Mas consulte a seção 19.6.1.1 para outros requisitos de suporte a Host em HTTP / 1.1.)

Um servidor de origem que diferencia recursos com base no host solicitado (às vezes referido como hosts virtuais ou nomes de host personalizados) DEVE usar as seguintes regras para determinar o recurso solicitado em uma solicitação HTTP / 1.1:

1. Se Request-URI for um absoluteURI, o host faz parte do Request-URI. Qualquer valor de campo de cabeçalho Host no pedido DEVE ser ignorado.

2. Se o Request-URI não for um absoluteURI e a solicitação incluir um campo de cabeçalho Host, o host será determinado pelo valor do campo de cabeçalho Host.

3. Se o host, conforme determinado pela regra 1 ou 2, não for um host válido no servidor, a resposta DEVE ser uma mensagem de erro 400 (Bad Request).

Destinatários de uma solicitação HTTP / 1.0 que não possui um campo de cabeçalho Host PODEM tentar usar heurísticas (por exemplo, o exame do caminho URI para algo único para um host específico) a fim de determinar qual recurso exato está sendo solicitado.

5.3 Solicitar Campos de Cabeçalho

Os campos do cabeçalho da solicitação permitem que o cliente passe informações adicionais sobre a solicitação e sobre o próprio cliente para o servidor. Esses campos atuam como modificadores de solicitação, com semântica equivalente aos parâmetros em uma chamada de método de linguagem de programação.

Os nomes dos campos do cabeçalho da solicitação podem ser estendidos de forma confiável apenas em combinação com uma mudança na versão do protocolo. No entanto, campos de cabeçalho novos ou experimentais PODEM receber a semântica de campos de cabeçalho de solicitação se todas as partes na comunicação os reconhecerem como campos de cabeçalho de solicitação. Os campos de cabeçalho não reconhecidos são tratados como campos de cabeçalho de entidade.


Assista o vídeo: Zadanie 7. Egzamin gimnazjalny 2016 z matematyki. Odpowiedzi. (Outubro 2021).